Enfim… justiça!

20 07 2009

(Luciano Stabel)

Tô ligado que o Grêmio não tem time melhor do que o Inter.

Tô ligado que o Grêmio está ainda 7 pontos atrás do líder do campeonato.

Mas, PRO INFERNO com estas “ligadeiras” (ns). Só sei que METEMOS ontem. E mais, depois de outros dois grenais em que o tricolor jogou melhor, mas perdeu, finalmente a justiça se fez presente no placar. Não é de hoje que eu venho falando que o Grêmio foi muito prejudicado por ter jogado os outros três clássicos fora de seu estádio. Ontem foi a prova de que eu tinha alguma razão.

cara mais engraçada = Rafael Marques WINS (Edu Andrade/Futura Press)

cara mais engraçada = Rafael Marques WINS (Edu Andrade/Futura Press)

Estádio aparentava baixo público. Os 40.020 anunciados pelo placar no final do jogo me desmentiram, mas havia vários clarões. Significa que caberia muito mais, uns 8 mil pelo menos. Nenhum tipo de comemoração especial, evento, ou algo que o valha, relativo ao centenário do clássico. Penso que as diretorias perderam uma oportunidade que nunca mais retornará – mesmo quando for a comemoração de 200 anos, não será a mesma coisa. Especialmente a do Grêmio, já que o jogo era em seu estádio.

Lindo recebimento do time do Grêmio pela Geral, utilizando dois canhões de filme metalizado picado – a chamada “chuva de prata”. Um espetáculo especial. Além da nova faixa contendo os nomes dos 11 atletas gremistas naquele 18 de julho de 1909. Aposto que aqueles jogadores jamais imaginariam como seria importante esta data…

Novamente o Grêmio começou atacando para onde está a Geral. Normalmente acontecia o contrário. Mas, desta vez, o Grêmio ganhou o sorteio e OPTOU pela modificação no lado. O Inter já tinha se posicionado à esquerda das cabines e teve que ir para o outro lado. Acredito que esta “tática” será repetida em outros jogos.

O jogo começou com uma certa pressão tricolor, alguns chutes a gol, mas nada que oferecesse muito perigo. Depois de uns 18 minutos, o Inter passou a dominar o meio-campo e impedir os avanços gremistas. Com muita dificuldade chegava ao ataque mas conseguiu assustar com uma boa cabeceada de Sorondo, após escanteio pela direita, defendida por Victor.

Depois de uma frustrada cobrança de escanteio da direita do ataque tricolor, Andrezinho saiu rapidamente, lançando Nilmar que conseguiu passar por Souza (com excessiva facilidade, no entanto) e tirou de Victor. Grande decepção na massa azul. Eu só pensava: “precisamos empatar logo, precisamos empatar logo”.

mochilas TAISON (Jefferson Bernardes/Vipcomm/Divulgação)

mochilas TAISON (Jefferson Bernardes/Vipcomm/Divulgação)

Não demorou tanto, ainda bem. 11 minutos, pra ser mais preciso. Numa cobrança de falta perfeita, Souza empatou a contenda e voltou a dar equilíbrio ao placar. Alívio é a palavra que descreve a sensação que eu tive. Deu pra notar que o restante do primeiro tempo foi burocrático e os dois times estavam relativamente CAGADOS, preferindo não arriscar.

(Lucas Uebel/Preview.com/Gazeta Press)

A partir do gol gremista, não se ouviu mais um PIO da torcida colorada. Me impressionou muito isso. Em compensação, a tricolor estava EM CHAMAS, enlouquecendo muito a cada minuto que passava. O campo sentiu isso. O segundo tempo teve o nome de GRÊMIO, do início ao fim. O Inter desapareceu e o tricolor deve ter tido uns 80% da posse de bola… Ok, talvez um pouco menos.

Depois de Réver dar uma boa cabeceada aproveitando escanteio, foi outra cobrança de tiro de canto que rendeu o engasgado GRITO de gol. Da vitória! Aos 24 minutos, Tcheco cobrou escanteio da direita, a bola sobrou para Réver, que mandou um bago, que explodiu no peito de Guiñazú e sobrou redonda para Maxi López mandar de cabeça para as redes.

GANHAMOS (Luciano Stabel)

"GANHAMOS" (Luciano Stabel)

Daí, ainda teve uma chance linda, em um lance que Maxi López fez jus à sua fama de TROMBADOR, venceu Índio e Sorondo na base da PEITADA, dominou e esperou a aproximação de Herrera. Quando chegou, tocou macia pro outro argentino bater forte no POSTE esquerdo de Lauro. Faltou pouco para o terceiro e definitivo tento.

Depois disso, foi só amorcegamento, mas o Inter não esboçou reação. Victor praticamente passou o resto do jogo NANANDO.

Fazia MUITO tempo que eu não assistia ao Grêmio vencer um Grenal no Olímpico. O último tinha sido em 2000, com o TRAÍRUCHO vestindo a tricolor. Desde ENTONCES, só havia visto empates 0x0 em 2006, 1×1 ano passado, no Brasileirão (gol do Roger SECCO). Que sensação boa, não há como explicar.

Saindo do estádio, a massa cantava “Aonde estão, ninguém os vê, cadê os p… do Inter?”.

Fazendo uma análise do jogo: não entendo porque tanta rasgação de seda para Mário “doril” Fernandes. Ele jogou muito bem o segundo tempo, mas não é um jogador desta função, apoiava pouco. Mas mostra grande qualidade no desarme e na saída pro jogo. Tem potencial.

O time não foi brilhante, errou várias jogadas básicas, mostrando certo nervosismo. O sistema defensivo funcionou bem, à exceção do gol colorado, quando houve uma espécie de BLECAUTE na defesa gremista. Quem, na minha opinião foi o pior em campo foi o Tcheco. O segundo tempo dele foi ainda pior do que o primeiro, diferentemente do resto do time, que mostrou melhora na segunda etapa. Não conseguia dar rapidez às jogadas, errava muitos passes e perdia bolas fáceis. Não sei o que tem o capitão do Grêmio. Reforço a minha ideia de que precisamos de uma sombra, urgente.

Herrera também teve uma tarde infeliz. A entrada de Jonas era quase garantida. Talvez devesse pegar banco na próxima partida.

Ainda acho que um lateral de função deverá dar melhor resultado do que um zagueiro improvisado, na direita. Autuori deveria tentar Joilson aí, até porque ele jogou muito poucas vezes no time e não teve muita chance de mostrar serviço. Eu, sinceramente, tive boas impressões dele. Mesmo Makelele deverá dar retorno melhor nesta função, pois tem muito mais “cacoete” para o apoio. Mário deve ter novas chances, mas na zaga. Ele certamente terá oportunidades, pois a defesa sempre tem a maior incidência de cartões amarelos e suspensões.

Agora é PAPAR o Avaí quarta-feira, pra começar a fazer campanha também fora de casa.

Anúncios




Vendo pelo lado positivo

16 07 2009

Mesmo tendo sido derrotado por 2×1 pelo Coritiba, de virada, vejo um fato do jogo de ontem por um prisma positivo: a expulsão de Thiego obrigará Paulo Autuori a escalar um lateral DE VERDADE, em vez de usar um tampão, PÉSSIMO por sinal.

pelo menos, EU faço alguma coisa (foto: Heuler Andrey/Agif/Gazeta Press)
“pelo menos, EU faço alguma coisa” (foto: Heuler Andrey/Agif/Gazeta Press)

O Grêmio começou o jogo de forma AUSPICIOSA (a/c vênus platinada) e marcou seu gol logo aos 9 minutos, em linda jogada de Jonas. Porém, apesar da obviedade da tentativa de reação do Coritiba, o Grêmio continuava jogando melhor e tendo as melhores oportunidades de gol. Parecia que a ampliação do placar e a vitória seriam inevitáveis. Parecia.

Eu deixei de assistir o jogo aos 42 do primeiro tempo para jantar e voltei a ver aos 6 do segundo tempo. Perdi nada menos do que o gol de empate do coxa, marcado aos 46 minutos por Marcelinho Paraíba, um verdadeiro TIRAMBAÇO MARAVILHOSO, uma verdadeira pintura de gol.

"pode fazer ANTIDÓPS, tá tudo limpo" (foto: Globoesporte.com)

Um absurdo levar um gol nos acréscimos, numa jogada gerada no contra-ataque. O Grêmio estava realmente achando que venceria fácil, pois estava com o time inteiro no ataque no finalzinho da primeira etapa. Isso me parece um pouco de salto alto.

Outra coisa que eu perdi foi a expulsão de Thiego. Agora eu revi o lance – FOI NO CAMPO DE ATAQUE! Ele, sem motivo aparente, resolveu dar uma FOIÇADA no cara do Coritiba. Que bicho BEM BURRO. Acho que não é injusto atribuir o segundo gol do Coritiba à imbecilidade do nosso improvisado lateral, pois o time desarrumou-se defensivamente.

Aproveitando o ENSEJO, o time da casa largou-se pro ataque e, num lance desses da vida, UM minuto depois de eu ter novamente ligado a televisão, Ariel recebeu uma bola na área, girou e chutou perfeitamente no canto de Victor. Uma virada facilitada pela ESTUPIDEZ (não vou me cansar de DETONAR esse idiota).

A partir daí, o Coritiba pouco fez, satisfeito com a vitória. O Grêmio demorou para encontrar-se novamente em campo. Autuori promoveu a saída de Alex Mineiro (que não havia feito nada, visivelmente buscando a saída da equipe) para a entrada de Makelele, visando recompor o sistema defensivo. Uma decisão compreensível, mas questionável, uma vez que o time precisava marcar um gol, pelo menos. De fato, aos poucos, o Grêmio voltou a dominar a bola e a impedir o Coritiba de jogar (e como erra passes esse time, MEO DEOS).

Mas o Grêmio estava afobado e desconcertado, errando jogadas que há pouco não eram desperdiçadas tão facilmente. Em um certo momento da partida, Autuori optou pela substituição de Jonas por Perea. Também não sei se essa foi uma boa decisão, talvez ele estivesse pensando em preservar o atacante para o Grenal. Mas Jonas estava jogando melhor do que Perea, um atleta que recém voltou de lesão.

Aliás, teve um lance dele tão TOSCO que me fez perder a esperança de ver o CICLÓN apresentar bom futebol novamente.

Enfim, eu logo percebi que nada mais viria daquele time. E o placar acabou fechando em 2×1, merecido pelo Coritiba.

Apesar do Santos ter-nos feito um belo favor, empatando um jogo em que perdia por 3×0, EM CASA, contra o Barueri, acho muito complicado alcançar o G4 tão cedo. No Grenal, está matematicamente impossível agora. Se o Grêmio não vencer alguns jogos fora de casa, pelo menos, será muito complicado. Até agora, não ganhou nenhum.

Mas não vou DETONAR tudo não. O Grêmio está jogando visando o ataque, visando o gol. Eu vejo uma melhoria significativa na forma de jogar do time. O problema mais grave é que o Grêmio é visivelmente uma equipe em formação. Considerando que estamos na metade de julho, é meio tarde para isso. Faltam apenas 8 rodadas para o fim do primeiro turno. Autuori precisa FINALIZAR  a formação, e tem que ser JÁ.

Aposto MINHAS DUAS MÃOS que os “sites especializados” em futebol já colocarão o Inter novamente na situação de favorito para o clássico de domingo. Eu até acho melhor assim.





10a rodada

13 07 2009

Jogos da 10a rodada do Brasileirão 2009:

Tabela Portugues 10r

E a classificação atualizada:

classificacao 10r

Tabela extraída do Terra.





Viúvo

13 07 2009
”]ai que saudades da OFÉLIA (ns) [foto: Gazeta Press]

Ontem foi um dia muito feliz. Afinal, estive no Olímpico e presenciei um verdadeiro ESPETÁCULO futebolístico, um domínio absoluto do tricolor sobre o campeão da Copa do Brasil, considerado por muitos o melhor time brasileiro da atualidade (aposto que, a partir de quarta, voltará a ser o Cruzeiro, mas…)

Um pouco do PRÉ-JOGO:

Consegui empurrar meu cunhado Ricardo pra assistir esse jogo, já que passamos o findi em Porto Alegre e as VERMELHAS gurias não teriam nenhum inconveniente em passar algumas horas no CHÓPS (apesar do peso crescente de JAY PEE incidindo sobre a coluna da Pita). Nos encaminhamos para o Olímpico cerca de 14:30, pois eu queria aproveitar o ADIANTO para dar uma ZAPEADA na loja Grêmio Mania do estádio.

Pra variar, a Rua Porto Alegre estava bloqueada mais uma vez, portanto, NECAS de estacionar na Rua Florianópolis. Mesmo chegando cedo, acabei estacionando longe do estádio (transitar na Av. Azenha era uma INSANIDADE) e demoramos um pouco mais para chegar.

Bônus: um carro bateu com certa violência na traseira de outro, na Av. da Azenha. Um TRASEUNTE falou: “tinha que ser um carro VERMELHO mesmo” (ns). Impressionante foi acelerar tanto num momento que a única velocidade possível era, sei lá, 500 metros por hora.

Nas imediações do Portão 1, havia boa movimentação de HINCHAS, mas evidentemente muito abaixo do jogo contra o Cruzeiro, por exemplo. Não havia filas no portão, naquele momento. Entramos e tínhamos muita tranquilidade para ir até perto do meio do campo, posicionando-nos melhor para assistir ao jogo. Mas eu fiquei ainda mais impressionado com a AUSÊNCIA da maior parte da Geral. Normalmente a Geral costuma ocupar bem seus espaços mesmo com muita antecedência aos jogos. Ontem, estava quase às moscas, faltando 45 minutos pro início do jogo. No final, acabou enchendo (mas não lotando completamente). Acredito que foi algum tipo de protesto (além da faixa que chamava Luiz Onofre Meira de MENTIROSO).

Enfim, vamos AO JOGO:

Durante o minuto de silêncio, o estádio em coro gritava “Ronaldo, VIÚVO”. Rachei de tanto rir, melhor corneta EVER.

Desde logo o início do jogo, notava-se qual seria a principal característica do time naquela tarde: defesa forte, marcando bem a saída de jogo e antecipando-se às jogadas corintianas. Não por menos, os desarmes foram muitos e as bolas não chegavam ao Ronaldo, nem ao Dentinho, nem ao Jorge Henrique. Excelente.

Rapidamente o Grêmio foi tomando conta do jogo, lançando-se ao ataque com VOLÚPIA. E de forma eficiente, por mais estranho que isso possa parecer, quando a dupla de ataque é formada por Alex Mineiro e Jonas. Aliás, esta foi a ordem dos dois primeiros gols. O carequinha (Britto, Paulo, 2009 x 400.000 inserções no Gauchão) recebeu bom cruzamento de Fábio Santos (às vezes ele se puxa) e mandou de primeira. Felipe SE APAVOROU e levou, aos 16 minutos de jogo.

vejam como RELUZ (foto: Gazeta Press)

"vejam como RELUZ" (foto: Gazeta Press)

Pouco depois, aos 22, Adílson (vejam só) foi até a linha de fundo e achou espaço para cruzar, com perfeição, na cabeça de Jonas, que cumprimentou o goleiro Felipe e mandou a bola LAMBENDO O POSTE direito do goleiro do Timão. Eu fiquei seriamente na dúvida se tinha sido gol. E descobri que até quem estava envolvido no lance ficou na dúvida.

Todos queriam mais.

Um pouco depois do segundo gol gremista, Jean, ex-zagueiro do Grêmio, cometeu falta frontal à defesa do Corinthians. Ele deu uma xingada ao árbitro, deve ter chamado ele de AMIGÃO. Levou o segundo amarelo e foi pro chuveiro. A partir daí, foi uma BABA só.

Aos 37, após escanteio cobrado por Souza a bola sobrou para ele mesmo que, de fora da área, cruzou novamente. A bola encontrou um inexplicavelmente desmarcado Rafael Marques, que abaixou-se e testou pro fundo das redes. 3×0 e a casa alvinegra foi definitivamente desmontada.

PIM-PO-NE-TA

"PIM-PO-NE-TA" (foto: Nabor Goulart/Ag Freelancer/Futura Press)

A sensação que nós tivemos, no momento do terceiro gol era de “TIRA O THIEGO”. Primeiro, porque ele destoava do resto do time, fazendo outra partida HORRENDA, em virtude de não ser um lateral-direito, a despeito do que o técnico pensa. Segundo porque ele tomou um amarelo logo no comecinho do jogo e já tinha se estranhado com o juiz. Todas as suspeitas de qual jogador gremista seria expulso para compensar a exclusão de Jean recaíam sobre ele.

Graças a Deus, isso não aconteceu.

O segundo tempo foi da tranquilidade total do Grêmio, que passou a valorizar imensamente a posse de bola e a troca de passes no campo de ataque, como todo time maduro deveria fazer SEMPRE que tem uma grande vantagem a favor. Recuar nunca foi uma solução segura. Apesar de uma excelente chance corintiana de marcar aos 35 do segundo tempo, quando Victor fez uma defesa simplesmente MAGISTRAL, o Grêmio teve pelo menos umas 3 chances claríssimas de gol na segunda etapa. Numa delas, Souza recebeu um passe de NUCA de Alex Mineiro mas quis dar show dentro da área, em vez de tirar do goleiro e correr pro abraço. Acabou permitindo a defesa de Felipe.

Com o jogo dominado, Autuori resolveu experimentar alguns jogadores. Colocou Makelele no lugar de Túlio e a resposta foi bastante positiva. É um jogador que dá velocidade sem perder a força de marcação. Ainda colocou uma pelota muy linda para Perea (que entrou no lugar de Jonas), porém, o CICLÓN chutou sobre o goleiro.

Num lance meio estranho, Souza gratuitamente deu um carrinho num jogador corintiano e levou cartão amarelo. Em seguida, foi substituído por Maylson. Veio então a explicação: ele forçou o terceiro cartão amarelo, assim, ficará disponível para o Grenal de domingo. Maylson recebeu lançamento MAGISTRAL de Tcheco, porém, concluiu mal. Ou seja, se já foi goleada, poderia ter sido ESTRONDOSA.

Mano Menezes AGRADECEU a Paulo Autuori pela PIEDADE. Eu já penso que foram apenas ordens para se poupar.

Não dá para esquecer alguns pontos defeituosos no Grêmio. Por exemplo, ficou mais que evidente que Thiego não é lateral. Não insistam. A atuação dele foi péssima, graças a Deus o grupo compensou sua deficiência. Espero que Autuori já coloque Joilson em seu lugar, imediatamente, no jogo de quarta-feira contra o Coritiba. Souza foi mal, não a ponto de comprometer e também teve sua parcela de “culpa” pelo terceiro gol do Grêmio. Mas errar gol como ele errou é inaceitável. Precisa se focar mais e parar de querer enfeitar as jogadas.

Com a vitória, o tricolor foi a 15 pontos, 6 atrás do líder Atlético Mineiro. Agora ocupamos a sexta colocação. A meta de entrar no G4 depois do Gre-Nal é perfeitamente cabível. Se vencer a próxima rodada, poderá ir para 5º, porém, muito perto dos líderes. Vencer o Gre-Nal será o caminho para a aproximação definitiva do pelotão de cima.

Adversários, TREMEI. O Grêmio voltou.





Sorrisos em todas as bocas

7 07 2009

No Rio Grande do Sul, os torcedores de Grêmio e Internacional, que andavam deprimidos e cabisbaixos por suas desclassificações na Copa Libertadores e na Copa do Brasil, respectivamente, voltaram a sorrir. Os vermelhos estão particularmente FACEIROS pois, além de vencerem fora de casa, alcançaram a liderança isolada do CERTAME, já que o Atlético Mineiro VACILOU diante de outro alvi-negro, empatando em 1×1 com o Botafogo em pleno Mineirão lotadíssimo.

Goleada platina

de que cor é o céu? hein? hein? (foto: Roberto Vinícius / Ag. Free Lancer/Futura Press)

"de que cor é o céu? hein? hein?" (foto: Roberto Vinícius / Ag. Free Lancer/Futura Press)

Não pude ver o jogo inteiro, pois estava na cidade que não sorriu, pois seus times foram derrotados em suas respectivas séries (B e C). Entrei no carro para ligar o rádio e saber do jogo às 16:20, mais ou menos, e no momento que liguei o rádio, o Pedro Ernesto gritou aquele “gol” chocho, o que evidenciava que era o Atlético que marcava. Comecei a esbravejar, admiti que era um pé-frio, “jurei” nunca mais ouvir jogo, etc etc, pro DELEITE da Gra, secadora. Até o momento que o mesmo Pedro anunciou que estava 3×1 para o Grêmio. Obviamente, meu queixo caiu até o NÚCLEO DE MAGMA da Terra.

Ok. Contada esta historinha, vamos ao que interessa. Tirando os primeiros 20, 25 minutos de jogo, quando o Grêmio abriu a vantagem ABSURDA de 3×1, o time tirou o pé e ficou administrando. Mas não de um jeito bom, já que exercia a marcação de forma deficiente. O segundo tempo foi CHATO. O gol derradeiro de Herrera parecia mais achado do que feito (ns).

Com a vitória, o tricolor subiu 5 posições, indo para a 9ª, mas podendo ser ultrapassado por Corinthians ou Fluminense, que ainda jogarão pela rodada, nesta quarta-feira (inexplicável, já que haverá o 1º jogo da final da Libertadores na mesma data e horário). O empate entre os dois manterá o Grêmio na mesma posição. O Atlético Paranaense permanece na zona de rebaixamento, com 8 pontos.

Não vejo ninguém na minha frente

A desgastada piada, tão comum no ano passado, quando o Grêmio liderou o campeonato por mais de 20 rodadas, passa para o lado do aterro do Guaíba. Com a vitória de 2×0 sobre o Náutico, em CAPIBARIBE (a.k.a. Recife), o colorado alcançou os 20 pontos, contra 18 do Atlético Mineiro, segundo colocado.

Este jogo eu consegui ver na íntegra. Mas estava chatíssimo, com o Inter jogando extremamente mal e o Náutico, jogando normalmente (ou seja, pior ainda). O árbitro do jogo foi Marcelo de Lima Henrique, o mesmo que apitou Sport x Grêmio na semana anterior, na mesma Recife. Porém, desta vez, em vez de beneficiar o time da casa, acabou ajudando o Internacional em duas ocasiões. Numa, um pênalti inexistente, o Inter desperdiçou a chance de abrir o marcador ainda na primeira etapa, com D’Alessandro (de atuação patética, mais uma vez). Outro jogador que se ESCONDEU em campo foi Taison, que parece estar sentindo medo de se lesionar, ou algo do estilo.

Porém, apesar dos pesares, o Inter jogava melhor que o Náutico e tinha mais posse de bola e construia as melhores chances de gol, que foram poucas. Foi um jogo realmente ruim de se ver.

O segundo erro do árbitro foi o que originou o segundo gol do Inter (e de Nilmar), já que o camisa 9 colorado estava voltando de posição de impedimento quando houve o passe de Andrezinho. Os auxiliares comeram mosca e Nilmar, não. Acredito que a massa vermelha esteja mais preocupada do que nunca com a iminente saída do centroavante, já que os demais atacantes não andam jogando tão bem.

Outras milongas

Além do mencionado 1×1 entre Atlético Mineiro e Botafogo, que foi muito comemorado pela torcida colorada, também chamou a atenção a derrota de 2×0 do São Paulo para o Coritiba, no Couto Pereira, que deixa o tricolor paulista com a sua pior campanha da era dos pontos corridos, pelo menos nestas primeiras 9 rodadas. Já o coxa conseguiu alcançar o próprio São Paulo com a vitória, e deixar a zona de rebaixamento um pouco mais distante de si.

Outro resultado impressionante foi a goleada do Palmeiras sobre o Avaí por 3×0, na Ressacada, em Florianópolis. Com o resultado o alviverde imponente mantem a perseguição aos líderes, com 16 pontos, na quarta colocação. O clube catarinense amarga a lanterna da competição, porém, muito próximo dos demais (por enquanto).

Segue tabela de jogos e placares, além da classificação atualizada, faltando uma partida para o fechamento da rodada.

Tabela Portugues 9r

classificacao 9r

Classificação: extraída do site Globoesporte.com.





Post da rodada

6 07 2009

Aguardarei até quarta-feira para finalizar meu post da rodada, já que ela fechará com Corinthians x Fluminense naquela data. Mas já adianto que gremistas e colorados tem motivos para sorrir, já que ganharam bem seus jogos. Ainda mais os colorados, que agora são líderes isolados.





Análise da discografia do Ramones (parte 2)

6 07 2009

End of the Century (1980)

Um marco, de um novo estilo, de um novo Ramones. Se é melhor ou não, é irrelevante. É novo, apenas.

PÉSSIMA capa. Absolutamente brega.

PÉSSIMA capa. Absolutamente brega.

Esse disco foi produzido por Phil Spector, conhecidíssimo e badaladíssimo produtor, conhecido inclusive por ter lançado Let it Be, dos Beatles, entre outros. O forte de Spector era o pop. Evidentemente, esta foi a roupagem sugerida para o novo trabalho dos Ramones, muito pouco a ver com o ainda cru (e não menos EXCELENTE) Road to Ruin, seu antecessor. Imagino que, na época, muitos fãs de Ramones devem ter ficado um pouco decepcionados com este álbum, pois a mudança exagerada na musicalidade deve ter sido chocante para os aficcionados. Porém, o disco tem muito valor, com várias faixas de excelente qualidade.

Não consigo julgar negativamente a tentativa dos Ramones de buscar espaço maior junto às rádios e, por que não dizer, vender mais e faturar mais. E no final das contas, o álbum ficou ótimo com a melhoria dos arranjos e complexidade das músicas. Eu, pelo menos, gostei muito deste esforço em fazer algo melhor para nós. Mais adiante eles veriam que seria possível fazer algo MUITO MELHOR simplificando as coisas.

– lançamento: 4 de Fevereiro de 1980 (10 dias depois do meu nascimento)
– formação: Joey (vocais), Johnny (guitarra), Dee Dee (baixo e vocais) e Marky (bateria)
– faixas:
1. Do You Remember Rock ‘n’ Roll Radio?: foi feita para ser um sucesso. E foi. O som é orquestrado, algo ULTRA INÉDITO na história da banda, além de ter vários detalhes interessantes, como o início com som radiofônico. EXCELENTE (apesar disso, digam o que quiserem, mas eu prefiro a versão do “Loco Live”).
2. I’m Affected: tenho a sensação que este é um daqueles sons que eram para ser mais do que foram de fato. Pode ser LOUCURA da minha TÊTE, mas eu noto uma semelhança incrível nos arranjos desta música com os da primeira faixa de Road to Ruin, “I Just Want to Have Something to Do”. Mesmo assim, é uma faixa de grande qualidade. Ótima.
3. Danny Says: nada a ver com o Ramones clássico. É uma baladinha. E daí? Eu gosto particularmente da progressividade da guitarra e de todos os instrumentos do início ao meio da faixa, fica, sei lá, emocionante. EXCELENTE.
4. Chinese Rock: eu tendo a gostar sempre mais das músicas que foram escolhidas para “Loco Live”. Mas este som é muito massa, punk, mas evoluído, com até uns solinhos de guitarra (vê se pode!). Uma das melhores coisas que este álbum nos trouxe. EXCELENTE.
5. The Return of Jackie and Judy: é, literalmente, uma continuação da faixa “Judy is a Punk”, do álbum de estreia, “Ramones”. Deveriam ter feito no mesmo estilo da primeira, inclusive com a gravação estilo “antigo”. Boa.
6. Let’s Go: eu podia viver sem ela. Mais ou menos.
7. Baby I Love You: uma música assinada pelo produtor, Phil Spector. É uma balada romântica. Porque punks também dançam de rostinho colado. Não vou dizer que é a melhor faixa do disco, mas aprecio o fundo orquestrado e os solos de VIOLINO desta faixa. EXCELENTE.
8. I Can’t Make It On Time: ok, vamos voltar ao punk. Mas em doses homeopáticas. Ótima.
9. This Ain’t Havana: Ba-ba-banana. Este é um som ba-ba-bacana. Ótima. (podem me matar agora)
10. Rock ‘n’ Roll High School: outro clássico locolaivano. Simples, uma música que mantém a base punk da banda, retornando aos anos 60 e dando um clima “escolar”. Tenho certeza que este som foi FEITO para ser um HIT. E deve ter conseguido. Com toda a razão, pois é EXCELENTE e é a melhor faixa do disco (será que as explosões no final são BOMBAS na escola?).
11. All The Way: muito muito boa. Ótima, na verdade.
12. High Risk Insurance: o refrão desta faixa destoa do resto do som. Mas isso não é ruim. Ótima.

Pleasant Dreams (1981)

Os Ramones não poderiam perder o ritmo de um disco por ano. Porém eles demoraram o ABSURDO (irony mode on) de UM ANO E MEIO para lançar o trabalho seguinte a “End of the Century”. E eles não contavam mais com Phil Spector, sei lá por que. Mas o resultado não foi NADA ruim. Pelo contrário, conseguiram fazer um disco impecável, talvez o melhor de todos os discos do Ramones. Mantiveram a complexidade, mas eliminaram os arranjos orquestrados e bobajeiras deste tipo. Quer dizer, voltaram a ser um pouco mais Ramones.

– lançamento: Julho de 1981
– formação: Joey (vocais), Johnny (guitarra), Dee Dee (baixo e vocais) e Marky (bateria)
– faixas:
1. We Want the Airwaves: seria um protesto pela falta de espaço nas rádios americanas? O fato que este som é muito bem elaborado, forte, incisivo. Se eu fosse um alto executivo do setor, provavelmente seria induzido a liberar, sei lá, 50 INSERÇÕES por dia só desta faixa, na minha rádio. EXCELENTE.
2. All’s Quiet on the Eastern Front: simples, mas sem deixar de ser ótima.
3. The KKK Took My Baby Away: impossível não CHORAR quando ouço este som. EXCELENTE. Muito perfeita. É, sem dúvida, a melhor do disco, apesar de ter uma CARALHADA de músicas excelentes. Ainda que a Wikipedia diga Joey escreveu este som porque Johnny teria “roubado” uma namorada dele…
4. Don’t Go: impressionante a capacidade dos Ramones em fazer sons românticos mantendo a punquidade. EXCELENTE.
5. You Sound Like You’re Sick: massa o “oooo”, que tem ao final de cada frase. E as palmas? EXCELENTE.
6. It’s Not My Place (in the 9 to 5 world): Joey não quer que os Ramones percam sua identidade. Nem nós. Legais as batidas deste som. Legal tudo desta faixa, pensando bem. EXCELENTE.
7. She’s a Sensation: se me dessem duas palavras para descrever este som, sem dúvida eu usaria “DO CARALHO”. Mas, como tenho mais, posso dizer que é uma balada punk muitíssimo bem arranjada. Outro som para chorar. De prazer. E ainda está sendo usada na trilha do filme brasileiro “A Mulher Invisível”, que está em cartaz neste momento – parece até que eles sabiam que eu estava fazendo esta série de posts… EXCELENTE, claro.
8. 7-11: hoje a música se chamaria 7-Eleven, pois é assim que a rede de lojas de conveniência citada na música se apresenta nos tempos atuais. Balada romântica um pouco menos punk que a anterior. Grande coisa. EXCELENTE.
9. You Didn’t Mean Anything to Me: vamos voltar um pouco ao punk. Mas sem perder a qualidade. EXCELENTE.
10. Come On Now: muitas palmas neste som. Tchê, os Ramones estavam realmente muito inspirados neste disco, impressionante. EXCELENTE.
11. This Business Is Killing Me: uma faixa meio diferente do que vínhamos ouvindo. Não chega a ser excelente, classifico-a como ótima, mas não faltava tanto.
12. Sitting in My Room: uma música ótima para fechar muito bem um disco perfeito.

Nada menos do que 9 músicas Excelentes e 3 Ótimas neste álbum. Ainda não sei se este feito será superado por outro álbum (estou classificando na medida que vou escrevendo). Duvido.

Subterranean Jungle (1983)

Subterranean Jungle é mais punk que Pleasant Dreams. Para os fãs de punk simplesmente, deve ter sido uma boa notícia, pois devem ter detestado o disco anterior. Mas eu, que gostei PROFUNDAMENTE de “Pleasant”, também gostei do trabalho seguinte dos Ramones. Não dá pra negar que os anos 80 estavam pegando forte no trabalho deles e os elementos eletrônicos começavam a despontar, mesmo que sutilmente (em Too Tough To Die eles explodirão, aguardem).

– lançamento: Maio de 1983
– formação: Joey (vocais), Johnny (guitarra), Dee Dee (baixo e vocais) e Marky (bateria)
– faixas:
1. Little Bit O’Soul: um cover, bem executado. Ótima.
2. I Need Your Love: outro cover, não muito punk ainda, com um coro no refrão. Uma batida meio repetitiva, sem perder a ternura, no entanto. Ótima.
3. Outsider: agora sim, punk na veia. Rola até um vocal do Dee Dee, muito massa. Ótima.
4. What’d Ya Do?: coo coo coo coo? Ótima.
5. Highest Trails Above: ouvindo este som lembro bastante dos primeiros discos. É sempre uma ótima lembrança. Ótima.
6. Somebody Like Me: os primeiros acordes são de Blitzkrieg Bop. Depois o som parte para algo bem diferente, bem musical. A letra diz muito: “I’m just a guy who likes Rock ‘n’ Roll, I’m just a guy who likes to get drunk, I’m just a guy who likes to dress punk”. Dá vontade de dizer: “me too!” EXCELENTE.
7. Psycho Therapy: eu já falei que tenho uma quedinha pelas músicas do “Loco Live”. Mas, não só por isso, este som é punk puríssimo, violento, DESLEAL (ns). EXCELENTE.
8. Time Has Come Today: outro cover. Não gostei muito. Mais ou menos.
9. My-My Kind of a Girl: balada romântica, mas sem perder a distorção da guitarra. Eu sou um cara romântico, que posso dizer? EXCELENTE, a melhor do disco.
10. In The Park: lindo trabalho, devemos dizer. EXCELENTE.
11. Time Bomb: toda cantada por Dee Dee. Mandou bem, só não precisava dizer “I’m gonna kill my mom and dad”, vai que alguém resolva seguir a “dica”? Ótima.
12. Everytime I Eat Vegetables It Makes Me Think of You: maior nome de música possível. E te digo que a música é, digamos, GRANDIOSA. A letra é muito massa. Eu achei EXCELENTE.

“Stay tuned for more rock ‘n’ roll”, já dizia Rock ‘n’ Roll Radio. Continuem sintonizados que logo logo sai a continuação desta saga impiedosa.