Classificação Épica

11 11 2011

Ontem a ACBF conseguiu uma épica classificação às finais da Liga Futsal, contra um valente Corinthians. Apesar de “entregar” um gol no final do segundo tempo, conseguiu a façanha na prorrogação, a 16 segundos do término da partida.

Parabéns esquadra laranja. E que venha o Santos!





Brão 2011 – 5a rodada – comentários aleatórios

20 06 2011

Não quero fazer “leituras” sobre muitos jogos, afinal só assisti a 2 das 7 partidas realizadas ontem e sábado. Mas acho que cabem alguns comentários sobre justamente as 2 partidas que assisti e algumas informações óbvias sobre o “certame” em geral:

Grêmio x Vasco da Gama
– a forte chuva iniciada poucos minutos antes de começar o jogo e que permaneceu por praticamente todos os 90 minutos do confronto certamente atrapalhou, tanto na quantidade de torcedores no estádio como na qualidade técnica da partida. Mas duvido que dê pra colocar um percentual muito alto de “culpa” neste fator. Até porque a bola rolava normalmente e não se viam poças d’água formadas. Apenas aumentou a quantidade de escorregões e derrapagens, por parte dos jogadores.

– o que explica o Gabriel ter sido escalado para cobrar o pênalti, se sempre é o Douglas que o faz? O lateral fez a inexplicável “curvinha” ao correr para a bola, passando a seguinte mensagem pro goleiro: “vou bater pro lado de onde eu vim na corrida”. Não deu outra.

– as vaias ao lateral-direito se explicam, não somente pelo pênalti perdido (que pode ser classificado como fatalidade, sei lá), mas pela gigantesca deficiência técnica que vem apresentando em praticamente toda a temporada 2011. Erra passes, carimba marcadores na hora de cruzar, perde bolas fáceis, arma contra-ataques… Desde que foi contratado em 2010, encheu os olhos de todos e nos fez pensar: “finalmente voltamos a ter lateral-direito no Olímpico”. Estávamos enganados?

– sobre o Douglas, não me aparentou falta de vontade e dedicação: correu bem e bastante. Simplesmente acredito que ontem foi um daqueles dias de “pé descalibrado”. Uma pena.

– fato parecida à queda de qualidade do Gabriel é o que está acontecendo com o Lúcio. Diferentemente de alguns comentários na mídia esportiva gaúcha, não acho que os recorrentes erros de passes do pernambucano sejam novidades – ele sempre teve esse problema. Mas costumava compensar com apoios velozes e de ótima qualidade. Ontem não se viu nada disso. Precisa focar e voltar à melhor forma, rapaz!

– acho que a zaga foi bem ontem, tanto o Mário como o Saimon – o Vasco só marcou porque “achou” um gol inacreditável. Mas os cruz-maltinos poderiam ter aberto o placar ainda no primeiro tempo por causa de um erro meio tosco do Saimon, que afastou mal uma bola e deu de graça pro Éder Luis. Ainda bem que ele saiu com bola e tudo. Não um xingão, apenas uma recomendação ao ótimo guri.

– Rochemback tem sido a principal certeza do time: está jogando cada vez melhor. Impressionante. Nem o Victor está se destacando tão positivamente, apesar de estar em altíssimo nível.

– o ataque é, sem dúvida, o setor mais prejudicado. Lins simplesmente NÃO É jogador para o Grêmio. E o Viçosa tem potencial, mas não consegue “resolver” sozinho. O retorno do André Lima se faz muito necessário e o Leandro poderá fazer muita diferença. Não ponho tanta fé no Miralles assim – mas infelizmente grande parte da torcida é “pagadora de pau” para argentinos, mesmo que as credenciais nem sejam tão boas assim…

– … o que me dá a deixa para falar sobre um comentário recorrente (e inexplicável) da torcida gremista na maioria dos blogs esportivos do RS: a pedida por ESCUDERO. É uma grande MENTIRA dizer que ele não “teve oportunidades suficientes”. Ele teve MUITAS oportunidades desde a sua contratação e, salvo o PRIMEIRO TEMPO de um dos Grenais do Gauchão, ele não jogou ABSOLUTAMENTE NADA. Ele comete erros RIDÍCULOS, corre afobadamente e perde a bola com facilidade assustadora. Não dá pra entender porque tanto desejo em vê-lo titular do time – visivelmente não tem qualidade para tanto. Só pode ser a “pagação de pau” gratuita.

– em tempo: acredito muito no Marquinhos como opção para o time.

– o potencial de melhoria do time é interessante, especialmente com a entrada do Gilberto Silva e o retorno do André Lima, mas passa especialmente pelo “retorno” de Gabriel, Lúcio e Douglas. Com eles novamente “voando”, teremos alguma chance.

Coritiba x Internacional
Desse jogo só posso falar melhor do primeiro tempo, pois do segundo eu vi apenas alguns momentos, pois estava ocupado brincando com o goducho. Algumas coisas saltaram aos olhos:

– Falcão tem muita razão em reclamar do plantel colorado. De forma semelhante ao Grêmio, o Inter está com algumas posições muito defasadas (especialmente a zaga) e alguns jogadores importantes estão bastante abaixo do que costumavam render. Se não contratar, é difícil acreditar em recuperação.

– a ótima atuação do Muriel não deveria surpreender ninguém: sempre mostrou que é muito mais goleiro do que Renan e Lauro. Difícil é entender porque demorou tanto para ele voltar ao time titular.

– por mais que a imprensa gaúcha tente fazer parecer que o resultado de ontem não foi bom ao Inter, o jogo mostrou exatamente o contrário: os colorados foram dominados pelo Coritiba, que, se tivesse ganho, não seria injusto.

– o Falcão não é bom treinador, está comprovando isso. Mas a crítica pública que ele está sofrendo por parte de membros da diretoria de futebol do clube é ainda mais amadora e ridícula.

Outros jogos
– não dá pra meter essa arrancada impressionante do São Paulo. Ganham em casa e fora, como se não houvesse diferença. Fazem gols e não sofrem. Como foi nos outros 3 títulos dos anos 2000. Vai ser dureza segurar o tricolor paulista, com essa vantagem tão expressiva.

– não consigo acreditar no Palmeiras a longo prazo: eles insistem em criar problemas de relacionamento, apesar dos ótimos resultados. O comentário do Kléber ao final do jogo deveria ser suficiente para demissão, apesar de que isso dificilmente acontecerá, por se tratar de um jogador diferenciado. Mesmo assim, queimou o filme do presidente do clube.

– é complicado entender porque o Corinthians aceitou alterar a data do seu confronto com o Santos, que deveria ter sido neste final de semana, para o dia 10/8. Imagino que isso tenha sido uma solicitação da Globo, pois a nova data deve ser de confrontos da Copa Sulamericana e a Globo quer ter algo mais relevante para passar em SP. Mas o Timão perde muito com isso, já que o Santos certamente iria com time reserva para esta partida, enquanto que o Corinthians só deixaria de contar com o Alex. Era uma ótima oportunidade para vencer um clássico e se manter próximo do SPFC.

– compreensível a demissão do Cuca, que deixou o Cruzeiro sem conseguir vencer no campeonato brasileiro, depois de uma brilhante primeira fase na Libertadores. Mas é incompreensível a contratação de Joel Santana para seu lugar. Com o “Tio Jejão” e sua prancheta, a raposa deixa de ser candidata ao título.





TV ou não TV

24 02 2011

Admito, este título é horrível. Não consegui pensar em nada melhor para o momento. Mas é imperativo entrar na principal discussão futebolística do momento – que não envolve o desempenho dos times dentro de campo: a truncadíssima negociação para os direitos televisivos do triênio 2012-2014. Provavelmente só quem está dentro dos clubes (e que tenha razoável acesso a estas informações) terá condições de explicar. Como não é o meu caso, vou tentar desenhar, de forma tosca, uma possível explicação e teoria.

Importante ressaltar que eu quase não pesquisei conteúdo para fazer este post, então, corro o risco de estar equivocado em algumas afirmações. Fecha parênteses.

Primeiro, uma brevíssima retrospectiva pela criação e atuação do Clube dos 13:
– foi criado em 1986/1987, como forma de repúdio ao formato do campeonato brasileiro organizado pela CBF até então, com TROCENTOS times. O novo “clube” resolveu criar seu próprio campeonato (obviamente bancado pela VÊNUS PLATINADA), chamado COPA UNIÃO, o que acabou servindo como referência para os campeonatos futuros, novamente organizados pela CBF. O campeonato foi vencido pelo Flamengo, mas a CBF não reconheceu esse título até a semana passada.

– em 2000, mais uma vez o Clube dos 13 foi convocado a organizar o campeonato brasileiro, mas dessa vez A PEDIDO da CBF, que estava no meio de um imbróglio judicial com o Gama, do Distrito Federal. Esse torneio foi chamado de Taça João Havelange, muito conveniente para o Fluminense, que não precisou jogar a 2a. divisão daquele ano por causa disso. O Vasco foi o campeão.

– com a estabilização do formato de pontos corridos, ao Clube dos 13 passou a incumbência SOMENTE de negociar os direitos de imagem junto à emissora de televisão. A estabilidade no formato do campeonato permitiu um salto significativo nos valores, fazendo com que esta passasse a ser a maior fonte de renda dos principais clubes brasileiros.

– ano passado a CBF tentou, através do ex-presidente do Flamengo – Kléber Leite – e contando com o apoio do presidente do Corinthians, Andrés Sanchez, tomar o controle do C13, anunciando a chapa que concorreria às eleições da entidade, que vinha sendo presidida pelo ex-presidente do Grêmio, Fábio Koff, há mais de 10 anos. Koff sentiu a bola nas costas e, RAPOSAMENTE, convocou antecipadamente novas eleições para a presidência do Clube. Sem tempo para costurar alianças (leia-se MOLHAR MÃOS), a recém-formada chapa de oposição perdeu.

Importante ressaltar que o movimento efetuado por Koff NÃO É DIGNO DE ELOGIOS. Foi uma manobra autoritária e anti-democrática, comparável aos depotistas tarimbados da África e do Oriente Médio (e da Venezuela também). Porém, a atuação de Ricardo Teixeira na CBF não é muito diferente, já que ele preside a entidade DESDE QUE EU ME LEMBRO POR GENTE. Renovação na entidade máxima do futebol brasileiro é palavra inexistente. Ou seja, estamos falando do sujo e do mal lavado, aqui.

Agora entramos no campo das suposições: é notório que uma negociação em conjunto tende a ser mais favorável aos clubes do que negociar individualmente. Talvez (e deixo uma sincera dúvida no ar) os dois clubes de maior torcida (e que não vêm conseguindo traduzir essa vantagem em receitas) até poderiam ter algum benefício, mas mesmo isso é duvidoso. Enfim, qual seria a vantagem AOS CLUBES dessa ruptura?

Efetivamente, o ponto crucial dessa movimentação foi o Clube dos 13 ter acenado à possibilidade de vender os direitos do referido triênio para outra emissora, algo que não acontece desde sei lá quando. Eu verdadeiramente não me lembro do Campeonato Brasileiro não ter sido transmitido pela Globo, em qualquer ano. Assim como a Record conseguiu os direitos de transmissão das Olimpíadas de 2012, tendo ESCANTEADO a líder, o PLIM-PLIM ficou DEVERAS preocupado com a hipótese de não poder transmitir o principal campeonato do esporte mais popular do Brasil. E começou a agir.

A hipótese mais provável é que a Globo tenha oferecido somas superiores às que seriam de direito do Clube dos 13, somente para Corinthians e Flamengo (creio que os outros dois cariocas também foram aliciados). Estes clubes, que hoje já recebem cota superior aos demais, passariam a ganhar mais ainda. Evidentemente, os clubes menores ganhariam ainda menos.

A emissora de TV só quer audiência cada vez maior, para fazer seu produto (espaços publicitários) custarem mais. Se fosse possível, a Globo transmitiria somente jogos entre Flamengo e Corinthians, duas vezes por semana. Certamente não está nem aí para os nanicos. Por isso, já dá para concluir que essa dissidência será predatória à qualidade dos campeonatos brasileiros, pois os grandes ficarão cada vez maiores e os pequenos, cada vez mais miúdos. Só que essa disparidade pode criar um monstro que, no final das contas, deixará o futebol cada vez menos interessante, pois o que torna um torneio bom é a competitividade do mesmo. O desequilíbrio deixa o torneio menos interessante e mais previsível, fazendo com que a audiência, no longo prazo, diminua. Pode ser um tiro no pé da própria televisão.

Creio que é obrigação dos órgãos reguladores nas sociedades capitalistas é controlar e impedir que abusos sejam realizados. E aí que o Clube dos 13 vinha desempenhando, bem ou mal, o seu papel: garantir que os clubes participantes do campeonato recebam valores justos e cada vez maiores, permitindo aos menores terem condições mínimas de fazer frente aos grandes e dando alternativas aos grandes de formarem equipes competitivas, que possam disputar títulos nacionais e internacionais.

Uma queixa recorrente entre os comentários dos dirigentes de clubes dissidentes é que as negociações estavam sendo realizadas de forma pouco transparente. Novamente, só quem vive esta realidade pode ter mais detalhes e comprovar ou não esta afirmação. Eu imagino que, de alguma forma, algumas negociações precisam ser realizadas em âmbito secreto, para evitar que os dados vazem e acabem prejudicando os próprios clubes negociadores. Mas, penso que os clubes membros do C13 poderiam participar mais ativamente do processo – fazendo com que estes ânimos fossem acalmados. Se ainda houver chance de reconciliação entre os “brigões” e o C13, pode ser que esse seja o caminho.

Uma das possibilidades é que o C13 continue existindo, ainda que com força inferior e que aconteça negociações separadas entre os dois grupos, com diferentes emissoras. Essa alternativa é meio LOUCA e tornaria todo o processo mais difícil. Mas, acometido da mesma LOUCURA, eu meio que estou torcendo pra que isso aconteça. Acredito que seria uma forma de quebrar a ordem vigente e medir forças de ambos lados. Talvez a gente saia ganhando, no final. Pensando bem, provavelmente não.





Viúvo

13 07 2009
”]ai que saudades da OFÉLIA (ns) [foto: Gazeta Press]

Ontem foi um dia muito feliz. Afinal, estive no Olímpico e presenciei um verdadeiro ESPETÁCULO futebolístico, um domínio absoluto do tricolor sobre o campeão da Copa do Brasil, considerado por muitos o melhor time brasileiro da atualidade (aposto que, a partir de quarta, voltará a ser o Cruzeiro, mas…)

Um pouco do PRÉ-JOGO:

Consegui empurrar meu cunhado Ricardo pra assistir esse jogo, já que passamos o findi em Porto Alegre e as VERMELHAS gurias não teriam nenhum inconveniente em passar algumas horas no CHÓPS (apesar do peso crescente de JAY PEE incidindo sobre a coluna da Pita). Nos encaminhamos para o Olímpico cerca de 14:30, pois eu queria aproveitar o ADIANTO para dar uma ZAPEADA na loja Grêmio Mania do estádio.

Pra variar, a Rua Porto Alegre estava bloqueada mais uma vez, portanto, NECAS de estacionar na Rua Florianópolis. Mesmo chegando cedo, acabei estacionando longe do estádio (transitar na Av. Azenha era uma INSANIDADE) e demoramos um pouco mais para chegar.

Bônus: um carro bateu com certa violência na traseira de outro, na Av. da Azenha. Um TRASEUNTE falou: “tinha que ser um carro VERMELHO mesmo” (ns). Impressionante foi acelerar tanto num momento que a única velocidade possível era, sei lá, 500 metros por hora.

Nas imediações do Portão 1, havia boa movimentação de HINCHAS, mas evidentemente muito abaixo do jogo contra o Cruzeiro, por exemplo. Não havia filas no portão, naquele momento. Entramos e tínhamos muita tranquilidade para ir até perto do meio do campo, posicionando-nos melhor para assistir ao jogo. Mas eu fiquei ainda mais impressionado com a AUSÊNCIA da maior parte da Geral. Normalmente a Geral costuma ocupar bem seus espaços mesmo com muita antecedência aos jogos. Ontem, estava quase às moscas, faltando 45 minutos pro início do jogo. No final, acabou enchendo (mas não lotando completamente). Acredito que foi algum tipo de protesto (além da faixa que chamava Luiz Onofre Meira de MENTIROSO).

Enfim, vamos AO JOGO:

Durante o minuto de silêncio, o estádio em coro gritava “Ronaldo, VIÚVO”. Rachei de tanto rir, melhor corneta EVER.

Desde logo o início do jogo, notava-se qual seria a principal característica do time naquela tarde: defesa forte, marcando bem a saída de jogo e antecipando-se às jogadas corintianas. Não por menos, os desarmes foram muitos e as bolas não chegavam ao Ronaldo, nem ao Dentinho, nem ao Jorge Henrique. Excelente.

Rapidamente o Grêmio foi tomando conta do jogo, lançando-se ao ataque com VOLÚPIA. E de forma eficiente, por mais estranho que isso possa parecer, quando a dupla de ataque é formada por Alex Mineiro e Jonas. Aliás, esta foi a ordem dos dois primeiros gols. O carequinha (Britto, Paulo, 2009 x 400.000 inserções no Gauchão) recebeu bom cruzamento de Fábio Santos (às vezes ele se puxa) e mandou de primeira. Felipe SE APAVOROU e levou, aos 16 minutos de jogo.

vejam como RELUZ (foto: Gazeta Press)

"vejam como RELUZ" (foto: Gazeta Press)

Pouco depois, aos 22, Adílson (vejam só) foi até a linha de fundo e achou espaço para cruzar, com perfeição, na cabeça de Jonas, que cumprimentou o goleiro Felipe e mandou a bola LAMBENDO O POSTE direito do goleiro do Timão. Eu fiquei seriamente na dúvida se tinha sido gol. E descobri que até quem estava envolvido no lance ficou na dúvida.

Todos queriam mais.

Um pouco depois do segundo gol gremista, Jean, ex-zagueiro do Grêmio, cometeu falta frontal à defesa do Corinthians. Ele deu uma xingada ao árbitro, deve ter chamado ele de AMIGÃO. Levou o segundo amarelo e foi pro chuveiro. A partir daí, foi uma BABA só.

Aos 37, após escanteio cobrado por Souza a bola sobrou para ele mesmo que, de fora da área, cruzou novamente. A bola encontrou um inexplicavelmente desmarcado Rafael Marques, que abaixou-se e testou pro fundo das redes. 3×0 e a casa alvinegra foi definitivamente desmontada.

PIM-PO-NE-TA

"PIM-PO-NE-TA" (foto: Nabor Goulart/Ag Freelancer/Futura Press)

A sensação que nós tivemos, no momento do terceiro gol era de “TIRA O THIEGO”. Primeiro, porque ele destoava do resto do time, fazendo outra partida HORRENDA, em virtude de não ser um lateral-direito, a despeito do que o técnico pensa. Segundo porque ele tomou um amarelo logo no comecinho do jogo e já tinha se estranhado com o juiz. Todas as suspeitas de qual jogador gremista seria expulso para compensar a exclusão de Jean recaíam sobre ele.

Graças a Deus, isso não aconteceu.

O segundo tempo foi da tranquilidade total do Grêmio, que passou a valorizar imensamente a posse de bola e a troca de passes no campo de ataque, como todo time maduro deveria fazer SEMPRE que tem uma grande vantagem a favor. Recuar nunca foi uma solução segura. Apesar de uma excelente chance corintiana de marcar aos 35 do segundo tempo, quando Victor fez uma defesa simplesmente MAGISTRAL, o Grêmio teve pelo menos umas 3 chances claríssimas de gol na segunda etapa. Numa delas, Souza recebeu um passe de NUCA de Alex Mineiro mas quis dar show dentro da área, em vez de tirar do goleiro e correr pro abraço. Acabou permitindo a defesa de Felipe.

Com o jogo dominado, Autuori resolveu experimentar alguns jogadores. Colocou Makelele no lugar de Túlio e a resposta foi bastante positiva. É um jogador que dá velocidade sem perder a força de marcação. Ainda colocou uma pelota muy linda para Perea (que entrou no lugar de Jonas), porém, o CICLÓN chutou sobre o goleiro.

Num lance meio estranho, Souza gratuitamente deu um carrinho num jogador corintiano e levou cartão amarelo. Em seguida, foi substituído por Maylson. Veio então a explicação: ele forçou o terceiro cartão amarelo, assim, ficará disponível para o Grenal de domingo. Maylson recebeu lançamento MAGISTRAL de Tcheco, porém, concluiu mal. Ou seja, se já foi goleada, poderia ter sido ESTRONDOSA.

Mano Menezes AGRADECEU a Paulo Autuori pela PIEDADE. Eu já penso que foram apenas ordens para se poupar.

Não dá para esquecer alguns pontos defeituosos no Grêmio. Por exemplo, ficou mais que evidente que Thiego não é lateral. Não insistam. A atuação dele foi péssima, graças a Deus o grupo compensou sua deficiência. Espero que Autuori já coloque Joilson em seu lugar, imediatamente, no jogo de quarta-feira contra o Coritiba. Souza foi mal, não a ponto de comprometer e também teve sua parcela de “culpa” pelo terceiro gol do Grêmio. Mas errar gol como ele errou é inaceitável. Precisa se focar mais e parar de querer enfeitar as jogadas.

Com a vitória, o tricolor foi a 15 pontos, 6 atrás do líder Atlético Mineiro. Agora ocupamos a sexta colocação. A meta de entrar no G4 depois do Gre-Nal é perfeitamente cabível. Se vencer a próxima rodada, poderá ir para 5º, porém, muito perto dos líderes. Vencer o Gre-Nal será o caminho para a aproximação definitiva do pelotão de cima.

Adversários, TREMEI. O Grêmio voltou.





Mais uma quarta gordacha

16 06 2009

A quarta-feira, 17 de junho de 2009, reserva fortes emoções para os amantes do ludopédio. O “processo” inicia ainda pela manhã, com os jogos do grupo 1 da Copa das Confederações – a Espanha enfrenta o Iraque, às 11h e a anfitriã, África do Sul joga contra a Nova Zelândia, às 15:30h.

Mas o que realmente importa virá à noite.

Às 19:20, o jogo de volta entre Nacional de Montevideo e Palmeiras. O primeiro jogo foi 1×1, no Palestra Itália, que dá a vantagem ao time uruguaio de jogar pelo empate sem gols.

Depois, os dois gigantes gaúchos entrarão em campo, em cidades diferentes, por competições distintas.

O Internacional visitará o Corinthians, no Pacaembu, valendo pelo primeiro jogo da decisão da Copa do Brasil. O Inter terá 4 desfalques: Kléber e Nilmar, que estão com a seleção, Bolívar, suspenso e D’Alessandro, lesionado. Acredito que os colorados ficarão felizes se sairem de São Paulo “vivos”, mesmo que com uma derrota de 1 gol de diferença, especialmente se o Inter conseguir marcar gols. Já o Corinthians precisa muito vencer por mais de 1 gol de diferença, para poder ter uma vantagem “real” para a decisão em Porto Alegre.

Infelizmente não poderei acompanhar o jogo do Palmeiras nem o do Inter, pois estarei em Porto Alegre para ver, pessoalmente, o segundo jogo entre Grêmio e Caracas, também pelas quartas-de-final da Taça Libertadores da América. O primeiro jogo, na Venezuela, foi 1×1, portanto, o Grêmio tem vantagem. Porém, espero que joguemos pela vitória. Estou confiante, porém, todo cuidado é pouco.

O adversário de Grêmio ou Caracas virá do jogo entre São Paulo e Cruzeiro, que será disputado amanhã, no Morumbi. O primeiro jogo foi 2×1 para o Cruzeiro, que deixou o SPFC vivo para o jogo de volta. Acredito que o tricolor paulista passará, embora não esteja em uma de suas melhores fases técnicas. O time que enfrentará Nacional ou Palmeiras será definido também amanhã, entre Estudiantes de La Plata e Defensor Sporting. O Estudiantes jogará a volta com a vantagem de ter vencido o primeiro jogo, em Montevideo, por 1×0. É uma senhora vantagem.

Portanto, meu acompanhamento será por rádio mesmo. Mas será excelente. Ainda não havia assistido a um jogo da Libertadores este ano e estou muito ansioso por amanhã.





Fiasquinhos tricolores

1 06 2009

O Grêmio ontem mostrou claramente que não é confiável. Tinha um jogo contra uma equipe tecnicamente frágil, com seríissimos problemas ofensivos e uma chance de ouro para permanecer à espreita da liderança do campeonato. Mas conseguiu uma façanha: apresentar futebol pior do que o do Vitória. A derrota veio nos acréscimos do segundo tempo, mas o merecimento por ela se deu em todos os 90 minutos de jogo.

A única modificação relevante no time foi no meio-campo, com o ingresso de Túlio no lugar de Tcheco, que foi poupado e nem fardou. Depois de muito tempo, o time voltou a jogar com dois volantes. Isso não deu muito certo, o excesso de comportamento defensivo fez com que o Grêmio jogasse quase que exclusivamente em seu campo, tendo muitas dificuldades para manter uma sequencia de passes razoável. O Vitória, mais organizado, aproveitou-se disso e teve muito volume de jogo, especialmente através de Apodi, pela direita. A defesa gremista conseguia afastar a maioria das bolas, mas falhou em vários lances, especialmente no primeiro tempo.

Aos 26 minutos, Victor cometeu pênalti em Neto Baiano, mas o árbitro, Wagner Tardelli, não marcou. Três minutos depois, Alex Mineiro é empurrado dentro da área baiana, o juiz novamente não assinalou.

O segundo tempo foi bastante ruim, mesmo o Vitória não conseguia manter seu ímpeto ofensivo do primeiro. Jadilson e Jonas entraram nos lugares de Adilson e Alex Mineiro. O segundo foi expulso, ao tomar dois cartões amarelos num intervalo curto de tempo. O primeiro melhorou um pouco o apoio pela esquerda, mas muito muito pouco mesmo.

O Vitória merecia vencer por ser o único time que realmente buscou a vitória desde o início do jogo. Mas aposto que nem Leandro Domingues imaginava que conseguiria mandar um canudaço tão lindo no ângulo direito de Victor. Absolutamente indefensável.

O resultado colocou o Vitória novamente na vice-liderança, com 9 pontos.

Jogo jogado

Todos já sabiam que o Inter colocaria time misto contra o fraco Avaí. E todos também sabiam que, ainda assim, o colorado era amplamente favorito na disputa. Deu-se a lógica e o Inter venceu o confronto por 2×1, sendo que o tento da equipe de Florianópolis deu-se por cobrança de pênalti, num lance em que não ocorreu falta e foi fora da área. Erro duplo de Sálvio Espínola Fagundes. Menos mal que o time venceu mesmo assim.

O troco (1)

Um tricolor não fez feio ontem: o São Paulo, intrigado com seu mau início de campeonato, resolveu ir à forra e meteu 3×0 no Cruzeiro, devolvendo a derrota que sofreu para o mesmo time no meio da semana, porém, pela Libertadores. Os gols foram de atacantes: Washington, Borges e Dagoberto. Primeira vitória do tricolor paulista, que foi a 5 pontos.

O troco (2)

Um mês depois, o Santos teve a chance de devolver o revés que sofreu na final do campeonato paulista. Na Vila Belmiro, o peixe não tomou conhecimento do time misto corinthiano e meteu 3×1 no time de Mano Menezes, que faz companhia ao Grêmio na metade inferior da tabela, com 4 pontos.

Resultados da quarta rodada

Campeonato Brasileiro – Série A – 4a. Rodada
Data Hora Cidade Estádio Jogo
30/05 18:30 Rio de Janeiro Engenhão Botafogo 2 x 2 Sport
30/05 18:30 Curitiba Couto Pereira Coritiba 1 x 3 Goiás
30/05 18:30 Belo Horizonte Mineirão Atlético Mineiro 0 x 0 Santo André
31/05 16:00 São Paulo Morumbi São Paulo 3 x 0 Cruzeiro
31/05 16:00 Santos Vila Belmiro Santos 3 x 1 Corinthians
31/05 16:00 Recife Aflitos Náutico 1 x 1 Fluminense
31/05 16:00 Rio de Janeiro Maracanã Flamengo 2 x 1 Atlético-PR
31/05 16:00 Salvador Barradão Vitória 1 x 0 Grêmio
31/05 18:30 Barueri Arena Barueri Barueri 2 x 2 Palmeiras
31/05 18:30 Porto Alegre Beira-rio Internacional 2 x 1 Avaí

Não consigo colocar a classificação pois a minha empresa “barrou” os uploads de imagens. Vejam a classificação atualizada aqui.

Campeonato Brasileiro – Série A – 4a. Rodada
Data Hora Cidade Estádio Jogo
30/05 18:30 Rio de Janeiro Engenhão Botafogo 2 x 2 Sport
30/05 18:30 Curitiba Couto Pereira Coritiba 1 x 3 Goiás
30/05 18:30 Belo Horizonte Mineirão Atlético Mineiro 0 x 0 Santo André
31/05 16:00 São Paulo Morumbi São Paulo 3 x 0 Cruzeiro
31/05 16:00 Santos Vila Belmiro Santos 3 x 1 Corinthians
31/05 16:00 Recife Aflitos Náutico 1 x 1 Fluminense
31/05 16:00 Rio de Janeiro Maracanã Flamengo 2 x 1 Atlético-PR
31/05 16:00 Salvador Barradão Vitória 1 x 0 Grêmio
31/05 18:30 Barueri Arena Barueri Barueri 2 x 2 Palmeiras
31/05 18:30 Porto Alegre Beira-rio Internacional 2 x 1 Avaí




Quarta-feira inolvidável

27 05 2009

Esta noite é um prato cheio para os amantes do futebol de qualidade. Isso porque teremos, ainda à tarde, a final da UEFA Champions League, entre Barcelona e Manchester United. O jogo único será realizado em Roma, na Itália. Este formato vem sendo adotado pela UEFA há vários anos e tem garantido grandes públicos, mesmo sendo realizado em campo neutro. Na América do Sul, isso certamente não funcionaria.

Do jogo sairá o adversário do Grêmio representante da Europa no Mundial de Clubes da Fifa, que será realizado, neste ano, em Abu Dhabi, Emirados Árabes Unidos, em dezembro. Também sairá o ganhador do prêmio de 110 milhões de Euros, muito superior ao maior faturamento de um clube brasileiro em 2008, de R$ 160 milhões (do São Paulo).

À noite, teremos Copa do Brasil em seus confrontos semi-finais e a Libertadores da América, abrindo a fase de quartas-de-final. Infelizmente, todos os jogos serão disputados no mesmo horário (21:50), o que impossibilitará o correto acompanhamento de todos eles.

Libertadores

Em Caracas, o time homônimo da capital venezuelana tentará manter o excelente aproveitamento que tem em seus domínios e vencer o Grêmio, que tem o melhor aproveitamento entre todas as equipes da Libertadores, com 1 empate e 7 vitórias. Vale lembrar que o Caracas eliminou, na primeira fase, o Lanús, atual líder do torneio clausura argentino. A camiseta vermelha e a presença de jogadores chamados Rentería e Figueroa é a certeza de que os colorados estarão torcendo ainda mais fortemente contra seu rival.

O Grêmio garante a presença de Adílson, que poderia ser preterido por Túlio. Souza e Réver se recuperaram de incômodos musculares e também jogarão. É provável que eles sejam poupados no domingo, em Salvador.

Em Belo Horizonte, um duelo de gigantes. O Cruzeiro receberá o descansado São Paulo no primeiro confronto da série. Será um jogaço, sem dúvidas.

Os demais confrontos serão jogados amanhã: às 19:30, o Defensor receberá o Estudiantes, em Montevideo. Às 22 hs, o Palmeiras será o anfitrião do Nacional de Montevideo, no Palestra Itália.

Copa do Brasil

Se não bastassem os dois jogos da Libertadores, ambos jogos das semi-finais da Copa do Brasil serão disputados nesta quarta-feira, no mesmo horário (21:50). O Internacional receberá a “zebra” Coritiba e deverá ter vida fácil. Tendo recém passado em difícil confronto com o Flamengo, o Inter tem a vantagem psicológica de ser líder absoluto do campeonato brasileiro e ter um aproveitamento invejável na temporada. O Coritiba teve muita sorte de não ter enfrentado nenhum adversário qualificado nesta Copa, sendo que eliminou a Ponte Preta nas quartas-de-final. O time de René Simões não se compara ao qualificado grupo de 2008, tendo perdido Keirrison e Marlos, dois dos destaques da temporada passada. Embora ninguém no Beira-rio admita, é jogo jogado.

Por outro lado, outro duelo de grandes, com uma similaridade interessante: Vasco e Corinthians farão o primeiro confronto no São Januário. O “timão”, recém retornado da série B. O cruzmaltino, atual integrante da divisão da vergonha. No entanto, ambos clubes estão com bons times e jogando bom futebol. A vantagem é, indiscutivelmente, do alvi-negro paulistano.

E tem mais?

Futebolisticamente, não. Mas, antes dos jogos, eu vou dar umas bandas…

dale tricolor (ns)

dale tricolor (ns)