Dólar bate com força no peito e diz: EPA!

5 09 2008

Ou, em outras palavras, dólar volta a valorizar-se diante das moedas mais importantes do mundo (ah e do Real também). Aparentemente, isso tem a ver com a instabilidade das bolsas no mundo todo, associada com informações negativas sobre as economias americana e européias.

A verdade é que temos dois indicadores que estão movendo-se de forma favorável à economia: o petróleo, que reduziu bastante em relação aos patamares recordes que vinha sendo negociado – voltou à casa dos US$ 100 ao barril – e o dólar, que volta a valorizar-se em relação ao real e também ao euro.

Segue gráfico com a evolução do dólar nesta semana:

Só nesta última semana, o dólar passou de R$ 1,63 em 29/8 para R$ 1,72 neste momento, representando 5,5% de valorização – expressivo, por se tratar de uma única semana. No mesmo período, o euro passou de US$ 1,47 para US$ 1,42, desvalorização de 3,4%. Se tomarmos como referência os últimos 30 dias, o euro teve desvalorização de 7,1%, enquanto que o real, 8,8%.

Resta saber se é uma tendência ou somente um momento de instabilidade passageiro. Essa retomada da valorização do dólar era necessária para reequilibrar o poder de compra das moedas e aumentar a competitividade do Brasil perante o resto do mundo.

Anúncios




Surra homérica no Pólo Sul

5 09 2008
Sim… no estádio Palestra Itália ou Parque ANTÁRCTICA, o Palmeiras levou TREZÃO do Sport Recife, um time que não disputa mais nada neste ano. Estou me repetindo ao dizer isso, mas NEM O MAIS OTIMISTA dos MAIS OTIMISTAS tricolores poderia imaginar tal resultado. Imagino um bando de comentaristas esportivos, que esta semana davam o Palmeiras como principal favorito ao título, engolindo um RINOCERONTE a seco.

"vem pra cá, balançar"

 O Palmeiras foi para campo com a certeza da vitória. Não que isso significasse salto alto, mas o retrospecto era muito favorável – neste campeonato brasileiro, em 11 partidas, haviam sido 10 vitórias e um empate, ou seja, retrospecto invicto em sua morada. Não seria uma equipe que, bem ou mal, tem menor interesse no campeonato por ter sido campeã da Copa do Brasil e tendo vaga garantida na Libertadores de 2009 que se tornaria um algoz. Ledo engano.

O atacante Roger abriu o marcador aos 26 do primeiro tempo, após falha da defesa palmeirense. No início do segundo tempo, o Palmeiras imprimiu forte pressão, mas ficou nas ótimas intervenções do goleiro Magrão. Diego Souza não conseguia jogar, devido à excelente marcação de Andrade. E Kléber perdia a cabeça, levando cartão amarelo e tendo que ficar “pianinho” para o resto da partida, mais uma vez.

Aos 22 do segundo tempo, Roger fez outro gol e, aos 33, Durval cabeceou no travessão e concluiu o rebote a gol. 3×0 incontestáveis, que derrubaram os ânimos palmeirenses.

Em São Januário, o atacante virou goleiro

O placar em si nem chega a ser absurdo. O Cruzeiro, um dos melhores times deste campeonato, sem a menor sombra de dúvida, teria toda a chance de vencer o Vasco, um dos piores. Com um jogador expulso no lado cruzmaltino, o Cruzeiro aproveitou e abriu 2×0 ainda no primeiro tempo. No segundo tempo, o Vasco conseguiu equilibrar e descontou, aos 25 do segundo tempo, com André, que havia entrado no intervalo.

Mas o melhor ainda estava por vir.

Três minutos depois, a zaga vascaína falha ridiculamente e a bola sobra para o atacante Guilherme, que dribla o goleiro Tiago. Este, comete o pênalti sobre o cruzeirense e é expulso. Além do problema óbvio, o treinador do Vasco da Gama já havia feito todas suas 3 substituições. Portanto, um jogador da linha teria que entrar no gol. Tita pediu para que Alan Kardec vestisse a camisa de goleiro e fosse à meta. Adivinhem quem foi?

bola prum lado, atacante pro outro??

"bola prum lado, atacante pro outro??"

Sim, Edmundo, o ANIMAL, resolveu fazer esta tarefa ingrata. Vestiu a camisa laranja do goleiro e foi para debaixo das traves, para tentar defender o pênalti do Cruzeiro. É evidente que ele não o fez, até porque Guilherme lançou mão da famigerada PARADINHA em sua cobrança. Mas Edmundo não levou nenhum outro gol, o que é bastante digno.

Ao final do EMBATE, Edmundo disse, aos prantos: “Não estou chorando de tristeza, estou chorando porque a gente tem uma torcida que não merece isso, merece coisa melhor. É humilhante demais. Eu não preciso disso não. Dentro do campo, o cara ficar debochando da gente”, visivelmente indignado com a atitude do atacante cruzeirense, quando da cobrança da penalidade máxima.

No final das contas, o resultado permitirá ao Grêmio na pior das hipóteses manter a diferença de 5 pontos em relação ao segundo colocado – agora o Cruzeiro, por saldo de gols – e até aumentá-la, caso empate ou vença o confronto com o Fluminense, amanhã, no Maracanã. E, de quebra, garante emoções intensas, já que na próxima rodada, Cruzeiro e Palmeiras se enfrentarão, no Mineirão, num jogo de 6 pontos. Um empatezinho entre eles seria o melhor dos mundos, para o Grêmio.

Mas as atenções agora são dirigidas aos jogos de amanhã. Além de Fluminense x Grêmio, que poderá determinar a ampliação da vantagem do tricolor gaúcho em relação a Cruzeiro e Palmeiras ou o afastamento do Fluminense da zona de rebaixamento, por 4 pontos, teremos também outro jogo de 6 pontos, entre Coritiba (37 pontos) x Botafogo (39 pontos), no Couto Pereira. A vitória do Botafogo desbancaria o atual quarto colocado (Flamengo) por 2 pontos. Já a vitória do Coxa, se por 2 ou mais gols de diferença, também desbancaria o Flamengo, mas por saldo de gols.

Além destes dois jogos, teremos também uma “batalha DE aflitos”, entre Náutico e Ipatinga, em Recife. A vitória do Náutico, combinada com derrota ou empate do Fluminense, tirará o Timbu da zona do rebaixamento. Já o Ipatinga, se vencer, sairá da lanterna, mas permanecerá na zona ingrata.

Além desta partida, haverá Internacional x Portuguesa, em Porto Alegre. Sinceramente, é improvável qualquer outro resultado que não uma goleada colorada. A Portuguesa é uma das equipes mais fracas deste campeonato e ainda estará desfalcada. Já o Inter, apesar da lambança em seu vestiário, tem muito mais time que a Lusa mesmo com as duas mãos nas costas, mesmo sem Nilmar e D’Alessandro, convocados para suas seleções e Guiñazú, suspenso. A vitória provavelmente não alterará a posição atual do Internacional, a décima-primeira colocação (precisaria vencer por 5 gols de diferença para ultrapassar o Goiás), mas servirá para reaproximar o colorado da zona de classificação da Libertadores, hoje em 40 pontos e podendo chegar a 42, caso o Botafogo vença. O Inter tem apenas 30 pontos, neste momento.

Muitas emoções, portanto.