Brão 2011 – 5a rodada – comentários aleatórios

20 06 2011

Não quero fazer “leituras” sobre muitos jogos, afinal só assisti a 2 das 7 partidas realizadas ontem e sábado. Mas acho que cabem alguns comentários sobre justamente as 2 partidas que assisti e algumas informações óbvias sobre o “certame” em geral:

Grêmio x Vasco da Gama
– a forte chuva iniciada poucos minutos antes de começar o jogo e que permaneceu por praticamente todos os 90 minutos do confronto certamente atrapalhou, tanto na quantidade de torcedores no estádio como na qualidade técnica da partida. Mas duvido que dê pra colocar um percentual muito alto de “culpa” neste fator. Até porque a bola rolava normalmente e não se viam poças d’água formadas. Apenas aumentou a quantidade de escorregões e derrapagens, por parte dos jogadores.

– o que explica o Gabriel ter sido escalado para cobrar o pênalti, se sempre é o Douglas que o faz? O lateral fez a inexplicável “curvinha” ao correr para a bola, passando a seguinte mensagem pro goleiro: “vou bater pro lado de onde eu vim na corrida”. Não deu outra.

– as vaias ao lateral-direito se explicam, não somente pelo pênalti perdido (que pode ser classificado como fatalidade, sei lá), mas pela gigantesca deficiência técnica que vem apresentando em praticamente toda a temporada 2011. Erra passes, carimba marcadores na hora de cruzar, perde bolas fáceis, arma contra-ataques… Desde que foi contratado em 2010, encheu os olhos de todos e nos fez pensar: “finalmente voltamos a ter lateral-direito no Olímpico”. Estávamos enganados?

– sobre o Douglas, não me aparentou falta de vontade e dedicação: correu bem e bastante. Simplesmente acredito que ontem foi um daqueles dias de “pé descalibrado”. Uma pena.

– fato parecida à queda de qualidade do Gabriel é o que está acontecendo com o Lúcio. Diferentemente de alguns comentários na mídia esportiva gaúcha, não acho que os recorrentes erros de passes do pernambucano sejam novidades – ele sempre teve esse problema. Mas costumava compensar com apoios velozes e de ótima qualidade. Ontem não se viu nada disso. Precisa focar e voltar à melhor forma, rapaz!

– acho que a zaga foi bem ontem, tanto o Mário como o Saimon – o Vasco só marcou porque “achou” um gol inacreditável. Mas os cruz-maltinos poderiam ter aberto o placar ainda no primeiro tempo por causa de um erro meio tosco do Saimon, que afastou mal uma bola e deu de graça pro Éder Luis. Ainda bem que ele saiu com bola e tudo. Não um xingão, apenas uma recomendação ao ótimo guri.

– Rochemback tem sido a principal certeza do time: está jogando cada vez melhor. Impressionante. Nem o Victor está se destacando tão positivamente, apesar de estar em altíssimo nível.

– o ataque é, sem dúvida, o setor mais prejudicado. Lins simplesmente NÃO É jogador para o Grêmio. E o Viçosa tem potencial, mas não consegue “resolver” sozinho. O retorno do André Lima se faz muito necessário e o Leandro poderá fazer muita diferença. Não ponho tanta fé no Miralles assim – mas infelizmente grande parte da torcida é “pagadora de pau” para argentinos, mesmo que as credenciais nem sejam tão boas assim…

– … o que me dá a deixa para falar sobre um comentário recorrente (e inexplicável) da torcida gremista na maioria dos blogs esportivos do RS: a pedida por ESCUDERO. É uma grande MENTIRA dizer que ele não “teve oportunidades suficientes”. Ele teve MUITAS oportunidades desde a sua contratação e, salvo o PRIMEIRO TEMPO de um dos Grenais do Gauchão, ele não jogou ABSOLUTAMENTE NADA. Ele comete erros RIDÍCULOS, corre afobadamente e perde a bola com facilidade assustadora. Não dá pra entender porque tanto desejo em vê-lo titular do time – visivelmente não tem qualidade para tanto. Só pode ser a “pagação de pau” gratuita.

– em tempo: acredito muito no Marquinhos como opção para o time.

– o potencial de melhoria do time é interessante, especialmente com a entrada do Gilberto Silva e o retorno do André Lima, mas passa especialmente pelo “retorno” de Gabriel, Lúcio e Douglas. Com eles novamente “voando”, teremos alguma chance.

Coritiba x Internacional
Desse jogo só posso falar melhor do primeiro tempo, pois do segundo eu vi apenas alguns momentos, pois estava ocupado brincando com o goducho. Algumas coisas saltaram aos olhos:

– Falcão tem muita razão em reclamar do plantel colorado. De forma semelhante ao Grêmio, o Inter está com algumas posições muito defasadas (especialmente a zaga) e alguns jogadores importantes estão bastante abaixo do que costumavam render. Se não contratar, é difícil acreditar em recuperação.

– a ótima atuação do Muriel não deveria surpreender ninguém: sempre mostrou que é muito mais goleiro do que Renan e Lauro. Difícil é entender porque demorou tanto para ele voltar ao time titular.

– por mais que a imprensa gaúcha tente fazer parecer que o resultado de ontem não foi bom ao Inter, o jogo mostrou exatamente o contrário: os colorados foram dominados pelo Coritiba, que, se tivesse ganho, não seria injusto.

– o Falcão não é bom treinador, está comprovando isso. Mas a crítica pública que ele está sofrendo por parte de membros da diretoria de futebol do clube é ainda mais amadora e ridícula.

Outros jogos
– não dá pra meter essa arrancada impressionante do São Paulo. Ganham em casa e fora, como se não houvesse diferença. Fazem gols e não sofrem. Como foi nos outros 3 títulos dos anos 2000. Vai ser dureza segurar o tricolor paulista, com essa vantagem tão expressiva.

– não consigo acreditar no Palmeiras a longo prazo: eles insistem em criar problemas de relacionamento, apesar dos ótimos resultados. O comentário do Kléber ao final do jogo deveria ser suficiente para demissão, apesar de que isso dificilmente acontecerá, por se tratar de um jogador diferenciado. Mesmo assim, queimou o filme do presidente do clube.

– é complicado entender porque o Corinthians aceitou alterar a data do seu confronto com o Santos, que deveria ter sido neste final de semana, para o dia 10/8. Imagino que isso tenha sido uma solicitação da Globo, pois a nova data deve ser de confrontos da Copa Sulamericana e a Globo quer ter algo mais relevante para passar em SP. Mas o Timão perde muito com isso, já que o Santos certamente iria com time reserva para esta partida, enquanto que o Corinthians só deixaria de contar com o Alex. Era uma ótima oportunidade para vencer um clássico e se manter próximo do SPFC.

– compreensível a demissão do Cuca, que deixou o Cruzeiro sem conseguir vencer no campeonato brasileiro, depois de uma brilhante primeira fase na Libertadores. Mas é incompreensível a contratação de Joel Santana para seu lugar. Com o “Tio Jejão” e sua prancheta, a raposa deixa de ser candidata ao título.

Anúncios




Com dois a mais, é covardia

3 08 2009

O jogo de ontem, mais uma vez com péssimo público no Olímpico, teve alguns “mais do mesmo”, infelizmente. Porém, algumas (boas) novidades também.

O Cruzeiro seria um caco daquele que me deixou meio cansado na semifinal da Libertadores deste ano. Afinal, dois jogadores IRRELEVANTES, como Kléber e Wagner, estariam ausentes do time estrelado. Portanto, uma postura mais defensiva da equipe mineira era esperada para o confronto.

O jogo mostrou, de fato, um Cruzeiro pouco interessado em buscar gols, ao contrário do Grêmio, que fazia pressão mas não conseguia concluir com qualidade. A história do jogo foi alterada cedo, pois Jonathan, que já havia sido amarelado num dos primeiros minutos do jogo, deu um carrinho estabanado em Tcheco, levou o segundo e foi expulso aos 17 minutos de jogo. Com a vantagem numérica, a pressão tricolor sobre o Cruzeiro foi grande, mas as conclusões a gol eram péssimas. Alguns minutos após a expulsão, Autuori ousou, ao trocar o lateral Thiego por Douglas Costa, com o objetivo de tornar o Grêmio mais ofensivo. De fato, o jogo se configurava positivo para uma boa atuação da jovem promessa, o que de fato aconteceu, mas sem nenhuma genialidade.

Da parte do Grêmio, teve destaque uma sequência ofensiva, depois de um passe sensacional de Tcheco para Túlio, que concluiu bem, mas o zagueiro cruzeirense tirou. Na cobrança do escanteio, Réver desviou e Jonas cabeceou no poste, no rebote, Souza achou Tcheco na direita que cruzou – Fábio espalmou para fora da área, a bola sobrou para Fábio Santos, que chutou forte e alto, no meio do gol, para boa defesa do goleiro cruzeirense. Uma sequência de tirar o fôlego!

Uma “recuada” de bola de Fábio Santos para o goleiro do Cruzeiro, numa ótima jogada de Jonas, aos 38 minutos, precedeu o que poderia ter sido o desastre: o estrelado saiu em contra-ataque, cruzou da direita para área, sem perigo e Tcheco, idiotamente, deixou o cotovelo nas costas de Wellington Paulista, numa jogada que não tinha grande perigo, com a defesa toda arrumada. Num primeiro momento, eu acreditei que Evandro Rogério Roman estava sendo exagerado. Mas, depois do intervalo, no momento que Tcheco disse que era um lance “de interpretação”, praticamente assumiu que foi sim, pênalti (se ele achasse que não tinha sido, teria negado). Wellington cobrou e marcou o gol clássico do “quem não faz, leva”.

ninguém imita Claudio Millar impunemente (Lucas Uebel/VIPCOMM)

ninguém imita Claudio Millar impunemente (Lucas Uebel/VIPCOMM)

Uma ressalva: se eu fosse goleiro e o cobrador do pênalti fosse destro, eu cairia SEMPRE para a direita. Se fosse canhoto, o inverso. Sério mesmo.

Apesar do primeiro tempo com a derrota no placar, a expectativa era de conseguir o empate, já que a diferença numérica se fez sentir em quase todo o primeiro tempo. A menos que Roman achasse uma expulsão contra o Grêmio, algo muito comum na arbitragem brasileira.

Aos 4 minutos, quase que Réver fez um GOLAÇO, ao receber livre na área, de costas para o gol, dominar e mandar de voleio. A bola passou no canto esquerdo do goleiro, perto do poste. Teria sido uma verdadeira PINTURA. Aos 5 minutos e meio da segunda etapa, o lance que determinou o fracasso cruzeirense: num lance no campo de ATAQUE, após perder uma bola para a defesa do Grêmio, Thiago Ribeiro deu um cotovelaço no rosto de Túlio. Um lance tri idiota, provando que Kléber FAZ ESCOLA. Pior foram os comentaristas do SporTV, visivelmente se baseando somente na câmera lenta, que sempre elimina a POTÊNCIA do lance, disseram que foi exagero do árbitro. Assim é fácil ganhar salário…

A partir daí, OITO a UM era o mínimo resultado possível. E foi QUASE isso.

Réver aos 13′, empatou. Tcheco, adiantado, meteu a bola no cantinho esquerdo de Fábio para marcar o segundo gol, aos 19′. Detalhe: ele estava sim, adiantado, mas o “passe” foi, na verdade, a tentativa do zagueiro do Cruzeiro de tirar a bola de Jonas. O gol foi legal e parem de chorar. Jonas aos 30′ e Maxi López, aos 43′, fecharam a contenda. GOLAÇO o do Maxi, diga-se.

derrapar na caixa é o que há (Roberto Vinícius/Ag. Free Lancer/Futura Press)

"derrapar na caixa é o que há" (Roberto Vinícius/Ag. Free Lancer/Futura Press)

Aliada à derrota do Vitória (cacofonia eterna) para o SPFC, no Barradão, o Grêmio fica dono da melhor campanha em casa no Brasileiro 2009, com 85,2% (7v, 2e, 0d – 23 pontos de 27 disputados). O Vitória tem 79,2% no Barradão (6v, 1e e 1d – 19 pontos em 24 disputados).

Falando em desempenho dentro e fora de casa, não precisamos falar dos ridículos 4,76% do Grêmio que fez 1 ponto em 21 disputados fora do Olímpico, até agora. Em compensação, o Goiás, que ontem venceu o Santo André por 2×1, em São Caetano do Sul, tem nada menos que 70,8% de aproveitamento fora do Serra Dourada (5v, 2e, 1d). É a melhor campanha como visitante, o que lhe rendeu a terceira colocação, com 29 pontos, dois à frente do Internacional que poderia recuperar a posição mas não jogou nesta rodada (sua partida com o Santos será no dia 26/8).

Se alguém souber de algum site onde tenha a informação, já mastigada, do aproveitamento de cada clube em casa e fora, eu agradeço. Basicamente, eu tirei estas informações do site do Prof. Tristão Garcia, o Infobola, sempre rico em estatísticas relevantes.

Abaixo, a classificação atualizada, também extraída do Infobola.

CLASSIFICAÇÃO E CHANCES DE SER CAMPEÃO
Clubes Pontos ganhos Vitórias Empates Derrotas Saldo de gols Gols pró Gols contra Jogos
1. Palmeiras 34 10 4 2 14 28 14 16
2. Atlético-MG 31 9 4 3 12 31 19 16
3. Goiás 29 8 5 3 11 30 19 16
4. Inter 27 8 3 4 6 26 20 15
5. Corinthians 25 7 4 5 0 21 21 16
6. Grêmio 24 7 3 6 9 28 19 16
7. Vitória 24 7 3 6 3 23 20 16
8. São Paulo 24 6 6 4 2 20 18 16
9. Flamengo 24 6 6 4 0 24 24 16
10. Avaí 23 6 5 5 4 23 19 16
11. Barueri 22 5 7 4 8 33 25 16
12. Santos 20 5 5 5 -1 28 29 15
13. Botafogo 19 4 7 4 -2 23 25 15
14. Santo André 18 4 6 6 -4 20 24 16
15. Cruzeiro 17 5 2 8 -9 15 24 15
16. Coritiba 16 4 4 8 -5 22 27 16
17. Atlético-PR 15 4 3 9 -14 15 29 16
18. Sport 13 3 4 9 -5 22 27 16
19. Náutico 12 2 6 8 -16 18 34 16
20. Fluminense 11 2 5 9 -13 13 26 16
Chance
54%
15%
13%
9%
1%
1%
1%
2%
1%
1%
1%
1%




Estou meio cansado

3 07 2009

Como eu já tinha exprimido aqui, estava com grande expectativa em relação ao jogo de ontem. A lógica é que daria Cruzeiro, pelo fato de ter vencido por dois gols de diferença na partida de ida. Porém, o gol de Souza naquele jogo deu um certo alento à torcida tricolor.

Chegamos no estádio 1 hora e 10 minutos antes do jogo. Como a Av. Dr. Carlos Barbosa estava bloqueada para permitir a entrada da torcida do Cruzeiro, não foi possível estacionar na R. Florianópolis, como geralmente fazemos. O que nos dificultou um pouco o processo, mas não muito. Conseguimos ficar logo à esquerda do portão 1 e, no momento que entramos, ainda havia bastante espaço nas sociais e na geral. Nas cadeiras havia MUITO espaço. Apesar de toda a mobilização, não seria algo comparado à final contra o Boca, mesmo assim, foi um grande público.

Como nós entramos pela Carlos Barbosa e contornamos o estádio sem passar pela José de Alencar, não passamos na frente do portão 16, onde houve a confusão com a Brigada Militar. Pelo lado que entramos, estava tudo muito tranquilo, graças a Deus.

Ainda que tardiamente, posso dizer uma coisa: ontem, a torcida estava “PADRÃO 2006/2007”. Muito apoio, muito ruído e pressão sobre os jogadores e a arbitragem. O estádio inteiro cantava, não só a Geral. Até o gol do Cruzeiro.

passos de ballet

passos de ballet

Farei uma síntese bem curta do jogo de ontem. Pressão louca do Grêmio, mas com pouca qualidade. Árbitro horrível, marcava 500 faltinhas bobas e permitia lentidão do Cruzeiro em repor a bola em jogo (como já tinha feito na final da Liber em 2007). Pra piorar, sonegou um pênalti RIDÍCULO DE CLARO ao Grêmio, que poderia ter mudado SIGNIFICATIVAMENTE a história do jogo.

Cruzeiro fez dois gols em dois arremates. O segundo, babaquice da defesa tricolor. Resto do primeiro tempo totalmente CHOCHO.

Segundo tempo, volta a pressão desordenada, agora justificada pelo desespero absoluto. Grêmio marca seu gol no chuveirinho, única tática possível dada a deficiência técnica do time. 10 jogadores no ataque, Cruzeiro acerta um contra-ataque e Adilson passa a foice. Expulso e aplaudido. Passa muito tempo, Grêmio não consegue concluir com qualidade. Souza acerta lindo chute de fora da área, empate e recuperação da invencibilidade no Olímpico (como se isso fosse importante). Menos pressão, Cruzeiro toca a bola e faz o tempo passar, sabendo que já está classificado.

Pra mim, o jogo acabou quando o Cruzeiro marcou o primeiro. A partir daí, o resto foi BONUS TRACK.

A comparação com o jogo de quarta é inevitável. Os dois grandes clubes gaúchos estavam decidindo jogos importantes em Porto Alegre, na mesma semana. Ambos haviam perdido por larga margem nos jogos de ida. Ambos fracassaram miseravelmente. Porém, o Grêmio tinha mais a perder do que o Inter. Ambos times colocaram todos os ovos nas copas que estavam disputando, mas o Inter, talvez por qualidade do grupo, por sorte ou uma mistura dos dois fatores, conseguiu mesmo assim a liderança do campeonato brasileiro. Já o Grêmio, jogou vários jogos com time titular e está apenas na 14ª posição. O Inter perdeu a Copa do Brasil mas dificilmente perderá a vaga para a Libertadores do ano que vem, pois já está muito bem encaminhado e agora jogará com força máxima o restante do campeonato.

E o Grêmio? Acho praticamente impossível lutar pelo título estando 8 pontos atrás dos líderes. Vaga para a Libertadores é bastante possível, mas não com este time. Com este time, não dá pra sonhar com nada, não adianta nos iludirmos.

Me permito fazer um ESPÓLIO do Grêmio, pós eliminação da Libertadores:

* direção: André Krieger já anunciou que sairá da direção de futebol do Grêmio. Deveria ter feito isso antes, mas acho muito positivo. O substituto precisaria ter experiência no setor. Nesta hora, cores partidárias não deveriam ser importantes. O presidente será um “peso morto” até o final de seu mandato. Jamais deveria ter sido eleito. Não votei, não posso reclamar, no entanto.
(Espero que a ideia das urnas no interior para as próximas eleições vingue. Mas como as cláusulas de barreira não foram modificadas, talvez nem haja eleição para votar…

* defesa: os zagueiros titulares são bons, mas a defesa como um todo não tem jogado bem a temporada inteira. Até o Réver, que era a referência do setor, tem falhado nos últimos jogos. E, pior ainda, ele provavelmente não ficará no time, será vendido.
A direção do Grêmio conseguiu a FAÇANHA de dispensar um lateral-direito (ainda que ruim) sem que houvesse um substituto. Assim, o time jogou com um zagueiro improvisado no setor, o que se revelou insuficiente e incorreto. Não culpo o Thiego por suas péssimas atuações, pois essa não é a sua área. O lateral-esquerdo titular, Fábio Santos, é a mesma coisa que não ter ninguém no setor. De longe, as alas são o principal problema do Grêmio. O clube deveria contratar um titular pro setor, colocar Fábio Santos no banco e dispensar Jadilson, que é muito ruim. Bom mesmo seria contratar dois jogadores de qualidade pra ala esquerda, mas isso seria pedir demais, ainda mais no Brasil. Joilson será o lateral-direito titular, portanto, é importante contratar um bom jogador reserva pro setor. Um bom zagueiro deveria ser contatado, caso Réver seja mesmo negociado.

* meio-campo: tenho certeza absoluta de que o ciclo de Tcheco já se encerrou no Grêmio. Na verdade, ainda no ano passado. O jogador não é referência técnica, além de se esconder em momentos decisivos. Um jogador de GRANDE qualidade, para esta função, tem que ser a prioridade máxima. Uma “sombra” para Souza (que não jogou nada de novo, ontem) também seria bom. Daria novas oportunidades para Douglas Costa no time principal, o Grêmio não tem muito a perder neste momento. Mas não que eu acredite muito nisso. Com o retorno de Willian Magrão, acho que a “volância” ficará OK.

* ataque: o Grêmio contratou muitos jogadores para esta área. Alex Mineiro será dispensado e o Grêmio nada perde com isso. Se algum clube TROUXA da Europa se interessar em levar Maxi López, seria bom, pois o ALEMÃO é raçudo, mas não faz gols e custa caro demais. Seria preferível investir em algum atacante habilidoso e de qualidade COMPROVADA (Jimo). Acho que o Grêmio perdeu tempo demais buscando a tal da REFERÊNCIA NA ÁREA. Vários times jogam bem com dois atacantes velozes, com tendência a jogar mais pelos flancos. Composições de Herrera e Jonas ou Herrera e Perea não devem ser descartadas. Entendo que Herrera é a única certeza no ataque gremista, neste momento.

Se alguém tiver outras ideias, podem opinar.

Mas, como disse no título, estou cansado disso tudo. Acho que a torcida tricolor está perdendo o entusiasmo, e isso é grave. São vários anos no ostracismo, vivendo à sombra do sucesso vermelho. É preciso reagir logo.





Expectativa

2 07 2009

Um frio gela a espinha.

Coparemos.





“Homenagem” ao treinador

25 06 2009

O Grêmio perdeu ontem seu primeiro jogo na Libertadores. Justamente na partida de ida das semi-finais da Copa, contra o Cruzeiro. E não foi qualquer derrota – foram 3×1 para o time mineiro, que chegou a estar vencendo por 3×0. Para piorar, ainda teve confusão no final do jogo porque o jogador cruzeirense Elicarlos registrou queixa na polícia contra Maxi López, acusando-o de tê-lo chamado de macaco.

O treinador gremista, Paulo Autuori, demonstra que está querendo ser “homenageado” pela torcida tricolor. Pois está tomando decisões difíceis de serem compreendidas e, pior, que provaram ser equivocadas. Começou pela escalação do time, mantendo Alex Mineiro, que não vem jogando bem, como atacante titular, em detrimento de Herrera, que teve desempenho superior nos jogos anteriores. A teimosia do técnico provou ser apenas, teimosia.

Alex Mineiro errou um gol feito no início do jogo. Maxi López errou outro mais feito ainda em seguida. Assim não dá, tchê! O que esses caras fazem nos treinos de finalizações? Ficam comendo PIPOCA?

Apesar da BAIXA EFETIVIDADE (alô TITE) do ataque do Grêmio, o tricolor tinha acertado a marcação e praticamente impedido ataques mais FERVOROSOS por parte do Cruzeiro. Mas um deles, acabou funcionando, no final da primeira etapa. Adiantando-se a Léo, num cruzamento, Wellington Paulista aparou de cabeça um cruzamento de Jonathan, anotando o primeiro tento cruzeirense.

Até o final do primeiro tempo o jogo ficou morno, mas faltava pouco tempo. O que ninguém esperava é que o segundo gol do time da casa seria marcado tão cedo, a menos de 2 minutos da segunda etapa, através de um chute forte de Wagner que seria defendido por Marcelo Grohe, se não tivesse desviado em Tcheco, tirando completamente o goleiro da bola.

Invocando o CAPITÃO ÓBVIO, Paulo Autuori resolveu mexer no time pela única vez NO JOGO INTEIRO: tirou Alex Mineiro para colocar Herrera. O argentino LOCO até tentou dar umas MILONGADAS pelo lado direito, mas a coisa não fluía.

Aí, CAIU AS BOLA da torcida e dos jogadores. O Grêmio ficou uns 15 minutos, rodopiando tal CARROSSEL. Até que a zaga resolveu brincar de OVO PODRE, deixando Fabinho completamente ISOLADO num cruzamento, que CUMPRIMENTOU Marcelo. 3×0 no LOMBO.

O Grêmio acharia uma falta na entrada da área que Souza cobrou com maestria, para reduzir a vantagem estrelada. Este gol poderá fazer uma grande diferença em PoA. Depois disso, o jogo ficou paralisado por vários minutos para substituição… do ÁRBITRO, que se lesionou num PIQUEZINHO básico. Ainda bem, pois o chileno Henrique Osses é muito RUIM, já tinha perdido o controle da partida desde o fim do primeiro tempo. Graças a Deus a partida não descambou pra violência na segunda etapa.

Daí em diante, nada mais aconteceu de relevante. No campo.

Ao ser substituído, o jogador Elicarlos, do Cruzeiro, falou aos microfones que fora chamado de macaco pelo atacante gremista, Maxi López. Prestou queixa na delegacia existente dentro do Mineirão, sendo que a polícia forçou a entrada no ônibus da delegação tricolor, para que Maxi prestasse esclarecimento. O time inteiro do Grêmio foi à delegacia, em solidariedade. Espero sinceramente que isso não propicie nenhum ato de selvageria contra torcedores cruzeirenses ou mesmo no jogo em Porto Alegre. Vamos ver se Elicarlos continuará com a queixa ou não. Sinceramente falando, se ele realmente foi chamado disso, tem mais é que continuar com o processo. Quem sabe assim esses LOIRINHOS DE MERDA parem de falar porcaria por aí.

No final do jogo, os repórteres do SporTV foram entrevistar Kléber, que mostrou calma e coerência na entrevista, apesar de, segundo a Gra, DESCONHECER O PLURAL. Foi perguntado se o Cruzeiro estava saindo com uma boa vantagem e ele disse: “tomamos um gol…”. Acredito que este sentimento seja de grande preocupação ao time mineiro e também para o técnico Adilson Batista.

Entendo que o treinador do Grêmio errou, e feio. Algumas perguntas para ele:

– por que começar com Alex Mineiro se ele não joga nada há 150 DIAS?
– por que escalar um time com TRÊS ZAGUEIROS e DOIS VOLANTES?
– por que insistir numa formação que estava tomando 3×0 sem promover alguma alteração significativa?

Complicou AFU. Mas dá. Só tem que jogar decentemente futebol e o técnico não pode fazer INVENCIONICES. Esse bando de MASCARADOS precisa fazer muito mais do que tem feito, até agora.





Fiasquinhos tricolores

1 06 2009

O Grêmio ontem mostrou claramente que não é confiável. Tinha um jogo contra uma equipe tecnicamente frágil, com seríissimos problemas ofensivos e uma chance de ouro para permanecer à espreita da liderança do campeonato. Mas conseguiu uma façanha: apresentar futebol pior do que o do Vitória. A derrota veio nos acréscimos do segundo tempo, mas o merecimento por ela se deu em todos os 90 minutos de jogo.

A única modificação relevante no time foi no meio-campo, com o ingresso de Túlio no lugar de Tcheco, que foi poupado e nem fardou. Depois de muito tempo, o time voltou a jogar com dois volantes. Isso não deu muito certo, o excesso de comportamento defensivo fez com que o Grêmio jogasse quase que exclusivamente em seu campo, tendo muitas dificuldades para manter uma sequencia de passes razoável. O Vitória, mais organizado, aproveitou-se disso e teve muito volume de jogo, especialmente através de Apodi, pela direita. A defesa gremista conseguia afastar a maioria das bolas, mas falhou em vários lances, especialmente no primeiro tempo.

Aos 26 minutos, Victor cometeu pênalti em Neto Baiano, mas o árbitro, Wagner Tardelli, não marcou. Três minutos depois, Alex Mineiro é empurrado dentro da área baiana, o juiz novamente não assinalou.

O segundo tempo foi bastante ruim, mesmo o Vitória não conseguia manter seu ímpeto ofensivo do primeiro. Jadilson e Jonas entraram nos lugares de Adilson e Alex Mineiro. O segundo foi expulso, ao tomar dois cartões amarelos num intervalo curto de tempo. O primeiro melhorou um pouco o apoio pela esquerda, mas muito muito pouco mesmo.

O Vitória merecia vencer por ser o único time que realmente buscou a vitória desde o início do jogo. Mas aposto que nem Leandro Domingues imaginava que conseguiria mandar um canudaço tão lindo no ângulo direito de Victor. Absolutamente indefensável.

O resultado colocou o Vitória novamente na vice-liderança, com 9 pontos.

Jogo jogado

Todos já sabiam que o Inter colocaria time misto contra o fraco Avaí. E todos também sabiam que, ainda assim, o colorado era amplamente favorito na disputa. Deu-se a lógica e o Inter venceu o confronto por 2×1, sendo que o tento da equipe de Florianópolis deu-se por cobrança de pênalti, num lance em que não ocorreu falta e foi fora da área. Erro duplo de Sálvio Espínola Fagundes. Menos mal que o time venceu mesmo assim.

O troco (1)

Um tricolor não fez feio ontem: o São Paulo, intrigado com seu mau início de campeonato, resolveu ir à forra e meteu 3×0 no Cruzeiro, devolvendo a derrota que sofreu para o mesmo time no meio da semana, porém, pela Libertadores. Os gols foram de atacantes: Washington, Borges e Dagoberto. Primeira vitória do tricolor paulista, que foi a 5 pontos.

O troco (2)

Um mês depois, o Santos teve a chance de devolver o revés que sofreu na final do campeonato paulista. Na Vila Belmiro, o peixe não tomou conhecimento do time misto corinthiano e meteu 3×1 no time de Mano Menezes, que faz companhia ao Grêmio na metade inferior da tabela, com 4 pontos.

Resultados da quarta rodada

Campeonato Brasileiro – Série A – 4a. Rodada
Data Hora Cidade Estádio Jogo
30/05 18:30 Rio de Janeiro Engenhão Botafogo 2 x 2 Sport
30/05 18:30 Curitiba Couto Pereira Coritiba 1 x 3 Goiás
30/05 18:30 Belo Horizonte Mineirão Atlético Mineiro 0 x 0 Santo André
31/05 16:00 São Paulo Morumbi São Paulo 3 x 0 Cruzeiro
31/05 16:00 Santos Vila Belmiro Santos 3 x 1 Corinthians
31/05 16:00 Recife Aflitos Náutico 1 x 1 Fluminense
31/05 16:00 Rio de Janeiro Maracanã Flamengo 2 x 1 Atlético-PR
31/05 16:00 Salvador Barradão Vitória 1 x 0 Grêmio
31/05 18:30 Barueri Arena Barueri Barueri 2 x 2 Palmeiras
31/05 18:30 Porto Alegre Beira-rio Internacional 2 x 1 Avaí

Não consigo colocar a classificação pois a minha empresa “barrou” os uploads de imagens. Vejam a classificação atualizada aqui.

Campeonato Brasileiro – Série A – 4a. Rodada
Data Hora Cidade Estádio Jogo
30/05 18:30 Rio de Janeiro Engenhão Botafogo 2 x 2 Sport
30/05 18:30 Curitiba Couto Pereira Coritiba 1 x 3 Goiás
30/05 18:30 Belo Horizonte Mineirão Atlético Mineiro 0 x 0 Santo André
31/05 16:00 São Paulo Morumbi São Paulo 3 x 0 Cruzeiro
31/05 16:00 Santos Vila Belmiro Santos 3 x 1 Corinthians
31/05 16:00 Recife Aflitos Náutico 1 x 1 Fluminense
31/05 16:00 Rio de Janeiro Maracanã Flamengo 2 x 1 Atlético-PR
31/05 16:00 Salvador Barradão Vitória 1 x 0 Grêmio
31/05 18:30 Barueri Arena Barueri Barueri 2 x 2 Palmeiras
31/05 18:30 Porto Alegre Beira-rio Internacional 2 x 1 Avaí




Quarta-feira inolvidável

27 05 2009

Esta noite é um prato cheio para os amantes do futebol de qualidade. Isso porque teremos, ainda à tarde, a final da UEFA Champions League, entre Barcelona e Manchester United. O jogo único será realizado em Roma, na Itália. Este formato vem sendo adotado pela UEFA há vários anos e tem garantido grandes públicos, mesmo sendo realizado em campo neutro. Na América do Sul, isso certamente não funcionaria.

Do jogo sairá o adversário do Grêmio representante da Europa no Mundial de Clubes da Fifa, que será realizado, neste ano, em Abu Dhabi, Emirados Árabes Unidos, em dezembro. Também sairá o ganhador do prêmio de 110 milhões de Euros, muito superior ao maior faturamento de um clube brasileiro em 2008, de R$ 160 milhões (do São Paulo).

À noite, teremos Copa do Brasil em seus confrontos semi-finais e a Libertadores da América, abrindo a fase de quartas-de-final. Infelizmente, todos os jogos serão disputados no mesmo horário (21:50), o que impossibilitará o correto acompanhamento de todos eles.

Libertadores

Em Caracas, o time homônimo da capital venezuelana tentará manter o excelente aproveitamento que tem em seus domínios e vencer o Grêmio, que tem o melhor aproveitamento entre todas as equipes da Libertadores, com 1 empate e 7 vitórias. Vale lembrar que o Caracas eliminou, na primeira fase, o Lanús, atual líder do torneio clausura argentino. A camiseta vermelha e a presença de jogadores chamados Rentería e Figueroa é a certeza de que os colorados estarão torcendo ainda mais fortemente contra seu rival.

O Grêmio garante a presença de Adílson, que poderia ser preterido por Túlio. Souza e Réver se recuperaram de incômodos musculares e também jogarão. É provável que eles sejam poupados no domingo, em Salvador.

Em Belo Horizonte, um duelo de gigantes. O Cruzeiro receberá o descansado São Paulo no primeiro confronto da série. Será um jogaço, sem dúvidas.

Os demais confrontos serão jogados amanhã: às 19:30, o Defensor receberá o Estudiantes, em Montevideo. Às 22 hs, o Palmeiras será o anfitrião do Nacional de Montevideo, no Palestra Itália.

Copa do Brasil

Se não bastassem os dois jogos da Libertadores, ambos jogos das semi-finais da Copa do Brasil serão disputados nesta quarta-feira, no mesmo horário (21:50). O Internacional receberá a “zebra” Coritiba e deverá ter vida fácil. Tendo recém passado em difícil confronto com o Flamengo, o Inter tem a vantagem psicológica de ser líder absoluto do campeonato brasileiro e ter um aproveitamento invejável na temporada. O Coritiba teve muita sorte de não ter enfrentado nenhum adversário qualificado nesta Copa, sendo que eliminou a Ponte Preta nas quartas-de-final. O time de René Simões não se compara ao qualificado grupo de 2008, tendo perdido Keirrison e Marlos, dois dos destaques da temporada passada. Embora ninguém no Beira-rio admita, é jogo jogado.

Por outro lado, outro duelo de grandes, com uma similaridade interessante: Vasco e Corinthians farão o primeiro confronto no São Januário. O “timão”, recém retornado da série B. O cruzmaltino, atual integrante da divisão da vergonha. No entanto, ambos clubes estão com bons times e jogando bom futebol. A vantagem é, indiscutivelmente, do alvi-negro paulistano.

E tem mais?

Futebolisticamente, não. Mas, antes dos jogos, eu vou dar umas bandas…

dale tricolor (ns)

dale tricolor (ns)