Gracias, Fito!

15 09 2008

Este é a minha CENTÉSIMA POSTAGEM neste blog. Não poderia comemorar tal número com um motivo melhor.

No sábado à noite, dediquei-me a ir com minha esposa ao show do Fito Paez, em vez de ir ao jogo do Grêmio contra o Goiás, decisão que mostrou-se, no final das contas, mais do que acertada. Na realidade, eu não iria pro Olímpico mesmo que fosse, sei lá, contra o LIVERPOOL, pois não perderia o show do Fito por nada.

Por sinal, obrigado Gra, pelos ingressos… ;)

O show do Fito foi sensacional. E longo, pois começou às 21:30 e foi até 23:20 – quase duas horas de rock ‘n’ roll cru. Fito estava enlouquecido, piradaço. Ainda bem, quando mais louco, melhor.

O show teve muitos sons novos, do último disco, que eu não conheço, mas geniais, como deu pra ver. Obviamente os pontos altos foram nas músicas Trac Trac, Al Lado del Camino, Cable a Tierra, Ciudad de Pobres Corazones, Circo Beat, A Rodar mi Vida, 11 y 6, Dar es dar e Naturaleza Sangre (numa versão um pouco diferente da original – infelizmente sem Charly García, claro).

A banda que está acompanhando Fito, The Killing Killer Burritos, de Rosario, é muito boa. Inclusive os dois sons que eles fizeram sem Fito são excelentes. Rock de excelente qualidade.

No entanto, a acústica do Pepsi on Stage é bem ruinzinha. O local é grande e cabe muita gente. Felizmente conseguimos nos posicionar de forma frontal, relativamente perto do palco. Mesmo assim, no começo do show, às vezes era difícil ouvi-lo.

Esqueci de alguma coisa?

…tolinhos…





O show do ano

26 08 2008

Vocês não imaginam qual foi o tamanho de minha alegria quando soube disso: FITO PAEZ, de volta a Porto Alegre. Eu somente tinha visto um show dele em 1996 (ou 1997, não lembro direito), num dos primeiros Planeta Atlântida. O problema é que eu não conhecia o trabalho dele, na época e não curtia o som do argentino. Hoje me arrependo de não ter aproveitado melhor aquele show.

O criador de 11 y 6 (acima), Mariposa Tecknicolor, Al lado del camino, Lo que el viento nunca se llevó, A rodar mi vida e tantas, TANTAS outras fantásticas canções, merece muito mais destaque em nosso país do que efetivamente tem. Talvez por conta da XENOFOBIA idiota que temos e que, Fito, certamente não tem, já que fez duetos com muitos importantes intérpretes brasileiros em toda a sua carreira. Inclusive há uma versão de “La rumba del piano” cantada em português com Caetano Veloso, assim como “Mariposa Tecknicolor”, também com Caetano.

GÊNIO

GÊNIO

Para mim, Rodolfo Paez Ávalos é um dos maiores nomes do rock latinoamericano de todos os tempos. Para o meu gosto, é um dos maiores compositores e intérpretes de todo o mundo. O sensacional casamento entre o piano e voz, o sentimento impresso em cada canção, é difícil comparar.

Graças a Deus, a Gra já comprou nossos ingressos. O show será no dia 13/9, às 21 horas, no Pepsi on Stage. Os ingressos estão sendo vendidos na bilheteria do Teatro do Bourbon Country. Impossível perder.