Giro pela Europa

3 10 2008

Pareço até o CLÉBER GRABAUSKA colocando isso como título do meu post, mas a real é que eu quase fiz isso, nesta semana. Quase, porque eu fui só em 3 países. Poderia dizer, inclusive, que foi no Oeste da Europa Ocidental (ó o PLEONASMO aí, rapá).

Fui para Portugal, depois para a Inglaterra e agora estou na Espanha. Amanhã voltarei para o Brasil.

Não é a primeira vez que eu faço esse tipo de viagem pinga-pinga. Imaginem: eu LITERALMENTE fiquei cada noite em um HOTEL DIFERENTE. Segunda eu dormi em Lisboa. Terça, em um hotel nas imediações do aeroporto de Heathrow, em Londres (lixaço, diga-se de passagem). Quarta, em um hotel na cidade de Kenilworth, no centro-oeste britânico (chamado por lá de WEST MIDLANDS). Ontem, num muquifaço no centro de Barcelona.

Neste exato momento, estou teclando da RUA, na frente de um Starbucks em Barcelona, a uma quadra da PLAÇA DE CATALUNYA. Sim, é muito massa. O centro é bacana, antigaço como tudo na Europa. Não é tão afudê como Paris ou Londres, sem dúvida. Não conheço Madrid, mas deve ser mais afudê também. Mesmo assim, é show de bola. E tá ATROLHADO de turistas, impressionante. A maioria aparenta ser da Europa mesmo. E o estranho é que a época de férias já acabou.

Plaça de Catalunya - Barcelona

Plaça de Catalunya - Barcelona

Economicamente falando, a coisa tá braba. Essa crise absurda nos Estados Unidos afeta gigantescamente a Europa, assim como a China, que comercializam grandes volumes com o gigante americano. Apesar dos Estados Unidos serem o principal mercado externo do Brasil, o percentual desse comércio na economia brasileira como um todo não é tão relevante, como é pra Europa, incluindo os mercados financeiros. A recessão nos principais países da Europa é uma CERTEZA, não apenas especulação. Inclusive a Irlanda já declarou oficialmente que está em recessão (dois trimestres com queda no PIB – este é o critério oficial).

Duvido que o Brasil não sinta a recessão mundial. Esse processo tende a baixar o preço das commodities e podem ter certeza que o Brasil terá redução nas exportações, além de problemas com o preço reduzido dos produtos. Em termos de inflação, isso ajuda, mas o crescimento economico infelizmente será reduzido.

Tampouco acredito em recessão no Brasil, apenas em redução do crescimento. Tomara que essa redução seja a menor possível.

Daqui há 3 horas estarei indo pra Lisboa novamente. Amanhã de manhã pego o voo de volta ao Brasil.