Sobre o campeonato gaúcho

20 03 2009

Eu tinha vontade de escrever este texto há mais tempo, estava BOLANDO-NO há uma semana, mais ou menos, mas acredito que a goleada de 6 a 1 aplicada pelo Grêmio sobre o São José, de Porto Alegre, me ajudará a SINTETIZAR melhor a idéia.

homenagem à esposa

homenagem à esposa

É comum haver uma discussão sobre a importância e a relevância do campeonato gaúcho para os grandes clubes do Rio Grande do Sul. Como “grandes” eu classifico Grêmio e Internacional – o Juventude seria um clube médio, Caxias e Brasil de Pelotas, médio-pequenos e os demais são todos pequenos.

Afinal, o quanto importante para o campeonato gaúcho é a presença da dupla Grenal? Sim, pois excluindo-se alguns acidentes de percurso, os campeões gaúchos são, quase invariavelmente, Grêmio e Internacional. Então, para os clubes do interior, o “prêmio” de consolação geralmente é classificar-se para a final, ou para uma semi-final, dependendo do caso.

Porém, é importante que se diga que, na maioria dos casos, os clubes interioranos só conseguem triunfos sobre os grandes da capital quando estes jogam com equipes mistas ou mesmo reservas, como foi o caso do Internacional em 2007 e está sendo o caso do Grêmio neste ano. Quando os gigantes “acordam” e resolvem jogar com alguma seriedade, como foi o caso anteontem, vemos o resultado.

Analisem quantas goleadas já tivemos neste campeonato gaúcho… me parece claro que é o reflexo de um torneio nada equilibrado.

O maior problema disso tudo é que o Gauchão, assim como a maioria dos campeonatos estaduais (incluo o Paulista) não é um teste adequado para os clubes que enfrentarão a Série A durante todo o resto da temporada, assim como outros campeonatos importantes, como é o caso da Copa do Brasil e Libertadores da América. Com isso, os clubes grandes jogam uma quantidade impressionante de partidas – se o Grêmio for à final do segundo turno, serão 21 jogos. Se vencer a final, haverá mais dois jogos. É o equivalente a quase 2/3 do campeonato brasileiro. Vejam o risco de lesões que essa quantidade enorme de jogos pode causar aos atletas.

Soluções: eu sempre fui a favor dos regionais – Rio-São Paulo, Sul-Minas, etc. Eram campeonatos curtos, vibrantes e rentáveis. Os campeonatos estaduais poderiam continuar a ser disputados pelos clubes menores, sendo que os primeiros colocados ganhariam vagas para a Copa do Brasil e para as taças regionais, além de servir como seletiva para a Série D do campeonato brasileiro.

Outra possibilidade é permitir que os clubes que disputam a Libertadores joguem também a Copa do Brasil, alongando-a para parte do segundo semestre, disputando os jogos entre as rodadas do campeonato brasileiro. Esse modelo é adotado pela maioria dos países europeus.

Enfim, sei que o assunto é polêmico, mas eu tenho bastante convicção de que a disputa dos campeonatos estaduais é pura perda de tempo e dinheiro.

Anúncios

Ações

Information

5 responses

21 03 2009
Luís Felipe

bah, eu considero os campeonatos regionais uma tremenda aberração. Forçam rivalidades inexistentes, premiam o nada, além do mais, não têm nada a ver com a estrutura do futebol brasileiro atual. O campeão do campeonato regional vai pra onde? Não tem mais espaço para uma Copa dos Campeões, como naqueles bizarros anos de 2001 e 2002.

para mim, estaduais sem os times de série A; gradativamente, sem os times da série B e depois C, tornando-se seletivas para a Série D oficialmente, valendo taça.

22 03 2009
Fique por dentro Campeonato » Blog Archive » Sobre o campeonato gaúcho « Cabeça Dinossauro

[…] e Internacional – o Juventude seria um clube médio, Caxias e Brasil de … fique por dentro clique aqui. Fonte: […]

23 03 2009
Gustavo

LF, concordo contigo sobre as “rivalidades forçadas” nos antigos regionais. Inclusive acrescento a ausência de lógica geográfica de se fazer um campeonato com os três estados do Sul e Minas Gerais, que nem é adjacente ao Paraná.

Mas acho que eles valiam como preparação forte para o Brasileiro, coisa que não ocorre atualmente.

Qual seria então a solução para o primeiro semestre? Talvez iniciar o campeonato mais cedo (fevereiro ou março), “esticando-o” e aproveitando os “meios-de-semana” para Libertadores e Copa do Brasil.

24 03 2009
André K.

Talvez iniciar o campeonato mais cedo (fevereiro ou março), “esticando-o” e aproveitando os “meios-de-semana” para Libertadores e Copa do Brasil.

Acho que a coisa é mais por aí. Sul-Minas não fazia o menor sentido, não era nenhuma coisa (estadual) nem outra (nacional)

26 03 2009
Léo Z

Não atualiza mais??

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s




%d blogueiros gostam disto: