Ilha Grande: paraíso (1)

3 02 2009

A Gra e eu tivemos a felicidade de poder viajar, gastando pouco (usamos milhas) para o Rio de Janeiro nestas férias. Como ambos já conhecíamos a cidade maravilhosa, optamos por um destino desconhecido, pelo menos para nós – a Ilha Grande.

mapailhagranderj

O mapa acima mostra a posição da Ilha Grande, próxima a Angra dos Reis. Para chegar até lá, nós fomos ao Rio de Janeiro e de lá pegamos um ônibus da empresa Costa Verde. A viagem deveria ser de umas 3 horas, mas levou quase 4, por causa do trânsito terrível (era um domingo). De lá, pega-se algum tipo de transporte marítimo até a ilha. Nós optamos pelo catamarã da Ilha Grande Turismo, que fez o trajeto em 40 minutos, por R$ 20 por pessoa. Se tivéssemos optado pela barca tradicional, teríamos feito o trajeto em 1h20 e teria custado R$ 14 por passageiro. Em dias de semana, o custo da passagem da barca é de R$ 6,50 por trecho.

(vejam que eu já calculo que escreverei MUITO, portanto, esta é só a primeira parte do meu relato)

Portanto, depois de 40 minutos, chegamos à Vila de Abraão, a “capital” da Ilha Grande. A vila é onde está a maior parte das pousadas, comércio e restaurantes da Ilha. Além disso, tem uma grande oferta de barcos para passeios.

ilha-grande-296

chegada ao Abraão

A vila é pequena e não há trânsito de automóveis. Portanto, é muito comum a presença dos carreteiros – pessoas que empurram carrinhos, carregando malas e bagagens. Dá pena de ver esses homens fazendo grande força quando o carrinho está na areia fofa – a dificuldade é tremenda.

Logo que chegamos no local onde a Gra e eu passaríamos 8 noites – a Pousada Caiçara (excelente – recomendo fortemente), não quisemos esperar muito e fomos direto curtir a água.

vista da janela do quarto - morram de inveja!

vista da janela do nosso quarto - morram de inveja

O mar é excelente, como em toda a ilha. No entanto, a vila de Abraão é MINADA de embarcações, pequenas e médias. Isso torna o banho em Abraão um pouco pior do que em outras praias vizinhas. Além disso, os barcos também aumentam a proliferação de algas.

Mas nem por isso a água é escura ou turva. No Abraão era possível ver muitas tartarugas marinhas, algumas iam muito próximas de onde ficávamos. Um espetáculo deslumbrante. Mas era só o começo…

Uma boa opção para “escapar” do Abraão, sem precisar caminhar muito ou pegar um barco, é a Praia da Júlia, que ficava bastante próxima da pousada, já que nós estávamos na Praia do Canto, um pouco mais afastada do centro da vila. Tinha bem menos barcos nesta praia e ela é pequeninha. Além disso, tem um quiosque (com poucas opções e mau atendimento) e uma “ducha” natural, que era uma delícia.

moqueca no restaurante Lua e Mar - com vista pro mar, claro

moqueca no restaurante Lua e Mar - com vista pro mar, claro

Falarei mais sobre a ilha nos posts seguintes – especialmente dos passeios que fizemos. Aguardem.

Anúncios

Ações

Information

One response

4 10 2009
ronaldo Leandro

eu adoro a ilha grande e tudo d bom, adoro a natureza

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s




%d blogueiros gostam disto: