Sobre sábado

7 09 2009

Vou aproveitar uns minutinhos deste feriado, enquanto descanso minha cabeça dos estudos para o teste da ANPAD, para fazer meus comentários sobre o jogo do Grêmio contra o Vitória, sábado. Foi provavelmente uma das piores atuações do time em termos ofensivos e de criação de jogadas, no Olímpico. Mas, sem dúvida, foi a pior de todas as partidas do sistema defensivo. Irreconhecível. Vazou completamente e o Grêmio teve muito mais sorte do que juízo de não ter saído com uma goleada no lombo. Além da mãozinha do árbitro, que expulsou Magal injustamente.

Para a imprensa e para grande parte da torcida, este jogo será marcado pelo “erro” da substituição de Tcheco por Douglas Costa para o início da partida. Coloco entre aspas, pois eu não creio que tenha sido equivocada. Aliás, o mau desempenho da armação tricolor não foi melhorado depois que o “eterno 10” entrou no time, no segundo tempo. No máximo, melhorou um pouco a qualidade dos cruzamentos e das cobranças de escanteio.

Nota mental: PROIBIR Souza de cobrar escanteios.

Pra mim, o grande erro foi ter lançado mão de Fábio Rochemback de cara, na mesma semana em que ele foi apresentado. O Grêmio não tinha grandes problemas na volância, apesar da instabilidade de Túlio e Adilson. Mesmo que Autuori tenha pensado em Rochemback como um armador mais recuado, a falta de entrosamento da nova contratação compensou negativamente qualquer vantagem tática imaginada. Pior ainda foi o treinador não ter sacado-no do time no intervalo ou no segundo tempo, quando despencou fisicamente.

Douglas tem demonstrado alguma qualidade, mas sempre cai na falta de eficiência ou mesmo no excesso de firulas, mesmo mal acometido por Souza. Jogassem os dois de forma mais simples, provavelmente teriam muito mais sucesso. Curioso ninguém falar isso pra eles, ou melhor, demonstrar.

Além da péssima atuação do Rochemback, outro que muito me preocupa é Lúcio, que retornou ao Grêmio depois de rápida porém fulminante passagem no primeiro semestre de 2007. Sabemos que ele ficou muito tempo parado por causa de uma lesão grave que sofreu enquanto estava na Alemanha. Inclusive este é o motivo de ele não ter sido aproveitado pelo Hertha Berlin nesta temporada europeia. Lúcio foi um dos jogadores que ESTRAGARAM a atuação do Grêmio contra o Botafogo, no último domingo (desculpem por não ter postado sobre o jogo). Agora, contra o Vitória, ele repetiu tudo o que havia feito de ruim no Rio de Janeiro. O lado esquerdo, com ele, está ficando muito vulnerável e, para complicar mais, seus apoios estão terríveis. Ele está errando uma quantidade CATASTRÓFICA de passes. Creio que seria prudente retornar Bruno Collaço para a lateral e ir introduzindo Lúcio no time de forma mais gradativa, para pegar ritmo de jogo. O mesmo vale para Rochemback.

O salvador. De novo. (foto: Gazeta Press)

O salvador. De novo. (foto: Gazeta Press)

O gol do Vitória nasceu de um erro ridículo do cada vez mais inseguro Adilson. Cabeceou inexplicavelmente para trás uma bola fácil, dando um passe primoroso pro Neto Berola, que não desperdiçou. Mas é importante dizer que o Vitória já merecia o gol, pela qualidade e velocidade de seu contra-ataque. O Grêmio perdia bolas fáceis no meio-campo, deixando tudo mais tranquilo pro time do Vagner Mancini (que parece ter a manha de jogar contra o Grêmio – este ano enfrentou duas vezes no Olímpico e empatou as duas).

Tulio na lateral-direita foi inexplicável. Autuori queria muito vê-lo lá, e espero que tenha se convencido de que não serve. Deixa o cara no meio-campo e para de inventar, pô!

Apavorou muito a incapacidade tricolor de pressionar o adversário. Impressionantemente, o Vitória conseguia encaixar um contra-ataque atrás do outro sem que o Grêmio conseguisse, pelo menos, agredir minimamente. E, ainda mais preocupante, depois da incorreta expulsão de Magal, pois o time continuava sem ter o menor poder ofensivo. E tomando contra-ataques em sequência. Só no início do segundo tempo, o Vitória teve umas duas chances CLARÍSSIMAS de gol, sem contar as do primeiro tempo.

O gol de empate só saiu por pura insistência, em bom, porém, despretensioso cruzamento de Tcheco, que contou com a perfeita conclusão de primeira de Jonas. Lindo gol, que lhe rendeu a liderança na artilharia do campeonato com 11 gols, ao lado de vários outros.

Não identifiquei se a torcida vaiou o time ao final do jogo. Espero que sim, pois mereciam muito.

Finalmente acabou com esse papo idiota de que o Grêmio ainda visava o título. Baita conversa pra boi dormir. Neste momento, o Grêmio está “apenas” a 6 pontos do quarto colocado, o que significa que até as possibilidades de Libertadores estão bastante remotas no momento. Sem a tão esperada SACUDIDA no vestiário, vamos ter de nos contentar com SULA MIRANDA no ano que vem.

P.S.: linda atuação da seleção brasileira em Rosário. Destruiu com a Argentina. O terceiro gol canarinho foi de assistir CHORANDO de emoção. Tenho que dar o braço a torcer, mas Dunga realmente deu uma cara de time para a “seleNIKE”, apesar da inexplicável manutenção de Robinho.

Anúncios




Aluga-se blog

10 08 2009

O espaço acima é para qualquer pessoa postar o que quiser sobre o jogo do Grêmio ontem. Eu me esgotei, comentando quase em TEMPO REAL no Twitter. Se alguém tiver criatividade, fique à vontade.

O André Kruse teve a paciência (ou racionalidade) de fazer uma análise. O Vicente também mandou bem, escrevendo sobre a lamentável derrota.

Só vou fazer um comentário: 7 vitórias, 7 derrotas, 4 empates. Sete vitórias em casa, sete derrotas fora. MACONHA total.





A culpa é de Galvão

22 08 2008

O ZERO-UM da Rede Globo está com um pé-frio desgraçado, não há dúvidas. Nestas Olimpíadas, tudo o que ele toca vira lixo. Se aturar narrações deste sujeito em jogos de futebol, geralmente da seleção brasileira, já era um suplício pra boa parte da população brasileira, ter que aguentá-lo em transmissões de vôlei, vôlei de praia, natação, atletismo, etc., é o fim da várzea.

Vamos contabilizar: seleção masculina de futebol – ele narrou e CRÉU. Seleção feminina de futebol – ele narrou e CRÉU. Vôlei de duplas Márcio e Fábio Luiz – ele narrou e CRÉU. Duas derrotas em finais em menos de 24 horas – um feito digno de menção honrosa, sem dúvidas.

Eu assisti à semi-final brasileira de volei de praia, entre Ricardo/Emanuel e Márcio/Fábio Luiz. O Galvão era visivelmente favorável à dupla mais famosa, o que é no mínimo estranho, para não dizer anti-ético, considerando que eram duas duplas brasileiras que estavam em quadra.

Ontem, após a dupla Márcio/Fábio Luiz perderem o ouro de forma vexatória para uma dupla americana, Galvão SUGERIU que isso não teria acontecido caso Ricardo/Emanuel tivessem avançado para as finais. Mais um lamentável capítulo deste ignóbil indivíduo (que tem um dos maiores salários da televisão brasileira, diga-se de passagem).

Por isso, faço uma campanha que gostaria muito que avançasse em nível nacional: “TIRE O VOLUME DA TV”. Obrigado!