Protetor

17 09 2011

Por sugestão de uma conhecida minha, resolvi pesquisar o significado de meu nome e do nome da minha esposa. Olhei dois sites numa pesquisa Google e, pra diminuir a chance de erro, não consultei simplesmente os dois primeiros – fui no primeiro e no quinto ou sexto (não lembro direito a ordem). O resultado foi praticamente idêntico então, acho que está certo.

O nome Grasiela (num dos sites só dava resultado “Graziela” o que deve significar a mesma coisa) tem origem latina e significa “graça” ou “alegria”. Já o nome Gustavo tem origem sueca – significando “bastão de combate”. Vejam a utilidade dessa informação – a partir de agora muita gente começará a apelidar suas genitálias com o meu nome.

Mas este é apenas um pano de fundo para comentar sobre um terceiro nome que pesquisei, nestes mesmos sites e que deram o mesmo significado. A origem deste nome é alemã e significa “protetor”, ou “aquele que protege”.

Estou falando do nome GUILHERME.

O porquê disso?

Porque será o nome do nosso BEBÊ! \o/

Sim, demorou bastante, demais para sabermos disso. Com 11, 12 semanas de gestação fizemos a eco de translucência nucal e, embora as questões físicas e de bem-estar do bebê estivessem todas EXCELENTES naquela ocasião, ainda não era possível determinar o sexo do bebê. Mas a médica disse que o ângulo era favorável a ser uma menina. Não sei porque ela foi dizer isso…

Passamos várias semanas com a ideia de que teríamos uma menina, embora a médica tenha dito desde o início que isso não era conclusivo. É o tipo de informação que é difícil de lidar. Quando a gente sabe que vai ter um bebê, também sabe que a chance de ser menino ou menina é sempre a mesma. Quando ela nos deu aquela informação, a relação passou a 70/30 em favor do sexo feminino.

Provavelmente com umas 15 semanas de gestação já seria possível visualizar com clareza o sexo do nosso bebê, mas a ecografia seguinte estava marcada para as 20 semanas – ou seja – na última quarta-feira. Verdade: estávamos subindo pelas paredes para saber se era um PIPO ou uma PIPA.

Foi uma eco 3D – a riqueza de detalhes é impressionante. Não é aquela imagem mal definida que o médico insiste em dizer que é um feto embora a gente não saiba reconhecer nada. Esse exame mostra tudo e realmente não ficaram dúvidas – nós pudemos ver a DOCUMENTAÇÃO do Gui em váaarios ângulos.

Apesar das inúmeras imagens do rosto, mãozinhas, pezinhos e outras coisinhas mais, a imagem que mais me emocionou, de novo, foi ver e ouvir seu coração batendo… 148 por minuto, quase a velocidade que o meu ficou depois de ouvir isso (mentira).

Às vezes eu me pergunto quanto bom pai eu poderei ser – se saberei fazer as coisas certas, dar as instruções corretas, garantir um caminho tranquilo para a vida adulta e ajudá-lo mesmo depois disso – sempre enquanto estivermos por perto. Não posso ter certeza de que serei um ótimo pai, mas sei que serei o melhor que eu puder ser.

Nossa função será proteger bem o PROTETOR, deixá-lo aquecido, seguro, alimentado e feliz. Para que possa ajudar a PROTEGER o mundo e deixá-lo melhor.

Gui, o mundo já é muito melhor, simplesmente porque tu vais estar conosco logo em breve. Obrigado por existir.

Anúncios