Sobre o Grenalzinho

1 02 2011

Nem pretendo me alongar muito neste assunto, pois um Grenal disputado por equipes reservas e que teve 7.000 testemunhas não é tão digno de nota assim. Algumas ponderações:

– na verdade não eram dois times reserva. O time do Grêmio que disputou o clássico é reserva, ou seja, foi formado por jogadores que costumam frequentar o banco tricolor e, não raro, até o time titular. O time do Inter não é reserva, é um time de jogadores que NEM grupo principal pegam. Não para menos, dava pra notar a diferença técnica entre os dois grupos.

– não dá pra concordar com quem diz que o primeiro tempo foi do Inter, o segundo do Grêmio. Ok, foi no 1o. que saiu o gol colorado e foi no segundo que o tricolor virou, mas o jogo não teve essa “divisão”. Quem o assistiu sabe que o Grêmio teve um domínio relativo, não absoluto até os 35 minutos do 1T. Somente depois do gol colorado – um lance meio isolado – é que os vermelhos passaram a pressionar, até o final da primeira metade do jogo. O segundo tempo foi praticamente inteiro a favor do Grêmio, mas houve alternância de oportunidades para ambas equipes – teria sido mais justo se o Inter tivesse marcado gols no segundo tempo do que no primeiro.

– aliás, não dá pra deixar passar o lance que poderia ter resolvido o jogo para os colorados – uma chance de gol claríssima de Ricardo Goulart, que preferiu chutar forte em vez de colocar, na frente do goleiro e mandou um abacate quase pra fora do estádio.

– pobre Diego Clementino… jogou bem, teve boas oportunidades, mas o Muriel estava EM CHAMAS. Pra mim, seguramente o melhor jogador da partida, apesar da derrota.

– os caras que estão pagando pau pro Lins só podem estar LOUCOS. O cara não jogou uma CEBOLA (ns) – fez o gol por muita sorte, já que uma ROSCA RIDÍCULA como a que o zagueiro Natan o presenteou quase nunca acontece no futebol profissional, hoje em dia.

– embora não tenha criado tanto, ficou reforçado que o Mithyuê tem muita qualidade – será um desperdício de talento deixá-lo de fora do grupo principal.

– me parece que o Maylson está piorando – talvez seja a falta de oportunidades no time principal ou talvez seja a real dele mesmo.

– a ruindade da zaga tricolor nesta partida teve, como principal nome negativo, o loirinho Neuton. Não sei qual era o problema dele, mas estava DESCONECTADO. Outro que só fez m… desde que voltou de lesão é o Vilson, outro tosco.

– pra mim, a notícia mais agradável do jogo foi o FRACASSO RETUMBANTE de público no Grenal “histórico”. É bem provável que seja um dos Grenais de menor público da história do confronto, pelo menos depois da construção do Olímpico e do Beira-rio. Parabenizo os gremistas e colorados da fronteira, que se recusaram a pagar UMA FORTUNA para assistir a um jogo que nenhum dos dois clubes tinha interesse e que, por arrogância do MISTER FGF, não foi reagendado. GO TO HELL, Novellinha.





Futebol não se esquece

28 03 2010

E nem se deixa pra lá, de uma hora pra outra, como se simplesmente deixasse de ser interessante ou algo do estilo. Vocês talvez pensaram que eu tinha largado de mão, mas NÃO. Cá estou de volta. É certo que vocês não contarão com posts garantidos a cada partida do tricolor, como eu tentei fazer em boa parte do ano passado, mas eu volta e meia PITACAREI por aqui.

Por ser meu primeiro post do ano sobre futebol, tenho muita coisa para recuperar? Na verdade, não. E mais, poderia perfeitamente aguardar mais um mês para “lançá-lo” e ainda assim seria barbada recuperar o tempo perdido.

Por que isso? Porque, quando teu time não disputa a Libertadores num ano, o primeiro semestre demora muito pra começar. Eu diria que o do Grêmio praticamente nem começou ainda, já que o Gauchão é um campeonato LIXÃO e extremamente FÁCIL, que não dá graça assistir e a Copa do Brasil somente poderá ficar razoavelmente interessante a partir da próxima fase, quando deverá enfrentar o Coritiba (mais provavelmente) ou o Avaí (correndo por fora). Ficar falando do desempenho do time contra o ARAGUAIA ou o VOTORATY não dá nem vontade. Basicamente a culpa disso é da CBF, das federações estaduais e dos, sei lá, TRADICIONALISTAS. Mas não vou me estender nessa discussão inútil, pelo menos, não agora.

Basicamente, estes primeiros  meses servem para fazer o time jogar, ainda que contra adversários ridiculamente fracos e para dar mecânica de jogo. Enfim, preparar-se para quando o BICHO PEGAR. Assisti muito poucos jogos nestes meses, pois eu cancelei minha assinatura do PPV ao final do Brasileirão do ano passado.

Fazendo rapidamente uma retrospectiva: Silas começou o ano testando o time com seus jogadores mais famosos e caros, o que rapidamente mostrou-se uma péssima ideia, já que vários dos “medalhões” não corresponderam nem minimamente, além de OUTRO que voltou a comprovar que não merece ser titular nem do BRASIL DE PELOTAS. Daí, talvez não por convicção própria, mas pela FORÇA DO DESTINO, que lesionou vários destes medalhões que não vinham jogando bem, Silas forçou-se a escalar uma equipe com vários GURIZES, que sempre entravam com qualidade no time. Além disso, a direção contratou o zagueiro Rodrigo e o lateral-direito Edilson, ambos demonstrando alguma qualidade, especialmente o último. Somado a isso, o crescimento assombroso do futebol de Douglas, que entrosou-se e passou a jogar com mais criatividade.

"vou dizer no vestiário que Jesus era gay - quero ver o Silas me tirar do time agora" (José Doval - gremio.net)

Este somatório de fatos PRATICAMENTE definiu uma equipe que deverá ser a titular do Grêmio, até que mais alguém se lesione ou seja negociado: Victor, Edilson, Mário Fernandes, Rodrigo, Fábio Santos, Adilson, Ferdinando, Douglas e Maylson, Borges e Jonas, jogando no 4-4-2.

A melhor atuação do time que eu vi jogar foi contra o Ypiranga, em Erechim, domingo passado. Apesar do time sair perdendo, de forma injusta até, foi tão superior que virou o jogo e ainda ampliou. Naquele jogo, as estrelas do guri Maylson e do Douglas brilharam fortemente. E, mais uma vez, o também guri Mi2Ê entrou no lugar do William “Poste da RGE” e TOCOU O TERROR.

Mithyuê (gremio.net)

Mas, insisto, não adianta a gente se empolgar muito contra essa NAIPA de adversários. Portanto, é mais relevante constatarmos que o time está se entrosando, coisa e tal, mas ainda é impossível saber se vai ter uma boa temporada ou não, só depois que os grandes confrontos começarem a acontecer.

Estamos de ooooooolho (imaginem a frase dita pelo Cid Moreira…)





Congratulações ao campeão gaúcho

20 04 2009

Quero expressar aqui meus parabéns ao Sport Club Internacional, campeão gaúcho de 2009, de forma invicta e muito contudente, através de uma vitória por 8 x 1 sobre o SER Caxias do Sul, na final da Taça Fábio Koff, referente ao segundo turno do campeonato.

Não há dúvidas de que o Internacional venceu o campeonato de forma justa – aliás, nada pode ser mais justo. Porém, a forma como o Internacional venceu este campeonato, de certa forma, ratifica a minha tese.

Congratulações ao Internacional.





Fim-de-semana para relaxar

10 04 2009

Esse fim de semana terá as semi-finais do segundo turno do campeonato gaúcho: Inter x Ulbra e clássico Ca-Ju. Acompanharei estes jogos um pouco à distância, já que meu time não está disputando nenhuma das partidas. Portanto, um finde “light” para mim.

A expectativa reside na indefinição do próximo treinador gremista. Esperamos por Paulo Autuori, mas existe a chance de Renato Portaluppi comandar a casamata tricolor. Não creio que algo seja definido nesta sexta-feira santa.

Resta desejar a todos uma FELIZ PÁSCOA, com muito chocolate pra todo o mundo. Principalmente paz na Terra e amor nos corações.





Sobre o campeonato gaúcho

20 03 2009

Eu tinha vontade de escrever este texto há mais tempo, estava BOLANDO-NO há uma semana, mais ou menos, mas acredito que a goleada de 6 a 1 aplicada pelo Grêmio sobre o São José, de Porto Alegre, me ajudará a SINTETIZAR melhor a idéia.

homenagem à esposa

homenagem à esposa

É comum haver uma discussão sobre a importância e a relevância do campeonato gaúcho para os grandes clubes do Rio Grande do Sul. Como “grandes” eu classifico Grêmio e Internacional – o Juventude seria um clube médio, Caxias e Brasil de Pelotas, médio-pequenos e os demais são todos pequenos.

Afinal, o quanto importante para o campeonato gaúcho é a presença da dupla Grenal? Sim, pois excluindo-se alguns acidentes de percurso, os campeões gaúchos são, quase invariavelmente, Grêmio e Internacional. Então, para os clubes do interior, o “prêmio” de consolação geralmente é classificar-se para a final, ou para uma semi-final, dependendo do caso.

Porém, é importante que se diga que, na maioria dos casos, os clubes interioranos só conseguem triunfos sobre os grandes da capital quando estes jogam com equipes mistas ou mesmo reservas, como foi o caso do Internacional em 2007 e está sendo o caso do Grêmio neste ano. Quando os gigantes “acordam” e resolvem jogar com alguma seriedade, como foi o caso anteontem, vemos o resultado.

Analisem quantas goleadas já tivemos neste campeonato gaúcho… me parece claro que é o reflexo de um torneio nada equilibrado.

O maior problema disso tudo é que o Gauchão, assim como a maioria dos campeonatos estaduais (incluo o Paulista) não é um teste adequado para os clubes que enfrentarão a Série A durante todo o resto da temporada, assim como outros campeonatos importantes, como é o caso da Copa do Brasil e Libertadores da América. Com isso, os clubes grandes jogam uma quantidade impressionante de partidas – se o Grêmio for à final do segundo turno, serão 21 jogos. Se vencer a final, haverá mais dois jogos. É o equivalente a quase 2/3 do campeonato brasileiro. Vejam o risco de lesões que essa quantidade enorme de jogos pode causar aos atletas.

Soluções: eu sempre fui a favor dos regionais – Rio-São Paulo, Sul-Minas, etc. Eram campeonatos curtos, vibrantes e rentáveis. Os campeonatos estaduais poderiam continuar a ser disputados pelos clubes menores, sendo que os primeiros colocados ganhariam vagas para a Copa do Brasil e para as taças regionais, além de servir como seletiva para a Série D do campeonato brasileiro.

Outra possibilidade é permitir que os clubes que disputam a Libertadores joguem também a Copa do Brasil, alongando-a para parte do segundo semestre, disputando os jogos entre as rodadas do campeonato brasileiro. Esse modelo é adotado pela maioria dos países europeus.

Enfim, sei que o assunto é polêmico, mas eu tenho bastante convicção de que a disputa dos campeonatos estaduais é pura perda de tempo e dinheiro.





Sonambulismo no futebol

16 03 2009

A partida que o Grêmio fez contra o Sapucaiense ontem no estádio Cristo Rei, em São Leopoldo, foi literalmente pro gasto. Nada mais correto, considerando-se a extenuante viagem à Colômbia, a que foi submetido o grupo principal nesta semana. Ainda que a próxima viagem seja somente na próxima segunda-feira, é importante  preservar jogadores para os confrontos mais importantes.

Por causa disso, nem Tcheco nem Souza participaram da vitória gremista, por 2 x 0. Adilson também foi poupado. Em vez disso, houve a participação de Maylson e Makelele na meia-cancha, além da estréia de Júlio César, um volante que teve boa participação, principalmente no primeiro tempo, quando o tricolor marcou seus dois gols na partida, através de Léo e Makelele.

Se mantiver o bom nível nos próximos jogos, Júlio César poderá ser um reforço valoroso para as fases seguintes da Libertadores e mesmo para o Campeonato Brasileiro, já que a falta de Willian Magrão já está sendo sentida.

Ao virar o cronômetro com a vantagem já consolidada, o Grêmio jogou o segundo tempo visivelmente resguardando-se, para evitar desgaste maior. Corretíssimo. Apenas penso que Douglas Costa e Maxi Lopez poderiam ter jogado desde o início do jogo ou, pelo menos, o segundo tempo inteiro. Eles precisam de ritmo de jogo.

Infelizmente o espetáculo não foi bom de se ver na segunda metade da partida, já que as chances de gol escassearam. O fraco time de Sapucaia do Sul não teve forças nem para agredir minimamente um desinteressado Grêmio, exceto por um chute de Adão no poste de Marcelo Grohe. Aliás, provavelmente o Sapucaiense será rebaixado neste ano, assim como o Brasil de Pelotas, pois estão muito defasados em relação aos oponentes mais próximos, faltando poucos jogos (4) para o fim da segunda fase do campeonato.

Com a vitória o Grêmio assume provisoriamente a quarta colocação do grupo 2 da Taça Fábio Koff, mas será invariavelmente ultrapassado por Santa Cruz ou Caxias, que se enfrentam hoje a noite, no estádio dos Plátanos, em Santa Cruz do Sul. Há grandes chances do Grêmio não terminar esta fase em primeiro lugar do seu grupo até porque o Grêmio deverá jogar o restante do gauchão com equipes mistas ou reservas.

O próximo jogo do Grêmio será em casa, quarta-feira, contra o São José, com a certeza das ausências de Ruy, Léo, Rafael Marques, Makelele e Jonas, atletas que enfrentaram o Boyacá e o Sapucaiense. Tudo pela terceira Libertadores.





¿Qué pasa, muchachos?

9 03 2009

Nem preciso fazer uma análise do jogo de ontem, o André Kruse já a fez e concordo inteiramente com ela. Inclusive com a cômica afirmação de Tcheco: “se a gente comprar um circo, o anão cresce“.

Parece que alguém enterrou um sapo no Estádio Olímpico. Este sapo está fazendo o time ter má sorte e fazendo bons jogadores errarem em lances que não costumam falhar. Exemplo do Victor e Réver no jogo de ontem e de quase todo o time no jogo de quinta-feira, contra o Ypiranga.

quase não vi la pelota

"quase não vi la pelota"

Eu diria que uma vitória quarta-feira reanimaria o grupo e a torcida. Não podemos nos esquecer da prioridade. Tivéssemos ganho o Grenal, hoje estaríamos brincando com os resultados negativos do segundo turno. Considerando que o Grêmio praticamente não terá mais chance de jogar a final do segundo turno no Olímpico, talvez seja melhor “largar de mão” mesmo.

P.S.: agora estou COM LASERS, enxergando muito bem. É realmente fantástica a recuperação para quem faz cirurgia LASIK. Recomendo muito.