O mundo é injusto OU Deus não existe

9 02 2009

Foi grande o sentimento de frustração depois da derrota por 2×1, ontem. Primeiro porque tomar um gol contra, a 2 minutos de jogo, numa CAGADA monumental de um jogador que tu consideras bom, DERRUBA AS BOLAS do cidadão. E altera significativamente os rumos da partida. Não é absurdo dizer isso, pois tenho certeza que, por exemplo, o Inter não teria sido TOTALMENTE DOMINADO pelo Grêmio no primeiro tempo caso não tivesse saído na frente do placar tão cedo.

E DÓI NA ALMA ver o teu time errar QUATROCENTAS chances claras de gol. Várias por intervenções seguras do arqueiro adversário e outras por incompetência. Apesar do Grenal ter significado uma GRANDE atuação do ala esquerdo Fábio Santos, também mostrou como esse sujeito é AZARADO – pelo menos umas 5 bolas na trave ou por cima, em arremates perigosíssimos.

O Grêmio tinha toque de bola refinado, fazia tabelas e Souza jogava o FINO DA BOLA. Enquanto que o Inter estava totalmente recuado e a bola praticamente não chegava a Nilmar e Taison. Alex só pegou na redonda num lance que fez fila no lado direito da defesa do Grêmio, mas foi desarmado antes de chegar à área. Foi substituído no intervalo, corretamente.

No segundo tempo, o Inter equilibrou o jogo, pelo menos no começo e perdeu um gol incrível, com Nilmar (em duas defesas incríveis de Victor). Mas, logo o Grêmio voltou a dominar, até que o gol finalmente saiu, com Jonas (entrou no lugar de Diogo, que pedia pra ser expulso) em falha bisonha de Índio.

(aliás, TODOS os gols foram originados em falhas bisonhas, como explicarei a seguir)

A partir daí, o jogo perdeu um pouco em qualidade, os dois times passaram a se RESGUARDAR. O Inter perdeu um gol feito, com Andrezinho, que foi defendido pelo reflexo de Victor. Em compensação, o bandeira anulou um gol legítimo de Jonas, marcando impedimento que não houve. Gol que seria o segundo dele e colocaria o Grêmio na vantagem, o que faria justiça.

Mas, como Deus não existe ou estava no PLANETA ATLÂNTIDA, o Grêmio se posicionou no ataque para um cruzamento. Até aí tudo bem, mas OITO jogadores do Grêmio se deslocaram da defesa para a área de Lauro. O rebote ficou para Taisson, que FOI COM TUDO pra cima de DOIS defensores do Grêmio. Sinceramente, Taisson e Nilmar contra dois zagueiros é covardia. Não deu outra, o CARA DE BONECA mandou pras malhas.

Pra mim, foi uma falha bisonha, pois até a VELHINHA DE TAUBATÉ (ns) sabia que deixar dois zagueiros no mano-a-mano com o velocíssimo contra-ataque do Inter é SUICÍDIO. E foi.

Aí não dava mais tempo, o Inter fez todo tipo de cera possível. Um balde de água fria. E o pior venceu.

Destaques positivos:

– Estádio dividido. Dá outro tom ao maior clássico do Brasil.
– Souza, Fábio Santos e Victor, para o Grêmio. Alex Mineiro também teve importante atuação no primeiro tempo, fazendo o trabalho de pivô e dando importantes assistências aos meiocampistas que vinham de trás. No segundo tempo, Jonas mostrou que Herrera não estará garantido, já que o renegado teve a precisão que os outros não tiveram.
– Lauro e Nilmar, para o Inter.

Destaques negativos

– Tcheco: não jogou
– Diogo: nervosinho, vai bem defensivamente mas bate demais, podendo comprometer com uma expulsão ou algo do gênero
– William Magrão: não jogou mal, mas entregou a rapadura no comecinho do jogo
– Adilson: o alemão não é jogador pro Grêmio
– do Inter: Índio (entregou), Alex (se escondeu), Guiñazu (o motor do time estava queimado), Tite (permitiu que o Grêmio dominasse o jogo – quase comprometeu o resultado).

Se o Grêmio não tivesse feito a besteira de colocar time totalmente reserva no jogo contra o Veranópolis, não estaríamos em sexto no nosso grupo e teríamos chance maior de chegar em primeiro no nosso grupo. Agora, é até de se imaginar que o Inter perca de propósito para o Ypiranga só para impedir definitivamente que o Grêmio se classifique em primeiro no grupo (embora esta chance esteja praticamente descartada). É evidente que não faria sentido desgastar demais o grupo que se prepara para a Libertadores, o grande objetivo do semestre. Mas um time misto já poderia ter servido para vencer o time serrano.

Não consigo ter a visão de que a arbitragem comprometeu o resultado. Prejudicou o Inter primeiro, ao não expulsar Réver num lance que Nilmar estava passando lotado por ele, último homem da defesa tricolor. Era pra mostrar vermelho, não amarelo. Depois o Grêmio, com o gol anulado. De resto, deixou o jogo rolar e não deixou descambar pra violência.

Fazia muito tempo que eu não via um Grenal de qualidade técnica, como foi ontem. Mas fiquei com a sensação amarga de ter perdido um jogo, tendo jogado não melhor, mas MUITO melhor.

A palavra certa é FRUSTRAÇÃO.

O que não justifica o desabafo equívoco do presidente Duda Kroeff, que “ameaçou” largar de mão o Gauchão, caso o tricolor “continue sendo prejudicado”.

MENAS.

Anúncios

Ações

Information

4 responses

9 02 2009
André K.

o Inter não teria sido TOTALMENTE DOMINADO pelo Grêmio no primeiro tempo caso não tivesse saído na frente do placar tão cedo.

Concordo. Ainda não tinha visto ninguem fazer esta abordagem.

ao não expulsar Réver num lance que Nilmar estava passando lotado por ele, último homem da defesa tricolor

Não existe esta figura do último homem. A regra fala em frustrar clara opurtunidade de gol. O artigo seguinte explica bem: http://www.cartaovermelho.esp.br/index.php?name=News&file=article&sid=356

Acho que a luta do Grêmio nem era para ser o melhor do grupo, mas sim ficar na frente da co-irmao, para ter vantagem em um eventual. Mas tal meta ficou impossivel com a tabela feita (especialmente no 1º turno)

O desabafo do Kroeff tem que ser entendido nao só pelo jogo de ontem, mas por todo o campeonato. Foram 5 rodadas e em 3 delas o grêmio foi prejudicado.

Gostei do Adílson, no resto concordo com tua avaliação dos jogadores.

Fazia muito tempo que eu não via um Grenal de qualidade técnica, como foi ontem. Mas fiquei com a sensação amarga de ter perdido um jogo, tendo jogado não melhor, mas MUITO melhor.

A palavra certa é FRUSTRAÇÃO.

Resumiu muito bem.

P.S. Espero que Deus não tenha ido ao Planeta Atlantida. Se foi, tem um pessimo gosto musical

9 02 2009
Gustavo

André, honestamente, conhecendo o Nilmar e a velocidade EXCEPCIONAL que ele tem, invariavelmente teria ficado cara-a-cara com o goleiro, frontalmente até.

Bacana esse esclarecimento da não existência do “último homem”.

Se Deus tivesse ido ao Planeta, seria preferível ser ateu.

9 02 2009
Vicente Fonseca

Concordo também com a avaliação de que o gol mudou todo o rumo da partida.

Deus existe sim, senão aquele show do Iron Maiden ano passado não teria sido o que foi. Só não conseguiu passagem pra Erechim, parece que chegou tarde na rodoviária.

Abraço e vamos em frente!

11 02 2009
natusch

Se Deus tivesse ido ao Planeta, eu seria satanista convicto.

No mais, venceu o pior. Acontece.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s




%d blogueiros gostam disto: