Releve, ele não sabe o que diz

27 03 2009

Gordon Brown, primeiro-ministro britânico, está em “turnê” pelas Américas. Claro que ele não perderia a oportunidade de visitar Lula, o novo pop-star da crise internacional.

Péssima idéia.

Desconsiderando as intensas súplicas de seus assessores, que lhe pedem para seguir estritamente o que lhe foi redigido em seus pronunciamentos, LULLA resolveu dar asas à sua imaginação e falar o que lhe viesse à mente. Aí ele soltou uma verdadeira pérola: “a crise foi causada por brancos de olhos azuis“. Não sem razão, Brown mostrou constrangimento com os infelizes comentários RACISTAS do mandatário brasileiro.

mim não conhecer bons modos, icumpanhêro/i Brown

"mim não conhecer bons modos, cumpanhêro Brown"

Algum assessor do premiê lhe informou que esse comentário era pra “consumo interno”. De qualquer modo, é de um mau-gosto incomensurável. Ele insiste em afirmar, para quem quiser ouvir, que o Brasil não tem nada a ver com a crise financeira e que somos “coitadinhos” nesta história.

O pior é que a principal razão da visita de Brown era “abrir caminho” para um melhor entendimento na reunião de cúpula do G20, que ocorrerá dia 2 de abril, em Londres, a qual será evidentemente presidida pelo primeiro-ministro britânico. Com essa demonstração, parece que Lula não facilitará as coisas.





Lulinha “paz e amor” = passado?

5 03 2009

Ando um pouco preocupado com o que NOÇO GUIA anda declarando por aí. Com o estabelecimento da crise e a enxurrada de comentários positivos ao Brasil vindos de várias entidades mundiais (FMI, Banco Mundial, União Europeia, etc), o presidente Luís Inácio EGO da Silva está se tornando perigosamente parecido com o CUMPANHERO Hugo Chavez, da Venezuela.

Apenas no dia de hoje, fez um discurso contrário ao mercado de capitais. Também sugeriu aos países ricos a estatização de bancos, como forma de solucionar a crise.

Também está trabalhando pessoalmente na questão das demissões da Embraer. Tá certo que é uma das maiores empresas do Brasil, mas me parece estranho que o Presidente da República esteja tratando do assunto. Seria saudades dos tempos de sindicalista?

Enfim, entendo que o presidente costuma discursar de acordo com sua audiência. Mas estaria ele e seu governo finalmente pondo suas “mangas de fora”?





Lulla não sabe ser mau

25 09 2008
te pego na saida

"te pego na saída"

O que aconteceu com Lulla sindicalista, aquele sujeito com cara de mau que metia medo em todo mundo? Ok, sabemos que houve o momento LULLINHA PAZ E AMOR, que lhe rendeu duas eleições com votação recorde, mas afinal, o homem realmente se transformou?

Faço essas perguntas porque esta semana o presidente do Equador, Rafael Correa, resolveu seguir o exemplo de seus “faixas”, Evo Morales e Hugo Chávez e embargou obras da empreiteira brasileira Odebrecht, inclusive impedindo 4 executivos brasileiros da companhia de deixarem o país. Dois deles já haviam viajado de volta ao Brasil, mas os outros dois estão abrigados na embaixada brasileira em Quito, alegando falta de segurança (jura?).

O problema está relacionado com a construção da hidrelétrica San Francisco, a segunda maior do país e a primeira totalmente subterrânea. Aparentemente, problemas técnicos estão causando interrupções no funcionamento da usina, afetando o fornecimento de energia do país. O governo do Equador está pedindo o pagamento de indenização pelos transtornos causados e, diante da negativa da empresa brasileira, resolveu ordenar ao exército a ocupação das obras da Odebrecht no país, além do escritório da empresa.

Hoje, em Nova York, ao ser questionado sobre o assunto, Lulla comparou o Equador a um irmão mais novo. E, assim, vai “passando a mão” na cabeça de Rafael Correa, que provavelmente se sentirá bastante à vontade para tomar atitudes mais drásticas e menos democráticas. É difícil entender o que impede o nosso presidente bonachão de fechar a cara e, sem ser necessariamente rude, dizer palavras graves em relação às inaceitáveis atitudes dos vizinhos sulamericanos.

Enfim, mais uma bola fora da diplomacia brasileira. E Lulla entende que as relações internacionais do Brasil estão entre os pontos mais positivos do seu governo. Não sei como.





Medida Provisória cria quase 300 cargos sem concurso

31 07 2008

Notícia extraída da Zero Hora.com. A assinatura da MP nr. 437, de 29/7, transforma a Secretaria de Aqüicultura e Pesca em ministério (pausa para morte imediata), criando 150 cargos de confiança para o mesmo, além de outros 145 cargos para outros ministérios e secretarias.

Esse é o Governo Lula, mostrando trabalho e esforço para criar empregos sem passar pela DESNECESSÁRIA e ANTIQUADA burocracia de promoção de concursos públicos. Parabéns!