Sangue nos olhos – uma necessidade

22 06 2009

Não tenho dúvidas de algo que falta ao Grêmio para que sua campanha finalmente deslanche neste campeonato brasileiro que, após 7 rodadas, torna-se uma tarefa quase impossível para o tricolor gaúcho: SANGUE NOS OLHOS. Afinal, entrar em campo contra um enfraquecido Goiás, diante de seus torcedores (novamente abaixo da média dos últimos anos) e ter que empatar a partida aos 46 DO SEGUNDO TEMPO é algo inaceitável.

O Grêmio não foi dominado pelo Goiás em nenhum momento da partida, pelo menos a partir dos 30 minutos do primeiro tempo, quando comecei a assistir a contenda. Também não dominou o esmeraldino (e aí reside o problema). O tricolor foi a campo com um time misto, PERO NO MUCHO, já que apenas 4 titulares estavam ausentes da formação inicial. Joílson não funcionou como armador e deverá voltar a exercer somente a função de lateral direito. Os volantes estavam aéreos. A zaga estava bem, até sofrer dois gols em falhas bobas. O ataque, totalmente inoperante – Jonas voltou muito mal ao time. Tcheco, o chiliquento de costume, que tomou um cartão amarelo idiota no final do primeiro tempo e pouco fez para melhorar o desempenho do time. Mais uma prova de que este jogador não deveria assumir função de líder do grupo, muito menos de SOLUÇÃO para os problemas ofensivos. É útil sim, mas não é o CABEÇA.

calaboca corneteiro, não viu que eu marquei um gol?

"calaboca corneteiro" (Roberto Vinicius/Futura Press)

Os 4 gols aconteceram todos no segundo tempo, depois que Paulo Autuori decidiu sacar Adilson para a entrada de Rafael Marques, alterando a formação do time dos 4-4-2 para o retorno dos 3-5-2. Não deu certo. A defesa passou a postar-se de forma um pouco mais desorganizada e permitiu os gols do Goiás. Depois do primeiro, que veio de uma cobrança rápida de falta, não interceptada pelos zagueiros gremistas, o Grêmio empatou rapidamente, através de pênalti sofrido por Herrera e convertido por Tcheco.

Quando se imaginava que a normalidade voltaria e o Grêmio poderia, enfim, virar o marcador, Réver (que raramente falha) entregou um gol para o Goiás. A partir daí, foi o desespero. Maxi Lopes entrou no lugar de Jonas, mas pouco conseguia fazer, pois a bola não chegava até ele (o Goiás evidentemente passou a fazer um retrancão dos diabos). Porém, após os 45 da segunda etapa, o Grêmio mandou um chuveirinho pra área, um zagueiro esmeraldino tocou de cabeça para trás e o LOIRÃO não perdoou, empatando o jogo.

O tricolor marca passo mais uma vez, em casa e vê o líder distanciar-se em 8 pontos, quase o dobro dos 9 anotados pelo Grêmio até agora. É improvável que tenha algum êxito na busca pela liderança, mas nunca se sabe. Na temporada 2008, o São Paulo tinha apenas 3 pontos a mais no final da 7ª rodada, e os 3 líderes tinham 16 pontos na ocasião.

Último minuto salva

Além do Grêmio, outros times fizeram-se valer do último minuto para mudar seus resultados. O Palmeiras estava perdendo por 2×1 pro Atlético Paranaense quando Keirrison marcou o gol de empate aos 47.

atlético é meu freguês

"atlético é meu freguês" (Cesar Greco/FotoArena/Gazeta Press)

Num jogo de muitos gols, o Vitória conseguiu a vitória (redundância eterna) aos 44′ da etapa final, sacramentando 4×3 contra o Botafogo. Também no sábado, assim como os outros 3 jogos citados acima, o Santo André venceu o Sport por 2×1. Adivinhem quando saiu o gol salvador da equipe do ABC? QUATRO SETE. Sim, dos seis jogos do sábado, somente um não teve esta característica (Náutico 0x1 Coritiba). Pois o glorioso Avaí conseguiu sua primeira vitória no CERTAME, marcando o quarto gol NOS ACRÉSCIMOS. 4×3 contra o Fluminense.

Melhor elenco?

O Flamengo, do chorão CUCA, conseguiu afastar a INHACA metendo QUATRO GOLOS no desfalcado Internacional. Adriano “90 é meu peso ideal” Imperador marcou 3 e começa a pensar em artilharia. Assisti todo este jogo e posso dizer que o Inter esteve irreconhecível. O jogo acabou 4×0.

tou gordo, mas tou na MODA

"tou gordo, mas tou na MODA" (Alex Carvalho/Agip/Gazeta Press)

Bom para o Atlético Mineiro, que venceu o Santos por 3×2 EM SANTOS e assumiu a liderança isolada, com 17 pontos, 3 atrás do colorado. Parabéns para Djalma Beltrami, que provou uma vez mais ser o MELHOR ÁRBITRO DO BRASIL.

Quero ver o ROTHWEILER reclamar da arbitragem, agora.

Fechando meus comentários sobre os jogos da rodada, o São Paulo levou 3×1 do Corinthians e mostrou que nada tem a ver com o tri-campeão dos últimos anos. E o Cruzeiro, jogando com um time quase titular, levou 4×2 do Barueri, em CASA. Sim, este foi o maior fiasco da rodada, sem dúvida.

Jogos da 7ª rodada:

Campeonato Brasileiro – Série A – 7ª Rodada
Data Hora Cidade Estádio Jogo
20/06 16:10 Curitiba Arena da Baixada Atlético Paranaense 2 x 2 Palmeiras
20/06 16:10 Salvador Barradão Vitória 4 x 3 Botafogo
20/06 16:10 Santo André Bruno José Daniel Santo André 2 x 1 Sport
20/06 18:30 Porto Alegre Olímpico Grêmio 2 x 2 Goiás
20/06 18:30 Recife Aflitos Náutico 0 x 1 Coritiba
20/06 18:30 Florianópolis Ressacada Avaí 3 x 2 Fluminense
21/06 18:30 São Paulo Pacaembu Corinthians 3 x 1 São Paulo
21/06 18:30 Santos Vila Belmiro Santos 2 x 3 Atlético Mineiro
21/06 18:30 Rio de Janeiro Maracanã Flamengo 4 x 0 Internacional
21/06 18:30 Belo Horizonte Mineirão Cruzeiro 2 x 4 Grêmio Barueri

E a classifcação, APTCHUDEIT:

Clube P J V E D GP GC SG %
Atlético-MG 17 7 5 2 0 17 7 10 81
Internacional 14 7 4 2 1 7 6 1 67
Vitória 13 7 4 2 1 9 7 2 62
Palmeiras 12 7 3 2 2 11 9 2 57
Corinthians 11 7 3 2 2 8 6 2 52
Flamengo 10 7 3 1 3 10 13 -3 48
Barueri 10 7 2 4 1 13 10 3 48
Santo André 10 7 2 4 1 12 10 2 48
Grêmio 9 7 2 3 2 9 6 3 43
10º Santos 9 7 2 3 2 16 14 2 43
11º Fluminense 9 7 2 3 2 6 8 -2 43
12º Náutico 8 7 2 2 3 9 13 -4 38
13º Goiás 8 7 1 5 1 13 12 1 38
14º Coritiba 7 7 2 1 4 12 13 -1 33
15º Cruzeiro 7 7 2 1 4 8 13 -5 33
16º São Paulo 7 7 1 4 2 7 7 0 33
17º Avaí 7 7 1 4 2 9 11 -2 33
18º Botafogo 6 7 1 3 3 8 10 -2 29
19º Sport 5 7 1 2 4 10 12 -2 24
20º Atlético-PR 5 7 1 2 4 8 15 -7 24
Campeonato Brasileiro – Série A – 7ª Rodada
Data Hora Cidade Estádio Jogo
20/06 16:10 Curitiba Arena da Baixada Atlético Paranaense 2 x 2 Palmeiras
20/06 16:10 Salvador Barradão Vitória 4 x 3 Botafogo
20/06 16:10 Santo André Bruno José Daniel Santo André 2 x 1 Sport
20/06 18:30 Porto Alegre Olímpico Grêmio 2 x 2 Goiás
20/06 18:30 Recife Aflitos Náutico 0 x 1 Coritiba
20/06 18:30 Florianópolis Ressacada Avaí 3 x 2 Fluminense
21/06 18:30 São Paulo Pacaembu Corinthians 3 x 1 São Paulo
21/06 18:30 Santos Vila Belmiro Santos 2 x 3 Atlético Mineiro
21/06 18:30 Rio de Janeiro Maracanã Flamengo 4 x 0 Internacional
21/06 18:30 Belo Horizonte Mineirão Cruzeiro 2 x 4 Grêmio Barueri




Fogo controlado

9 12 2008

A última rodada do campeonato brasileiro começou tensa por motivos extra-campo – a polêmica em torno da suposta tentativa de suborno ao árbitro Wagner Tardelli, que apitaria Goiás x São Paulo (acabou sendo substituído às pressas pela CBF). Também houve alguns incidentes no jogo supra-citado, que ocorreu no estádio do Gama, no Distrito Federal – um torcedor foi baleado, o São Paulo “adonou-se” do vestiário principal do estádio (o mandante do jogo era o Goiás), etc.

Mas dentro das quatro linhas, a última rodada foi quase previsível. Alguns poucos resultados foram considerados “zebras”, mas que pouco alterariam as definições, caso fossem invertidos. Talvez a maior surpresa da rodada, se é que dá pra usar este termo, foi a derrota em casa do Palmeiras, que passou da terceira para a quarta posição perdendo, assim, sua vaga direta à fase de grupos da Libertadores.

Nem por isso esse é um fato que tirará o sono dos alviverdes, pois seu adversário na fase qualificatória será uma equipe boliviana, país que raramente forma times competitivos. No entanto, vencendo o confronto, o Palmeiras será incluído em um grupo difícil – com o Sport Recife, Chile 2 (ainda não definido) e o atual campeão, a Liga Deportiva Universitária, de Quito.

Mas falarei sobre a Libertadores mais adiante.

Como falei antes, o SPFC venceu seu jogo contra o Goiás, por 1×0 e sagrou-se hexacampeão brasileiro (tricampeão em sequencia – ambos fatos inéditos no país), com 3 pontos de vantagem sobre o Grêmio, que também venceu seu jogo, contra o Atlético Mineiro, por 2×0.

Boring.

Boring.

Em uma disputa que prometia ser acirrada e emocionante, as duas vagas restantes para a Libertadores foram definidas de forma quase melancólica. Muito cedo, o Atlético Paranaense abria 2×0 sobre o Flamengo. Ainda que o rubro-negro carioca fizesse menção de reagir, através de pênalti, o Paranaense ampliou novamente a vantagem, anotando 3×1. O Flamengo ainda conseguiu diminuir a vantagem no primeiro tempo, com Marcelinho Paraíba. Mas, na segunda etapa, o Atlético marcou duas vezes e o Flamengo só conseguiu diminuir nos acréscimos, consolidando um placar de 5×3 e a não-classificação do Flamengo para a Libertadores.

Enquanto isso, o Palmeiras conseguia, novamente, perder seu último jogo em casa no campeonato (a exemplo de 2007), desta vez para o Botafogo. Porém, diferentemente do ano passado, essa derrota não lhe custou a vaga para a Libertadores, que ficou assegurada com a derrota do Flamengo. Porém, como disse acima, perdeu o terceiro lugar e a vaga direta à fase de grupos, que ficou com o Cruzeiro, que ganhou da rebaixada Portuguesa por 4×1, de virada.

A zona de rebaixamento foi igualmente, previsível, pero no mucho: o Vasco fez a façanha de perder seu último jogo em casa, para o Vitória, por 2×0. Mesmo que tivesse vencido, o cruzmaltino não conseguiria manter-se na primeira divisão, devido aos resultados paralelos. Com a vitória do Atlético Paranaense e Figueirense e o empate do Náutico, o Vasco estava condenado. Com o rebaixamento, o único clube grande carioca que ainda não terá visitado o limbo será o Flamengo (até quando?).

Já o Figueirense venceu o Inter, de virada, por 3×1, mas torcia por um golzinho do Santos, que rebaixaria o Náutico em seu lugar. Como isso não aconteceu, o Figueira empatou em pontos com o clube pernambucano, porém, com saldo de gols muito inferior. Com isso, não poderá editar clássicos com seu tradicional rival de Florianópolis, o Avaí, que jogará a Série A em 2009.

Com a conquista da Copa Sulamericana pelo Internacional, abriu-se mais uma vaga para times brasileiros, já que o campeão da edição 2008 está automaticamente classificado para a edição 2009 do torneio continental. Este fato gerou uma situação ainda mais bizarra, já que apenas DOIS clubes ficaram sem nenhum tipo de gratificação pelo não-rebaixamento: Náutico e Santos. Portanto, com a vitória sobre o Flamengo, o Atlético Paranaense salvou-se do rebaixamento e, de quebra, classificou-se para disputar o torneio mais desejado pela menor metade do Rio Grande do Sul.

Jogos da última rodada:

tabela-portugues1

E a classificação final do campeonato:

classificacao1

Agora é FÉRIAS do campeonato brasileiro, que vinha exaurindo minhas energias. Fazendo uma análise pós-campeonato, é evidente que, ou tu tens um time REALMENTE bom, competitivo, com chance de ser campeão com folga, ou tu morres a cada rodada. São 38 potenciais infartos.

Fez certo o Inter, ao optar pela solução mais simples. Os torcedores colorados estavam tranquilos em relação ao campeonato brasileiro desde, sei lá, a 22a rodada. Sabiam que não havia mais chance. Assim, optaram pela sulamericana, torneio rápido. Levantar um caneco e garantir uma passeata.

Já o Grêmio tentou o longo e tortuoso caminho das pedras do campeonato brasileiro. Desacreditado e tido como um time de “mata-mata” somente, era improvável que o tricolor fosse sair campeão brasileiro. Porém, liderou por mais de 20 rodadas e chegou a ter 11 pontos de vantagem sobre o atual campeão. Obviamente, o segundo turno foi pior do que o primeiro, mas não muito pior. Já o segundo turno são-paulino foi ABSURDAMENTE bom.

Enfim, fico feliz de poder torcer pelo Grêmio no próximo ano, na Libertadores. Evidentemente essa é a prioridade um, máxima e indiscutível. Porém, gostaria muito de que isso não prejudicasse o desempenho nas primeiras rodadas do campeonato brasileiro, permitindo ao Grêmio manter-se entre os primeiros e, quem sabe, novamente disputar o título. Pensar grande é pré-requisito para as grandes conquistas.





Não foi a melhor noite brasileira

25 09 2008

Os três clubes brasileiros que estiveram em campo ontem, para disputar suas partidas de ida das oitavas-de-final da Copa Sulamericana não tiveram bom desempenho.

te gusta la cumbia?

"te gusta la cumbia?"

O Botafogo perdeu por 1×0 para o América de Cali, na CÁLIDA cidade colombiana. O América já não é mais aquele time temido da década de 80, mas é sempre um grande clube, com a maior torcida de seu país. Mesmo assim, penso que o Botafogo terá condições de inverter o placar na partida seguinte, no Engenhão, na próxima quarta-feira (1/10).

quer brincar de azulzinho?

"quer brincar de azulzinho?"

Tchê… eu admito que NÃO ASSISTI a nenhum dos jogos. Nem poderia, pois tinha dilatado minhas pupilas e cada raio de luz me LANCINAVA. Mas imagino que não perdi nada ao deixar de admirar o Palmeiras enfrentando, com equipe reserva, o time do ÁNCASH. A pronúncia do nome do minúsculo clube peruano deve ser semelhante a um carioca citando a região abaixo da cintura feminina. Especialmente considerando que 0x0 geralmente significa jogo ruim de se ver – nem sempre é assim.

Se bem que um jogo onde um zagueiro se chama REGALADO sempre é interessante de se assistir.

O empate deixa o Parmera tranquilito no más, podendo enfrentar o clube peruano com um misto de flanelinhas e os tiozinhos que cortam a grama do Palestra Itália, no jogo de volta que será também na próxima quarta-feira. Basta Vandeca colocar os velhinhos no ataque que a goleada está garantida.

O melhor resultado brasileiro da noite foi o empate em 2 gols entre Chivas Guadalajara e Atlético Paranaense, no Jalisco. Inclusive, o Atlético esteve na frente por duas vezes, mas o Chivas insistia em empatar. E o time paranaense, SENSAÇÃO do campeonato brasileiro, repleto de reservas, volta pra casa com um resultado SUPIMPA, bastando empate em até um gol para a classificação às quartas-de-final.

Hoje teremos Universidad Católica x Inter, no estádio San Carlos Apoquindo, às 22:15 (ZzzzZZZz). O Inter deve jogar com apenas 3 titulares, a exemplo do que fizeram TODOS os outros times brasileiros nesta fase. Isso se chama VALORIZAÇÃO DA COMPETIÇÃO.

O Inter é famoso entre os chilenos, especialmente por ter abrigado o grande ídolo Figueroa, em sua melhor fase. Eu pude constatar este fato pessoalmente, quando estive em Santiago, ano passado. Figueroa, inclusive, disse estar com o coração dividido entre o Inter e a Católica, pois ama o ex-clube mas pensa também no clube chileno, etc. Isso é no mínimo ESTRANHO, pois o homem nunca vestiu a camiseta da UC, entre os 4 clubes de seu país que já contaram com seu futêbol. Provavelmente DON ELIAS esteja querendo ser presidente do Chile.





Mas que bah

22 09 2008
Heuler Andrey, AE)

"caray, ese arquero parece que es hecho de hielo" (foto: Heuler Andrey, AE)

O Atlético-PR estava disposto a devolver 2004. E Galatto estava disposto a mostrar que é o Grêmio que tem que ser eternamente grato a ele e não o contrário. Um dia após a comemoração de 173 anos do início de uma guerra perdida, Bento Manuel deu o ar da graça.

Não assisti o jogo, estava no cinema (= média com a esposa). Mas ouvi quase o jogo inteiro, no rádio. Pelo o que pude perceber – não podemos nos esquecer que a narração muitas vezes não condiz com a realidade futebolística – o Grêmio foi amplamente superior ao Atlético, com muito mais chances de gol, algumas “imperdíveis” (= Perea). Vitor teve umas duas participações importantes, enquanto Galatto teve umas 5 ou 6 incorporações de KAROL WOJTYLA.

habemus golerum

"habemus golerum"

No finalzinho do jogo, Alício Pena Júnior parecia arrependido de ter marcado um pênalti a favor do Grêmio, no Grenal do primeiro turno e resolveu suprimir o direito de fazer uma cobrança da marca da cal, quando Zé Antônio DEU NO MEIO de Soares, no finalzinho do jogo. O empate foi injusto, portanto. Mas o Grêmio, aparentemente, demonstrou estar LIGADAÇO e buscou a vitória no jogo inteiro. Importante é continuar jogando assim. Mas é lamentável que o tricolor não tenha buscado um lateral-esquerdo como CANSEI DE DIZER. As duas opções disponíveis para Celso Roth são péssimas. Pico foi o pior em campo, na tarde de ontem.

Marco Antonio Pereira, narrador da Rádio Gaúcha, disse PELO MENOS UMAS 74 VEZES, que o resultado deixaria o Grêmio somente 1 ponto à frente do Palmeiras. Depois ele se lembrava de explicar que isso só aconteceria se o Palmeiras vencesse seu jogo contra o Vasco. O que, obviamente, aconteceu, placar de 2×0 contra os agora comandados por Renato Portaluppi.

O dia ainda fechou com uma vitória do colorado, por placar mínimo, sobre o Vitória. Preferi ficar jogando WII em vez de assistir ao jogo. Mas vi apenas o que me interessava – o lance do pênalti, depois convertido em gol. Foi estranho. Até acho que foi legal, já que, de fato, o zagueiro do Vitória mete um braço, provavelmetne sem querer, na cara do Nilmar. Mas a jogada era completamente perdida, Nilmar não alcançaria a bola. Um achado pro time do Inter, sem dúvida. Até porque não houve tantas chances significativas de gol a favor do colorado e o placar mínimo se manteve. De qualquer forma, foram 3 vitórias consecutivas, sendo duas em casa e uma fora. Agora o Inter terá mais um jogo em casa. Mas é o GRE-NAL.

Jéferson Botega - ZH)

"méeeeeeeeeeeeeeee" (foto: Jéferson Botega - ZH)

Penso que o clássico será determinante para a manutenção (ou não) da liderança tricolor. A vitória será excelente ao Grêmio, já que passaria a rodada sem chance de ser ultrapassado pelo Palmeiras e tendo, em seguida, dois jogos em casa. Porém, as três vitórias seguidas recolocaram as OVELHINHAS no páreo, estando agora somente 4 pontos atrás do quarto colocado, o Flamengo. A derrota do Botafogo para a Portuguesa, em casa, foi mais que providencial para o Inter.

Resultados:

– Fluminense 2 x 3 Coritiba: estará CUCA chorando, pensando em demissão?

– Atlético-MG 2 x 1 Náutico: para dar alguma tranquilidade ao centenário time mineiro.

– Goiás 4 x 1 Santos: ou NINGUÉM SEGURA ESTE BEBÊ.

– Atlético-PR 0 x 0 Grêmio

– Portuguesa 3 x 1 Botafogo: a Lusa já está rebaixada. Mas agora o objetivo é avacalhar o campeonato.

– Sport 0 x 0 São Paulo: SPFW continua com chances de título.

– Figueirense 3 x 4 Cruzeiro: mais uma prova de que o Figueira não é um time sério.

– Inter 1 x 0 Vitória

– Palmeiras 2 x 0 Vasco

– Flamengo 1 x 0 Ipatinga: é carnaval, é a doce ilusão…

Diz o Inter que jogará com equipe titular, no Chile, pela Sulamericana. Duvido muito.

E cá vai a tabela atualizada:

Imagem extraída do site Terra.




Resto dos comentários da 14a rodada (e precisa)?

25 07 2008

É… melhor esfriar a cabeça para poder fazer melhores comentários sobre o complemento da 14a rodada, que aconteceu ontem, 24/7. Como diria o Pica-Pau, “e lá vaaaamos nóooos”:

– Sport 1 x 0 Atlético-PR: deu o placar mais razoável – aquele pelo qual eu torcia. Um time que joga com uma camisa como a do Patético só merece tal apelido.

– Palmeiras 4 x 2 Santos: o Santos vai preparando mesmo sua experiência potencialmente geradora de DVD. O time do chorão, Cuca, só dá vexame e tomou uma coça do Palmeiras, apesar de ter esboçado uma certa reação. O mais incrível é que os 6 gols da partida aconteceram todos no primeiro tempo, o que prova que os jogadores estavam incorporados por SANTOS (pior trocadilho)

– Figueirense 1 x 7 Grêmio: até a entidade sagrada dos colorados enalteceu o escore hiper elástico do jogo de ontem. Porém, há de se dizer: no final do primeiro tempo, quando o Figueirense descontou o placar que, até então, estava 2×0, fez muita pressão e a defesa tricolor mostrou muita INSEGURANÇA (assim como eu). O gol no início do segundo tempo foi providencial para que o Grêmio voltasse a ter controle total do jogo. Apesar do gol de Marcel ter sido originado em cruzamento de Tcheco, para mim, este jogou muito mal, errando muitos passes e ficando um pouco abaixo dos outros meias. Depois dos 4×1, PC Gusmão surtou e eliminou qualquer resquício de defesa, deixando a tarefa tricolor muito mais facilitada.

De resto, fico muito feliz pelo Grêmio ter aproveitado a chance de assumir a liderança do campeonato.  É cedo, mas dá pra acreditar.

Não resisti e chupei essa tela de um conhecido SAITE:

para a posteridade...

para a posteridade...