Amanhecer escuro

27 03 2009

A impressão que dá é que o Grêmio está louco para fazer um fiasco homérico, mas não sabe quando. Sendo o cabeça de chave de um grupo que talvez seja o mais fraco de toda a 50a Libertadores, conseguiu passar sufoco num jogo contra a equipe que havia sido goleada pelos outros dois integrantes do grupo (que não venceram o Grêmio).

O Aurora, de Cochabamba, mostra ser a típica equipe boliviana, que só consegue causar algum tipo de incômodo aproveitando-se da altitude – Cochabamba fica a 2500 metros do nível do mar.

pior atacante do mundo? CHUPA, Marca!

pior atacante do mundo?

Não vou fazer um relato completo do jogo, até porque o André K, do Grêmio 1983, já o fez com muita qualidade. Minhas considerações são de que o Grêmio teve uma CARAGLIADA de chances de gol no primeiro tempo, especialmente na primeira metade. Novamente, alguma coisa impedia a bola de entrar. Mas o Grêmio passava pela marcação cochabambina com muita facilidade, sem a necessidade de alçar bolas na área. E foi assim que saiu o gol de Jonas, em jogada pelo meio, em tabelamento da dupla de ataque tricolor.

Depois do gol, o time relaxou um pouquinho até o final do primeiro tempo (o gol foi aos 41′). No início do segundo tempo, mas duas chances importantes. Duas não, três, pois Jonas novamente repetiu o feito de errar mais de um gol em uma única jogada, perdendo duas chances significativas de gol em um lance. Me parece que o problema dele é concluir muitas vezes em cima do goleiro – precisa treinar mais o chute fora da direção do arqueiro adversário. Logo em seguida, Alex Mineiro (que fez boas assistências no primeiro tempo mas concluiu muito pouco) foi desleixado e perdeu um gol bastante claro.

“Quem não faz, leva”.

O famoso ditado ludopédico, que não se manifestou no jogo contra o Boyacá Chicó, embora parecesse que a qualquer momento ocorreria, desta vez fez uma vítima. Logo depois do erro de Alex Mineiro, o goleiro Dulcich fez o que já vinha sendo alertado como a principal jogada do Aurora em sua casa: ligação direta até o ataque, fazendo a bola chegar até Paredes, que recebeu nas costas de uma defesa despreparada (apesar da insistência de Roth em prepara-los para isso) e desviou de Victor. 1 a 1.

A sequência da partida mostrou abalo psicológico e um certo desespero. Pois o Grêmio passou a fazer faltas mais fortes, receber cartões amarelos e teve uma expulsão, em agressão de Jonas a um defensor boliviano. O avante gremista alega que foi agredido antes e que o jogador do Aurora também deveria ter sido expulso. Isso não o absolve, apenas acusa o bandeira.

Após a expulsão de Jonas, o time ficou totalmente sem ação, vencido pelo cansaço evidente de alguns jogadores – Ruy, Tcheco e Fábio Santos se arrastavam em campo. Souza não jogou um ovo desde o início da contenda, por isso, não posso apontar cansaço como motivo. O Aurora não ameaçava mas nada dava a entender de que o Grêmio mudaria o panorama. A alteração de Alex Mineiro por Herrera não surtiu nenhum efeito, até porque, após a expulsão, a tática de jogo foi “balão pra frente”.

O goleiro Dulcich, que já havia feito grandes intervenções na partida, impedindo uma derrota dilatada de seu time, resolveu dar uma ajuda ao Grêmio e engoliu um frango monumental, em cobrança de falta despretensiosa de Tcheco, novamente aos 41 minutos da segunda etapa (número cabalístico?). O gol deu uma certa “justiça” ao placar, já que o Grêmio foi superior à equipe local em todo o jogo. Mas não foi um gol “merecido”, considerando a produção que o tricolor vinha tendo na segunda etapa do jogo.

Mais do mesmo: Grêmio errando muitos gols fáceis, mostrando que este problema não deve ser apenas coincidência (não acredito no raio caindo no mesmo lugar 3 vezes). Definitivamente este problema precisa ser corrigido, com urgência.

A defesa não é tão sólida como costumava ser. Os três zagueiros são lentos, sofrendo muito contra atacantes rápidos. Não à toa, o Grêmio sofre muitos gols.

Definitivamente algo incomoda o lado emocional do grupo tricolor. Talvez a pressão que caiu sobre eles por terem perdido dois grenais neste ano. É inexplicavel o “blecaute” que assolou o grupo gremista depois do gol de empate sofrido. O time adversário era muito pior – seria fácil voltar a ter vantagem no marcador. Mas não, Ruy, Adilson e Jonas receberam cartões por lances tolos.

Alguém precisa explicar pro grupo que não dá pra facilitar para os árbitros quando se joga fora de casa. Ok, não deveria ser assim, mas é, inclusive a favor do Grêmio em algumas partidas no Olímpico.

Muito se sentiu do clima pós-jogo como sendo de “velório”. Pouco se disse que o Grêmio, com a vitória, alcançou a liderança isolada do grupo 7, sendo que suas duas vitórias aconteceram fora do Olímpico. Ou seja, a classificação está muitíssimo bem encaminhada e existem grandes chances do Grêmio sair líder do grupo, com excelente campanha. Insisto em dizer que não será absurdo se o Grêmio vencer seus próximos 3 jogos e terminar a fase com 16 pontos ganhos – uma das melhores campanhas entre todas as equipes, seguramente.

Próximo jogo contra o mesmo Aurora, no Olímpico, no dia 7 de abril. Jonas obviamente estará fora da equipe, suspenso e deverá ser substituido por Herrera. Acredito que a parceria entre o argentino e Alex Mineiro poderá ser positiva. Também entendo que Jadilson deveria assumir a titularidade pelo lado esquerdo – Fábio Santos novamente jogou muito pouco nesta posição.

Anúncios




Acabou? Acho que sim

3 11 2008

Ontem estive no Olímpico, pra ajudar o Grêmio a vencer o Figueirense a se manter líder, já que a derrota colorada para o São Paulo era a única certeza desta vida, além da MORTE. Fracassei miseravelmente.

Tomei o rumo de Porto Alegre às 16:10, mais ou menos quando o GP Brasil de Formula Um estava na metade, com Felipe Massa em primeiro e Lewis Hamilton em quarto, resultado que daria ao britânico o título mundial. Havia chovido durante a manhã na serra, mas o tempo estava apenas encoberto, naquele momento. Havia risco de chuva para durante a partida, portanto, levei uma capa de chuva de meu sogro, para o estádio.

Enquanto fazia o trajeto de 110 km, passei por vários momentos de chuva fina e forte, aparentemente eram nuvens que ora pousavam sobre Bom Princípio, São Sebastião do Caí, Portão, São Leopoldo. Fiquei meio duvidoso, pois odiaria assistir a outro jogo em chuva forte, como aconteceu na partida contra o São Paulo, a primeira do segundo turno.

Durante a viagem, o GP do Brasil foi chegando ao fim. E, surpreendentemente, uma chuva resolveu cair em São Paulo, forçando a troca de pneus a 6 voltas do final. Neste movimento todo, um MALUCO, chamado Timo Glock, optou por NÃO trocar os pneus, permanecendo com os de tempo seco. A chuva, àquela altura, era fina e não molhava excessivamente a pista de Interlagos. Com a inusitada manobra do alemão, ele conseguiu ficar entre Massa e Hamilton, colocando o britânico na quinta colocação, que ainda lhe daria o título.

Porém, OUTRO ALEMÃO MALUCO, Sebastian Vettel, resolveu AGITAR e meter pressão no inglês, achando que seu TORO ROSSO seria suficientemente robusto para atacar o McLaren de Hamilton. E foi. Lewis Hamilton aparentemente não aguentou o tranco e, com as insistentes investidas de Vettel, acabou errando e perdendo sua posição para o alemão, faltando 3 voltas para o final da corrida.

Hamilton certamente gritou “NOOOOOO, NOT AGAIN!”, referindo-se à BAMBIADA que deu no mesmo circuito de Interlagos, no ano anterior, quando perdeu a vantagem que tinha em relação ao segundo colocado por causa de erros durante a corrida. Quando Felipe Massa cruzou a linha de chegada, Hamilton continuava na sexta posição. Papai, mamãe e esposa Massa comemoravam muito. Só que a chuva aumentou e GLOCK não conseguiu mais controlar seu carro. Na CURVA DOS BOXES, Hamilton ultrapassou o alemão e terminou em quinto, consequentemente, campeão.

buaaaaaaaaaaa

"buaaaaaaaaaaa"

Moral da história: Hamilton saiu campeão, mas mostrou ao mundo que “aperta que ele entrega”. Não existe melhor comparação do que a situação atual do Grêmio. A única diferença é que, quase com certeza, o Grêmio não sairá campeão.

quem vê, pensa que jogou muito

quem vê, pensa que jogou muito

Um time que apresenta TADEU e RAMÓN como virtuosos espécimes do elenco, não pode ser taxado de perigoso. Ainda que a equipe catarinense tenha um gosto especialíssimo em ATOLAR equipes gaúchas, especialmente o Grêmio, parecia que o “leão” tinha virado um gatinho, depois dos 7×1 do primeiro turno, em Florianópolis. Engano.

Aos 7 minutos, Felipe “péssimo defensor” Mattioni entregou a rapadura para Ramón, que ajeitou para Marquinhos desferir um potente chute, à direita de Victor. Novamente, o Grêmio saiu perdendo no começo do jogo. A partir daí, o Figueira retrancou totalmente, fazendo muitas faltas e atrasando o jogo o mais que podia. O goleiro Wilson parecia que ia dormir com a bola, de tanto que demorava para repô-la em jogo.

Com a lesão de Léo, poucos minutos depois de tomar o gol, o Grêmio foi forçado a lançar mão de uma substituição logo no começo do jogo. Entrou Paulo Sérgio em seu lugar e voltou a assumir a lateral-esquerda, como já tinha acontecido contra o Cruzeiro. O que parecia que seria um desastre, não aconteceu, bem pelo contrário. A entrada de Paulo Sérgio deu ânimo e permitiu jogadas pelo lado esquerdo, o que não vinha acontecendo antes. Depois de um começo com muitos erros de passes primários, PS passou a fazer boa movimentação naquele flanco e, surpreendentemente, centrou bolas com muita qualidade de pé esquerdo, que não é o seu forte. Numa delas, encontrou Makelele livre, que cabeceou para o chão e a bola passou por cima da trave.

Aos 43 minutos, o árbitro Jailson Macedo Freitas, da Bahia, que já era conhecido dos gaúchos por ter apitado o confronto entre Inter x Palmeiras, errando mais do que demais, mostrou que curte uma confusão, assinalando que o goleiro Wilson ficou mais do que os 6 segundos permitidos para a reposição de bola e, portanto, apitando tiro livre indireto dentro da área. O goleiro já vinha atrasando o jogo mas é questionável que ele realmente tenha ficado todo este tempo com a bola. No entanto, ao ser questionado por repórteres no intervalo, o goleiro do Figueirense admitiu que errou.

A cobrança foi na barreira (os 10 jogadores do Figueirense estavam lá!), mas Paulo Sérgio pegou a sobra e botou na área. Reinaldo dominou e mandou pras malhas.

No segundo tempo, esperava eu uma pressão tricolor. Não aconteceu, de novo. O time errava ÀS PAMPAS e não conseguia dominar a fraca equipe catarinense. Algumas jogadas se sobressaíram, como um lance que Felipe Mattioni driblou uns DEZESSETE jogadores e não conseguiu concluir e uma arrancada VELOCÍSSIMA de Paulo Sérgio com passe PRIMOROSO para Reinaldo, que demorou 80 DIAS para chutar e acabou não conseguindo concluir.

Logo em seguida, outras duas substituições: Douglas Costa entrou no lugar de Makelele e Marcel, no lugar de Reinaldo. Na minha opinião, foram entradas corretas e saídas erradas. Penso que Douglas deveria ter entrado no lugar de Amaral, que é mais defensivo. Makelele marca bem e tem velocidade, sendo um elemento surpresa. Na sequencia, Amaral ainda entregou uma bola para Tadeu, que só não fez porque não quis. Reinaldo não estava jogando bem, mas Perea estava muito pior. Marcel deveria ter substituído ao colombiano.

Douglas pouco fez e Marcel pouco conseguiu aproveitar. Os maiores cânceres do Grêmio estavam na armação das jogadas: Tcheco e Souza fizeram apresentações TENEBROSAS. Souza foi ainda pior, parecia que estava pregado no chão. Além de errar praticamente todos os passes e lançamentos. Tcheco também errou muitos passes.

Passes 101

Passes 101: reprovei

No final das contas, o Figueirense voltou a perder gol feito, em conclusão de Diogo, defendida milagrosamente por Victor. A última chance do Grêmio foi com Perea, que recebeu de Douglas e mandou um tijolo pra fora.

Além do resultado terrível por si só, que tirou o Grêmio da liderança depois de 19 rodadas (coincidentemente o Grêmio entrou na liderança no jogo contra o Figueirense, em Florianópolis), fazendo-o cair para a terceira colocação, este foi um dos jogos em casa, tidos como imprescindíveis. Para tornar tudo muito pior, no jogo contra o Figueirense 3 jogadores pendurados foram amarelados, sendo dois deles, zagueiros: Thiego e Réver. O outro jogador que foi suspenso foi Felipe Mattioni. Porém, este tomou dois cartões amarelos no jogo e foi expulso. Além deles, Makelele e Paulo Sérgio não poderão atuar contra o Palmeiras, em São Paulo, por serem atletas do time paulista – o famoso acordo de cavalheiros. Em virtude disso, a quantidade de desfalques para o enfrentamento crucial é absurda: os dois laterais-direitos estarão fora e, dos zagueiros, caso a lesão de Léo se confirme como algo grave, 4 estarão fora.

O Grêmio provavelmente entrará em campo absurdamente descaracterizado, num 4-4-2 forçado, com Jean e algum zagueiro vindo da base. Ou Amaral nesta função, já que Magrão e Carioca retornam ao time. Do meio para a frente será titular, mas a defesa será toda reserva.

A real é que a retomada da liderança e o título do Grêmio, ainda que possíveis, são improváveis, diante do atual cenário. O Grêmio faz um péssimo segundo turno e a má apresentação de ontem não é exceção. Já o São Paulo está impecável neste returno e não terá nenhum adversário direto nos 5 últimos jogos que lhe restam. A única possibilidade residiria em uma mudança radical de modus operandi que é algo romântico, mas quase inexistente na vida real.

Além de ter deixado o título escapar, existe uma verdadeira possibilidade do Grêmio ficar fora inclusive da Libertadores, já que as vagas são 4 e são 5 as equipes que estão muito próximas umas das outras. Portanto, dos 5 pleiteantes, alguém chupará o dedo.

Como já me DELONGUEI, pouco falarei sobre os demais resultados da rodada. Apenas o óbvio: como o Grêmio não se ajudou, os resultados paralelos são pouco relevantes. Não esperava um empate do Flamengo com a Portuguesa que, depois de morta, resolveu PUXAR O PÉ dos vivos. Espero que a Lusa continue com a mesma fome, quando jogar com o SPFW, na próxima rodada. Também não esperava a vitória do Palmeiras sobre o Santos, na Vila Belmiro. Quem viu o jogo, disse que o Santos perdeu 850.243 gols. Sorte verde.

Já a vitória do SPFW sobre o Internacional era muito esperada. Talvez uma das poucas certezas da rodada. A goleada era uma possibilidade, que se confirmou. Tomara que o colorado continue neste ritmo e tome uma TUNDA do Boca. Mas é mais provável que o Inter se classifique para as semifinais da Sula e continue fazendo a festa de seus adversários no campeonato brasileiro.

A vitória do Goiás sobre o Cruzeiro não me surpreendeu. Mas não imaginava uma goleada.

Segue tabela de resultados dos jogos desta trigésima-terceira rodada:

E, DOLOROSAMENTE, a classificação atualizada:

Fotos Grêmio: gremio.net; Foto F1: Terra; Classificação: Globoesporte.com





Líder em 20 rodadas

21 10 2008

O Grêmio surpreende em 2008, não apenas por ser o líder da competição e ter verdadeiras chances de sair campeão (já que sempre se disse que o Grêmio não era clube para os pontos corridos, blá, blá, blá). Mas surpreende porque, das 30 rodadas que tivemos até agora, o Grêmio FOI LÍDER em 19 delas.

Ok, sei que essa informação não coincide com muitas outras que já foram divulgadas por aí. Mas, fiz uma rápida pesquisa no site da CBF e constatei que o Grêmio efetivamente teve a mesma pontuação do líder (por critérios de desempate) em 20 rodadas, sendo que, em 15 delas, foi o líder absoluto.

E, pasmem, nas 10 rodadas que o Grêmio esteve abaixo da pontuação do líder, esteve sempre com pontuação equivalente a, pelo menos, o quarto lugar. O que significa que sempre esteve no G4. Na verdade, em apenas 2 rodadas o Grêmio não esteve OFICIALMENTE no G4 (2a rodada = 6o lugar – 4a rodada = 5o lugar).

Ainda tem gente que acha que esse time não merece ser campeão? Ok, o jogo contra a Portuguesa foi péssimo, mas, convenhamos… quem tem uma campanha dessas merece muito o caneco.





Tudo errado

15 09 2008

Não vi o jogo. Fui no show do Fito, como podem ter visto no meu post anterior. Ouvi o primeiro tempo e parte do segundo. Meus irmãos estiveram lá e me disseram que foi um nó tático do Hélio dos Anjos (o que já é razão suficiente para vergonha).

sou CONE e matarei a bola

"sou CONE e matarei a bola"

 Se isso não é óbvio o suficiente, vou tentar desenhar aqui: NÃO EXISTE JOGO JOGADO. Tem sempre onze MACUMBEIROS do outro lado que querem sair mais felizes do relvado. O Grêmio saiu ganhando na metade do primeiro tempo, com lindo gol de Léo. Mas não quis jogar e deixou o Goiás tomar as rédeas. Já no comecinho do segundo tempo, Victor voltou a falhar e permitiu o empate do Goiás em gol OLÍMPICO de Paulo Baier, o rejeitado (pelo Grêmio). O goleiro HARLEI fez importantíssimas defesas e salvou a derrota de seu time. E, então, como quem não quer nada, VÍTOR fez a virada goianense e decretou a primeira derrota do Grêmio no estádio Olímpico, neste campeonato brasileiro.

soy fueda

"soy fueda"

Como o Palmeiras venceu o Cruzeiro, no Mineirão, por 1×0, a diferença de pontos do Grêmio em relação ao PORCO caiu para 3 pontos, ou seja, alcançável em uma rodada. Agora SEXY HOT precisa fazer os azuis voltarem a jogar decentemente, sob pena de perder a liderança do campeonato. Como os dois próximos jogos do Grêmio são fora de casa (Atlético-PR e Inter), a dificuldade será maior.

O Inter mostrou que não teme o Rio de Janeiro e venceu seu segundo jogo fora de casa, o segundo no Rio: 2×1 contra o Botafogo, que vê suas chances de título serem praticamente dizimadas (exagero). O time alvinegro continua quarto colocado, mas tem o SPFW com o mesmo número de pontos (42) e vê também Flamengo e Vitória à espreita, com 40. Os gols foram anotados por Alex em linda cruzamento de Nilmar – que RALOU A BUNDA no lance e por D’Alessandro, que fez boa partida. O time colorado, diga-se de passagem, jogou muito bem contra o Botafogo e foi senhor da partida. O gol de desconto foi marcado por André Luis, aos 12 do segundo tempo.

Outros jogos desta vigésima-quinta rodada:

Sábado – 13/9

– Ipatinga 3 x 2 Atlético Mineiro: o Ipatinga mostra que continua um incômodo para seus colegas de estado. Com a vitória, saiu da lanterna, depois de MUITAS rodadas.

– Atlético-PR 2 x 0 Portuguesa: o furacão venceu em casa a agora lanterna (e já rebaixada) Portuguesa. A derrota do Vasco em casa, no dia seguinte, colocou outro grande carioca no descenso. Mas o rebaixamento continua à espreita, já que a pontuação atual do Atlético é a mesma do Vasco.

Domingo – 14/9

– São Paulo 2 x 0 Flamengo: um tapa de luva nos rubro-negros, que andavam muito assanhadinhos. O resultado deve ser suficiente pro Marco Aurélio Cunha decretar que o SPFW será tri-campeão, apesar dos 7 pontos de diferença para o líder.

– Sport 5 x 0 Figueirense: só uma palavra define o Sport Recife: SEM-VERGONHA. Ok, foram duas.

– Vasco 1 x 3 Náutico: dois times esquizofrênicos só poderiam nos brindar uma partida sem favoritos. E o cruzmaltino vai ao rebaixamento, pela primeira vez.

– Vitória 1 x 0 Coritiba: o Coritiba sentiu o tranco de ter perdido em casa para o Botafogo, na rodada anterior. E o Vitória volta a querer algo neste VIVALDÃO 2008.

– Santos 2 x 1 Fluminense: o peixe finalmente acordou. E o tricolor carioca continua BRINCANDO.

Eis a classificação atualizada:





Para ser ainda mais líder

12 09 2008

Como obviamente não valia a pena nem postar algo sobre o empate TOSQUEIRA da seleção brasileira, na quarta-feira, vamos ao que interessa: campeonato brasileiro de futebol. E o CABEÇA DINOSSAURO mantém sua perseguição ao líder do campeonato.

Explico: como uma cabeça de dinossauro deve assustar SEXY HOT e seus BLUE CAPS, é provável que eles corram ainda mais e se distanciem dos demais times que estão na PELEIA.

Baboseiras à parte, tivemos uma semana de muita chuva aqui no RS e, consequentemente, pouca oportunidade para treinar adequadamente. Além disso, houve o episódio PF x ROTH, sobre o qual não fiz nenhuma postagem, mas de alguma forma pode influenciar o PEPSICOLÓGICO da gurizada.

Mesmo assim, a tendência é uma vitória tricolor sobre o Goiás, amanhã. Com isso, a “obrigação” ficará para os demais times. Creio que o SPFW vencerá o Flamengo e o Cruzeiro ganhará do Palmeiras, assim como o Botafogo sobre o Inter. Enfim, a diferença de pontos será a mesma, mas a disputa do título se afunilará.

A esperar.

Amanhã não poderei ir pro jogo, já que irei ao show do FITO PAEZ, no Pepsi On Stage, em Porto Alegre. Meus irmãos estarão me representando. Venceremos.





Paraguai líder incontestável

10 09 2008

Ontem o líder das eliminatórias sulamericanas para a Copa do Mundo de 2010, o Paraguai, mostrou tranquilidade ao vencer a Venezuela por 2×0, em Asunción e garantir a liderança da competição nesta rodada.

Os dois gols foram anotados na primeira etapa, por Cristian Riveros e Nelson Haedo Valdez. Com a vitória, os albirrojos chegam a 17 pontos e não poderão ser alcançados nem pelo Brasil nem pela Argentina, que dividem a segunda colocação com 12 pontos.

A campanha paraguaia é irrepreensível, com apenas uma derrota, contra a Bolívia, por 4×2, em La Paz. No mais foram 5 vitórias e 2 empates, incluindo a vitória por 2×0 sobre o Brasil, em Asunción e o empate por 1×1 com a Argentina, em Buenos Aires, na rodada anterior.

Hoje, os outros 4 jogos que fecham a oitava rodada, a penúltima do primeiro turno das eliminatórias:

– Uruguai x Equador

– Chile x Colômbia

– Brasil x Bolívia

– Peru x Argentina





Desestabilizar – vale a tentativa

9 09 2008
medo, EU?

"medo, EU?"

Tenho lido e ouvido com muita freqüência coisas do tipo: “o Grêmio não é mais o mesmo”, ou “está sentindo a pressão” e “vai cair de produção, todo mundo cai de produção”. Pode ser que a última frase acabe sendo verdade, mas com certeza, as duas primeiras, são baboseiras. Até esse momento não há nada que indique que o Grêmio está sentindo algum tipo de pressão dos imediatamente posicionados abaixo ou de que a campanha neste segundo turno esteja muito abaixo da do primeiro turno.

Vejamos: somando-se só os jogos do segundo turno, o Grêmio tem 8 pontos em 15 disputados, resultado de 2 vitórias em casa (São Paulo e Vasco), dois empates fora (Náutico e Fluminense) e uma derrota fora de casa (Flamengo). Percentualmente, nada genial (53%), mas temos uma base bem fraquinha neste momento. Tanto é que o “líder” deste campeonato à parte é o Botafogo, com 11 pontos em 15, sendo 2 vitórias fora (Sport e Coritiba), uma vitória em casa (Cruzeiro), um empate fora (Vasco) e outro em casa (Náutico). Isso lhe dá o excelente aproveitamento de 73,33%, mas não podemos nos esquecer que é apenas uma vitória a mais.

Enfim, a campanha recente do Botafogo é louvável, mas os pontos que o time perdeu no início do campeonato lhe dificulta uma pretensão maior ao título, pelo menos, por enquanto.

As “rateadas” que o Grêmio deu foram acompanhadas pelos seguidores, o que nos mostra que esses times não aproveitaram suas chances de encostar. Considerando a regularidade tricolor, é provável que o desempenho nos próximos jogos seja superior ao demonstrado nos últimos 5, portanto, razões para temor dos adversários.

Enfim, relaxem e deixem rolar mais água por baixo desta ponte. Fazer previsões é para a mãe Diná.