Lulinha “paz e amor” = passado?

5 03 2009

Ando um pouco preocupado com o que NOÇO GUIA anda declarando por aí. Com o estabelecimento da crise e a enxurrada de comentários positivos ao Brasil vindos de várias entidades mundiais (FMI, Banco Mundial, União Europeia, etc), o presidente Luís Inácio EGO da Silva está se tornando perigosamente parecido com o CUMPANHERO Hugo Chavez, da Venezuela.

Apenas no dia de hoje, fez um discurso contrário ao mercado de capitais. Também sugeriu aos países ricos a estatização de bancos, como forma de solucionar a crise.

Também está trabalhando pessoalmente na questão das demissões da Embraer. Tá certo que é uma das maiores empresas do Brasil, mas me parece estranho que o Presidente da República esteja tratando do assunto. Seria saudades dos tempos de sindicalista?

Enfim, entendo que o presidente costuma discursar de acordo com sua audiência. Mas estaria ele e seu governo finalmente pondo suas “mangas de fora”?





Classe média é maioria da população brasileira

5 08 2008

Conforme estudo da FGV, a classe média brasileira passou a representar 51,89% da População Economicamente Ativa (PEA), contra 44,19% de 2002. Com isso, passa a ser maioria, desbancando as classes D e E.

Pelos critérios da pesquisa, a classe E é representada pelas famílias cuja renda mensal situa-se entre zero e R$ 768 enquanto que a classe D (também chamada de “remediados”) está entre R$ 768 e 1064. A classe média, ou classe C, tem renda familiar mensal entre R$ 1064 e R$ 4591. Já as classes A e B, ou “elite”, têm renda superior a R$ 4591.

Vejam bem, é renda FAMILIAR. Algumas famílias têm mais de dois membros assalariados.

Segundo o pesquisador Marcelo Neri, da Fundação Getúlio Vargas, um dos sinais do crescimento da classe média é o aumento de carteiras assinadas – símbolo da classe média, segundo ele. O crescimento desta classe não é reflexo do Bolsa Família, já que a renda auferida pelo programa assistencial do governo é baixa.

É evidente que esta notícia deverá ser amplamente aproveitada pelo governo federal. Mas, sem querer ser amargo, é uma boa notícia e merece ser festejada. É provável que esta informação também tenha algum tipo de repercussão internacional, como tem ocorrido com bastante freqüência, nos últimos meses.





Desgovernadora ladeira abaixo

28 07 2008

Impressionante como o caminho da desgovernada Yeda iniciou tortuoso e promete ser muito PEDREGOSO até o final do mandato – se chegar a tanto.

A Zero Hora dá a notícia, que havia um interessado pela casa que posteriormente foi vendida à governadora. Piada pronta: o nome do antigo proprietário é Eduardo LARANJA (é isso mesmo). A Veja antecipou a informação. Mas apesar da piada, o assunto é muito sério: o interessado pelo imóvel, José Luís Borsatto, assinou contrato comprometendo-se a pagar R$ 1 milhão pelo imóvel. Ora, como ele poderia ter sido vendido, 4 meses depois, por um valor menor (R$ 750 mil)?

Isso praticamente elimina a hipótese de que o vendedor teria aceito apenas METADE do valor anunciado pelo imóvel (R$ 1,5 milhão) pela necessidade de receber dinheiro de forma imediata. Evidentemente, o tempo está correndo, desde a solicitação encaminhada pelo PSOL (partido de Luciana Genro) pedindo o impedimento da governadora.

Deve explodir muita bomba nos próximos dias, ficaremos de olho.





Arrecadação recorde – precisamos da CSS

21 07 2008

A Super RECEITA FEDERAL do Brasil acaba de anunciar a arrecadação de tributos federais no primeiro semestre de 2008. E, orgulhem-se, ela cresceu. E não foi pouco: 10,43%. Isso mesmo com a perda de cerca de R$ 40 bilhões da CPMF, que é o que se estima que a antiga contribuição teria arrecadado caso ainda estivesse em vigor.

Mas a RF afirma que esse valor cresceu em virtude do crescimento do PIB e do aumento do faturamento das empresas. Garantem, categoricamente, que a carga tributária não aumentou. Soa como se fosse um absurdo a carga tributária não ter crescido. Precisamos recuperar isso, DJÁ.

Uma notícia como essa só me faz ter certeza de uma coisa: QUERO MAIS TUNGADA! Por favor, Lulla, crie logo a CSS. Crie outros impostos também. Tenho saudades de calcular descontos a cada cheque / transferência / pagamento e aplicação financeira. Please, dear president, FUCK ME HARDER!

Obrigado.

(dedicado aos eleitores portoalegrenses e caxienses, para que não tenham dúvida nas eleições para prefeito(a).