Estou meio cansado

3 07 2009

Como eu já tinha exprimido aqui, estava com grande expectativa em relação ao jogo de ontem. A lógica é que daria Cruzeiro, pelo fato de ter vencido por dois gols de diferença na partida de ida. Porém, o gol de Souza naquele jogo deu um certo alento à torcida tricolor.

Chegamos no estádio 1 hora e 10 minutos antes do jogo. Como a Av. Dr. Carlos Barbosa estava bloqueada para permitir a entrada da torcida do Cruzeiro, não foi possível estacionar na R. Florianópolis, como geralmente fazemos. O que nos dificultou um pouco o processo, mas não muito. Conseguimos ficar logo à esquerda do portão 1 e, no momento que entramos, ainda havia bastante espaço nas sociais e na geral. Nas cadeiras havia MUITO espaço. Apesar de toda a mobilização, não seria algo comparado à final contra o Boca, mesmo assim, foi um grande público.

Como nós entramos pela Carlos Barbosa e contornamos o estádio sem passar pela José de Alencar, não passamos na frente do portão 16, onde houve a confusão com a Brigada Militar. Pelo lado que entramos, estava tudo muito tranquilo, graças a Deus.

Ainda que tardiamente, posso dizer uma coisa: ontem, a torcida estava “PADRÃO 2006/2007”. Muito apoio, muito ruído e pressão sobre os jogadores e a arbitragem. O estádio inteiro cantava, não só a Geral. Até o gol do Cruzeiro.

passos de ballet

passos de ballet

Farei uma síntese bem curta do jogo de ontem. Pressão louca do Grêmio, mas com pouca qualidade. Árbitro horrível, marcava 500 faltinhas bobas e permitia lentidão do Cruzeiro em repor a bola em jogo (como já tinha feito na final da Liber em 2007). Pra piorar, sonegou um pênalti RIDÍCULO DE CLARO ao Grêmio, que poderia ter mudado SIGNIFICATIVAMENTE a história do jogo.

Cruzeiro fez dois gols em dois arremates. O segundo, babaquice da defesa tricolor. Resto do primeiro tempo totalmente CHOCHO.

Segundo tempo, volta a pressão desordenada, agora justificada pelo desespero absoluto. Grêmio marca seu gol no chuveirinho, única tática possível dada a deficiência técnica do time. 10 jogadores no ataque, Cruzeiro acerta um contra-ataque e Adilson passa a foice. Expulso e aplaudido. Passa muito tempo, Grêmio não consegue concluir com qualidade. Souza acerta lindo chute de fora da área, empate e recuperação da invencibilidade no Olímpico (como se isso fosse importante). Menos pressão, Cruzeiro toca a bola e faz o tempo passar, sabendo que já está classificado.

Pra mim, o jogo acabou quando o Cruzeiro marcou o primeiro. A partir daí, o resto foi BONUS TRACK.

A comparação com o jogo de quarta é inevitável. Os dois grandes clubes gaúchos estavam decidindo jogos importantes em Porto Alegre, na mesma semana. Ambos haviam perdido por larga margem nos jogos de ida. Ambos fracassaram miseravelmente. Porém, o Grêmio tinha mais a perder do que o Inter. Ambos times colocaram todos os ovos nas copas que estavam disputando, mas o Inter, talvez por qualidade do grupo, por sorte ou uma mistura dos dois fatores, conseguiu mesmo assim a liderança do campeonato brasileiro. Já o Grêmio, jogou vários jogos com time titular e está apenas na 14ª posição. O Inter perdeu a Copa do Brasil mas dificilmente perderá a vaga para a Libertadores do ano que vem, pois já está muito bem encaminhado e agora jogará com força máxima o restante do campeonato.

E o Grêmio? Acho praticamente impossível lutar pelo título estando 8 pontos atrás dos líderes. Vaga para a Libertadores é bastante possível, mas não com este time. Com este time, não dá pra sonhar com nada, não adianta nos iludirmos.

Me permito fazer um ESPÓLIO do Grêmio, pós eliminação da Libertadores:

* direção: André Krieger já anunciou que sairá da direção de futebol do Grêmio. Deveria ter feito isso antes, mas acho muito positivo. O substituto precisaria ter experiência no setor. Nesta hora, cores partidárias não deveriam ser importantes. O presidente será um “peso morto” até o final de seu mandato. Jamais deveria ter sido eleito. Não votei, não posso reclamar, no entanto.
(Espero que a ideia das urnas no interior para as próximas eleições vingue. Mas como as cláusulas de barreira não foram modificadas, talvez nem haja eleição para votar…

* defesa: os zagueiros titulares são bons, mas a defesa como um todo não tem jogado bem a temporada inteira. Até o Réver, que era a referência do setor, tem falhado nos últimos jogos. E, pior ainda, ele provavelmente não ficará no time, será vendido.
A direção do Grêmio conseguiu a FAÇANHA de dispensar um lateral-direito (ainda que ruim) sem que houvesse um substituto. Assim, o time jogou com um zagueiro improvisado no setor, o que se revelou insuficiente e incorreto. Não culpo o Thiego por suas péssimas atuações, pois essa não é a sua área. O lateral-esquerdo titular, Fábio Santos, é a mesma coisa que não ter ninguém no setor. De longe, as alas são o principal problema do Grêmio. O clube deveria contratar um titular pro setor, colocar Fábio Santos no banco e dispensar Jadilson, que é muito ruim. Bom mesmo seria contratar dois jogadores de qualidade pra ala esquerda, mas isso seria pedir demais, ainda mais no Brasil. Joilson será o lateral-direito titular, portanto, é importante contratar um bom jogador reserva pro setor. Um bom zagueiro deveria ser contatado, caso Réver seja mesmo negociado.

* meio-campo: tenho certeza absoluta de que o ciclo de Tcheco já se encerrou no Grêmio. Na verdade, ainda no ano passado. O jogador não é referência técnica, além de se esconder em momentos decisivos. Um jogador de GRANDE qualidade, para esta função, tem que ser a prioridade máxima. Uma “sombra” para Souza (que não jogou nada de novo, ontem) também seria bom. Daria novas oportunidades para Douglas Costa no time principal, o Grêmio não tem muito a perder neste momento. Mas não que eu acredite muito nisso. Com o retorno de Willian Magrão, acho que a “volância” ficará OK.

* ataque: o Grêmio contratou muitos jogadores para esta área. Alex Mineiro será dispensado e o Grêmio nada perde com isso. Se algum clube TROUXA da Europa se interessar em levar Maxi López, seria bom, pois o ALEMÃO é raçudo, mas não faz gols e custa caro demais. Seria preferível investir em algum atacante habilidoso e de qualidade COMPROVADA (Jimo). Acho que o Grêmio perdeu tempo demais buscando a tal da REFERÊNCIA NA ÁREA. Vários times jogam bem com dois atacantes velozes, com tendência a jogar mais pelos flancos. Composições de Herrera e Jonas ou Herrera e Perea não devem ser descartadas. Entendo que Herrera é a única certeza no ataque gremista, neste momento.

Se alguém tiver outras ideias, podem opinar.

Mas, como disse no título, estou cansado disso tudo. Acho que a torcida tricolor está perdendo o entusiasmo, e isso é grave. São vários anos no ostracismo, vivendo à sombra do sucesso vermelho. É preciso reagir logo.





Expectativa

2 07 2009

Um frio gela a espinha.

Coparemos.





“Homenagem” ao treinador

25 06 2009

O Grêmio perdeu ontem seu primeiro jogo na Libertadores. Justamente na partida de ida das semi-finais da Copa, contra o Cruzeiro. E não foi qualquer derrota – foram 3×1 para o time mineiro, que chegou a estar vencendo por 3×0. Para piorar, ainda teve confusão no final do jogo porque o jogador cruzeirense Elicarlos registrou queixa na polícia contra Maxi López, acusando-o de tê-lo chamado de macaco.

O treinador gremista, Paulo Autuori, demonstra que está querendo ser “homenageado” pela torcida tricolor. Pois está tomando decisões difíceis de serem compreendidas e, pior, que provaram ser equivocadas. Começou pela escalação do time, mantendo Alex Mineiro, que não vem jogando bem, como atacante titular, em detrimento de Herrera, que teve desempenho superior nos jogos anteriores. A teimosia do técnico provou ser apenas, teimosia.

Alex Mineiro errou um gol feito no início do jogo. Maxi López errou outro mais feito ainda em seguida. Assim não dá, tchê! O que esses caras fazem nos treinos de finalizações? Ficam comendo PIPOCA?

Apesar da BAIXA EFETIVIDADE (alô TITE) do ataque do Grêmio, o tricolor tinha acertado a marcação e praticamente impedido ataques mais FERVOROSOS por parte do Cruzeiro. Mas um deles, acabou funcionando, no final da primeira etapa. Adiantando-se a Léo, num cruzamento, Wellington Paulista aparou de cabeça um cruzamento de Jonathan, anotando o primeiro tento cruzeirense.

Até o final do primeiro tempo o jogo ficou morno, mas faltava pouco tempo. O que ninguém esperava é que o segundo gol do time da casa seria marcado tão cedo, a menos de 2 minutos da segunda etapa, através de um chute forte de Wagner que seria defendido por Marcelo Grohe, se não tivesse desviado em Tcheco, tirando completamente o goleiro da bola.

Invocando o CAPITÃO ÓBVIO, Paulo Autuori resolveu mexer no time pela única vez NO JOGO INTEIRO: tirou Alex Mineiro para colocar Herrera. O argentino LOCO até tentou dar umas MILONGADAS pelo lado direito, mas a coisa não fluía.

Aí, CAIU AS BOLA da torcida e dos jogadores. O Grêmio ficou uns 15 minutos, rodopiando tal CARROSSEL. Até que a zaga resolveu brincar de OVO PODRE, deixando Fabinho completamente ISOLADO num cruzamento, que CUMPRIMENTOU Marcelo. 3×0 no LOMBO.

O Grêmio acharia uma falta na entrada da área que Souza cobrou com maestria, para reduzir a vantagem estrelada. Este gol poderá fazer uma grande diferença em PoA. Depois disso, o jogo ficou paralisado por vários minutos para substituição… do ÁRBITRO, que se lesionou num PIQUEZINHO básico. Ainda bem, pois o chileno Henrique Osses é muito RUIM, já tinha perdido o controle da partida desde o fim do primeiro tempo. Graças a Deus a partida não descambou pra violência na segunda etapa.

Daí em diante, nada mais aconteceu de relevante. No campo.

Ao ser substituído, o jogador Elicarlos, do Cruzeiro, falou aos microfones que fora chamado de macaco pelo atacante gremista, Maxi López. Prestou queixa na delegacia existente dentro do Mineirão, sendo que a polícia forçou a entrada no ônibus da delegação tricolor, para que Maxi prestasse esclarecimento. O time inteiro do Grêmio foi à delegacia, em solidariedade. Espero sinceramente que isso não propicie nenhum ato de selvageria contra torcedores cruzeirenses ou mesmo no jogo em Porto Alegre. Vamos ver se Elicarlos continuará com a queixa ou não. Sinceramente falando, se ele realmente foi chamado disso, tem mais é que continuar com o processo. Quem sabe assim esses LOIRINHOS DE MERDA parem de falar porcaria por aí.

No final do jogo, os repórteres do SporTV foram entrevistar Kléber, que mostrou calma e coerência na entrevista, apesar de, segundo a Gra, DESCONHECER O PLURAL. Foi perguntado se o Cruzeiro estava saindo com uma boa vantagem e ele disse: “tomamos um gol…”. Acredito que este sentimento seja de grande preocupação ao time mineiro e também para o técnico Adilson Batista.

Entendo que o treinador do Grêmio errou, e feio. Algumas perguntas para ele:

– por que começar com Alex Mineiro se ele não joga nada há 150 DIAS?
– por que escalar um time com TRÊS ZAGUEIROS e DOIS VOLANTES?
– por que insistir numa formação que estava tomando 3×0 sem promover alguma alteração significativa?

Complicou AFU. Mas dá. Só tem que jogar decentemente futebol e o técnico não pode fazer INVENCIONICES. Esse bando de MASCARADOS precisa fazer muito mais do que tem feito, até agora.





Com o dos outros

18 06 2009

Foi o que restou aos 40.000 gremistas presentes no Olímpico ontem. E à maior torcida do sul do Brasil, em todos os rincões de nosso Estado varonil.

Porque o nosso time não nos deu motivos para EXPLODIR DE ÊXTASE. Bem pelo contrário. Então, tivemos que vibrar com os dois gols do Corinthians sobre o Internacional.

Fiquei frustrado demais com o jogo. Não que eu achasse que era “jogo jogado”, mas esperava um domínio maior do Grêmio. Apesar do Caracas ter mostrado excelente toque de bola, não conseguia chegar ao ataque. Se o Grêmio tivesse mantido a posse e a marcação um pouco mais adiantada, o gol invariavelmente chegaria.

E não foram poucas as chances.

vamo acertá os chute, PUERRA! (foto AFP)

Não consigo fazer um relato tão preciso. Prefiro aproveitar o bom texto do Vicente.

O que realmente importa é que o Grêmio chegou à sua SÉTIMA semi-final de Libertadores.  É uma honra e uma grande responsabilidade. O presidente do Grêmio cometeu, ao meu ver, um ato falho ao dizer que se perder do Cruzeiro ou do São Paulo não é tão desesperador (em outras palavras, mas basicamente esta ideia). Eu até entendi o que ele quis dizer, que a pressão é menor quando o adversário é mais qualificado. Mas este pensamento não pode ser utilizado pelos jogadores, afinal, não se pode pensar em outra coisa que não o TÍTULO.

Agora resta saber quem será o adversário. Neste momento, terminou o primeiro tempo no Morumbi, 0x0. Mas Eduardo Costa, BURRO como sempre, já foi expulso, complicando mais a vida do São Paulo. Pelo jeito, vai dar Cruzeiro.





Loco por Tri

17 06 2009





Mais uma quarta gordacha

16 06 2009

A quarta-feira, 17 de junho de 2009, reserva fortes emoções para os amantes do ludopédio. O “processo” inicia ainda pela manhã, com os jogos do grupo 1 da Copa das Confederações – a Espanha enfrenta o Iraque, às 11h e a anfitriã, África do Sul joga contra a Nova Zelândia, às 15:30h.

Mas o que realmente importa virá à noite.

Às 19:20, o jogo de volta entre Nacional de Montevideo e Palmeiras. O primeiro jogo foi 1×1, no Palestra Itália, que dá a vantagem ao time uruguaio de jogar pelo empate sem gols.

Depois, os dois gigantes gaúchos entrarão em campo, em cidades diferentes, por competições distintas.

O Internacional visitará o Corinthians, no Pacaembu, valendo pelo primeiro jogo da decisão da Copa do Brasil. O Inter terá 4 desfalques: Kléber e Nilmar, que estão com a seleção, Bolívar, suspenso e D’Alessandro, lesionado. Acredito que os colorados ficarão felizes se sairem de São Paulo “vivos”, mesmo que com uma derrota de 1 gol de diferença, especialmente se o Inter conseguir marcar gols. Já o Corinthians precisa muito vencer por mais de 1 gol de diferença, para poder ter uma vantagem “real” para a decisão em Porto Alegre.

Infelizmente não poderei acompanhar o jogo do Palmeiras nem o do Inter, pois estarei em Porto Alegre para ver, pessoalmente, o segundo jogo entre Grêmio e Caracas, também pelas quartas-de-final da Taça Libertadores da América. O primeiro jogo, na Venezuela, foi 1×1, portanto, o Grêmio tem vantagem. Porém, espero que joguemos pela vitória. Estou confiante, porém, todo cuidado é pouco.

O adversário de Grêmio ou Caracas virá do jogo entre São Paulo e Cruzeiro, que será disputado amanhã, no Morumbi. O primeiro jogo foi 2×1 para o Cruzeiro, que deixou o SPFC vivo para o jogo de volta. Acredito que o tricolor paulista passará, embora não esteja em uma de suas melhores fases técnicas. O time que enfrentará Nacional ou Palmeiras será definido também amanhã, entre Estudiantes de La Plata e Defensor Sporting. O Estudiantes jogará a volta com a vantagem de ter vencido o primeiro jogo, em Montevideo, por 1×0. É uma senhora vantagem.

Portanto, meu acompanhamento será por rádio mesmo. Mas será excelente. Ainda não havia assistido a um jogo da Libertadores este ano e estou muito ansioso por amanhã.





Maxi cabeza

8 05 2009

Para a alegria suprema da massa tricolor, o Grêmio tem centroavante: chama-se MAXIMILIANO LÓPEZ.

vai sacudir, vai abalar

"vai sacudir, vai abalar"

O atacante LOIRINHO agitou a noite de quarta, mostrando posicionamento e oportunismo, ao marcar dois dos três gols gremistas contra o time da Universidad San Martín de PORRES, de Lima, Peru. É uma grande satisfação ver a rápida evolução do futebol do argentino no Grêmio e a sua ascenção ao status de ídolo da torcida tricolor. De fato, precisamos de gente que resolva, como Máxi López tem feito.

Como já faz dois dias, não vou relatar aqui o que foi o jogo. Não concordo tanto com a afirmação de que o primeiro tempo do Grêmio foi horrível. Foi apenas ruim, o ataque criou bastante mas dava muito espaço para o time peruano contra-atacar. No segundo tempo, foi corrigido o posicionamento do meio-campo e o Grêmio dominou inteiramente o San Martín.

A vantagem é imensa para o segundo jogo. Mesmo se perder por 2×0, o Grêmio igualmente se classificará.

Porém, não sou favorável à utilização de equipe mista nos primeiros jogos do campeonato brasileiro. Entendo que os jogadores gremistas já foram suficientemente poupados durante quase todo o mês de abril. Queremos evidentemente vencer a Libertadores, mas não podemos nos descuidar do campeonato brasileiro. Porque não levantar os dois canecos? Ano passado foi por muito pouco.

Irei para o jogo contra o Santos, domingo. Evitarei o jogo de volta contra o San Martín, pois seria muito complicado para mim – a partida será no mesmo horário desta quarta, às 21:50 (a.k.a. horário de boate). Começar o brasileiro com o pé direito – é o que desejamos.

Foto: site do Grêmio