Tempo escasso

14 09 2009

Embora possa parecer que eu esteja me referindo ao pouco tempo que resta ao Grêmio para tentar se recuperar no campeonato brasileiro, na verdade estou falando do MEU escasso tempo para fazer posts mais decentes. Por isso, apenas para marcar a data, quero comentar rapidamente sobre a vitória de 2×0 do Grêmio no Náutico, fora de casa, finalmente.

O Grêmio não fez grande partida – e não precisava. Claro que seria melhor ter jogado mais, até porque cansaço não é um problema num grupo que tem jogado só uma partida por semana nos últimos tempos. Mas foi objetivo e conseguiu fazer dois gols nas praticamente únicas conclusões que teve no jogo – teve algumas poucas mais no primeiro tempo. No segundo, praticamente assistiu ao Náutico.

O Náutico assustou no primeiro tempo, exigiu algumas grandes defesas de Victor. No segundo tempo, houve um paradoxo: o jogo foi MEIA-LINHA, com o Náutico atacando sem parar e o Grêmio só se defendendo. Porém, o Náutico NÃO CONCLUIA A GOL. Aparentemente o tricolor arrumou sua defesa, que estava vazando um pouco na primeira etapa.

Tcheco fez um primeiro tempo de qualidade, sendo dele as assistências para os dois gols, de Souza e Jonas. O segundo gol, do artilheiro do campeonato (12 gols, junto com Adriano), foi realmente bonito. Além dos gols, teve uma conclusão do Tcheco que me chamou a atenção.

Maxi Lopez somente participou positivamente no primeiro gol, tirando a marcação de Souza. Fora isso, foi trombador, não acrescentou nada e ainda foi expulso idiotamente. O cara fica um tempão fora do time por lesão e agora vai ficar mais um jogo de molho. Lamentável.

O que posso dizer é que foi bom que o Grêmio finalmente ganhou, mas não dá pra sair dando graças a Deus. Estes 3 pontos basicamente foram uma espécie de compensação pelo empate contra o Vitória. Precisaria vencer mais jogos fora para conseguir, de fato, recuperar posições e pensar em ficar entre os 4 primeiros.

Sobre a rodada: sem dúvida ela coloca mais um time como favorito ao título. O de sempre.

P.S.: 106 anos NO LOMBO, mas pareces um gurizinho. Parabéns Grêmio!





Sorrisos em todas as bocas

7 07 2009

No Rio Grande do Sul, os torcedores de Grêmio e Internacional, que andavam deprimidos e cabisbaixos por suas desclassificações na Copa Libertadores e na Copa do Brasil, respectivamente, voltaram a sorrir. Os vermelhos estão particularmente FACEIROS pois, além de vencerem fora de casa, alcançaram a liderança isolada do CERTAME, já que o Atlético Mineiro VACILOU diante de outro alvi-negro, empatando em 1×1 com o Botafogo em pleno Mineirão lotadíssimo.

Goleada platina

de que cor é o céu? hein? hein? (foto: Roberto Vinícius / Ag. Free Lancer/Futura Press)

"de que cor é o céu? hein? hein?" (foto: Roberto Vinícius / Ag. Free Lancer/Futura Press)

Não pude ver o jogo inteiro, pois estava na cidade que não sorriu, pois seus times foram derrotados em suas respectivas séries (B e C). Entrei no carro para ligar o rádio e saber do jogo às 16:20, mais ou menos, e no momento que liguei o rádio, o Pedro Ernesto gritou aquele “gol” chocho, o que evidenciava que era o Atlético que marcava. Comecei a esbravejar, admiti que era um pé-frio, “jurei” nunca mais ouvir jogo, etc etc, pro DELEITE da Gra, secadora. Até o momento que o mesmo Pedro anunciou que estava 3×1 para o Grêmio. Obviamente, meu queixo caiu até o NÚCLEO DE MAGMA da Terra.

Ok. Contada esta historinha, vamos ao que interessa. Tirando os primeiros 20, 25 minutos de jogo, quando o Grêmio abriu a vantagem ABSURDA de 3×1, o time tirou o pé e ficou administrando. Mas não de um jeito bom, já que exercia a marcação de forma deficiente. O segundo tempo foi CHATO. O gol derradeiro de Herrera parecia mais achado do que feito (ns).

Com a vitória, o tricolor subiu 5 posições, indo para a 9ª, mas podendo ser ultrapassado por Corinthians ou Fluminense, que ainda jogarão pela rodada, nesta quarta-feira (inexplicável, já que haverá o 1º jogo da final da Libertadores na mesma data e horário). O empate entre os dois manterá o Grêmio na mesma posição. O Atlético Paranaense permanece na zona de rebaixamento, com 8 pontos.

Não vejo ninguém na minha frente

A desgastada piada, tão comum no ano passado, quando o Grêmio liderou o campeonato por mais de 20 rodadas, passa para o lado do aterro do Guaíba. Com a vitória de 2×0 sobre o Náutico, em CAPIBARIBE (a.k.a. Recife), o colorado alcançou os 20 pontos, contra 18 do Atlético Mineiro, segundo colocado.

Este jogo eu consegui ver na íntegra. Mas estava chatíssimo, com o Inter jogando extremamente mal e o Náutico, jogando normalmente (ou seja, pior ainda). O árbitro do jogo foi Marcelo de Lima Henrique, o mesmo que apitou Sport x Grêmio na semana anterior, na mesma Recife. Porém, desta vez, em vez de beneficiar o time da casa, acabou ajudando o Internacional em duas ocasiões. Numa, um pênalti inexistente, o Inter desperdiçou a chance de abrir o marcador ainda na primeira etapa, com D’Alessandro (de atuação patética, mais uma vez). Outro jogador que se ESCONDEU em campo foi Taison, que parece estar sentindo medo de se lesionar, ou algo do estilo.

Porém, apesar dos pesares, o Inter jogava melhor que o Náutico e tinha mais posse de bola e construia as melhores chances de gol, que foram poucas. Foi um jogo realmente ruim de se ver.

O segundo erro do árbitro foi o que originou o segundo gol do Inter (e de Nilmar), já que o camisa 9 colorado estava voltando de posição de impedimento quando houve o passe de Andrezinho. Os auxiliares comeram mosca e Nilmar, não. Acredito que a massa vermelha esteja mais preocupada do que nunca com a iminente saída do centroavante, já que os demais atacantes não andam jogando tão bem.

Outras milongas

Além do mencionado 1×1 entre Atlético Mineiro e Botafogo, que foi muito comemorado pela torcida colorada, também chamou a atenção a derrota de 2×0 do São Paulo para o Coritiba, no Couto Pereira, que deixa o tricolor paulista com a sua pior campanha da era dos pontos corridos, pelo menos nestas primeiras 9 rodadas. Já o coxa conseguiu alcançar o próprio São Paulo com a vitória, e deixar a zona de rebaixamento um pouco mais distante de si.

Outro resultado impressionante foi a goleada do Palmeiras sobre o Avaí por 3×0, na Ressacada, em Florianópolis. Com o resultado o alviverde imponente mantem a perseguição aos líderes, com 16 pontos, na quarta colocação. O clube catarinense amarga a lanterna da competição, porém, muito próximo dos demais (por enquanto).

Segue tabela de jogos e placares, além da classificação atualizada, faltando uma partida para o fechamento da rodada.

Tabela Portugues 9r

classificacao 9r

Classificação: extraída do site Globoesporte.com.





Ruy é um homem de sorte

5 06 2009
pinky e o cérebro (foto: Daniel Marenco)

pinky e o cérebro (foto: Daniel Marenco)

Sim, este homem tem muita sorte. Porque, mais uma vez, não jogou um OVO. Foi substituído aos 20 do segundo tempo por Joílson, que em dois minutos, botou uma bola redondinha na cabeça de López para marcar o segundo gol gremista. No tempo em que ficou jogando teve atuação muitíssimo superior ao antecessor. E, no final do jogo, conseguiu tomar dois cartões amarelos em 4 minutos, em lances que nem Freud e Jung juntos entenderiam, já que a vitória estava garantida. Assim, CABEÇOLHO garante sua RESERVA DE MERCADO no lado direito tricolor para o próximo jogo do campeonato brasileiro. Na Libertadores ele já está com esta garantia de qualquer jeito, pois Joílson foi inscrito pelo SPFC e não pode ser alterado para o Grêmio.

Mas vamos aos fatos.

“Olímpico às moscas”, foi a mensagem de celular que meu bravo irmão Luciano me mandou às 20:18, 42 minutos antes do início da contenda entre Grêmio e Náutico, pela 5a rodada do campeonato brasileiro. Assistindo pela TV, não dá pra ter a noção exata do público presente, mas quando liguei pra ele no intervalo, me disse que devia ter umas 10.000 pessoas.

Ok, tá certo que tava frio e tal, mas a torcida tricolor não era assim. Nos últimos três anos, vinha colocando públicos mínimos de 18.000. O anel inferior geralmente ficava totalmente tomado, ou quase. Ontem, era uma terra sem dono.

O que está acontecendo? Perderam o TESÃO? Estão “preocupados” com o Inter, que foi pra final da Copa do Brasil? Estão decepcionados com o futebol de má qualidade apresentado pelo time em alguns jogos? Na minha opinião, nada disso é justificativa aceitável para o baixo público dos últimos jogos. Espero muito que isso mude para a sequência do campeonato.

O primeiro tempo não foi bom. Muitos erros de passes, Tcheco mal posicionado, excessivamente defensivo, Adilson em má jornada (mais uma vez), Souza perdendo bolas fáceis (e tomando vaias dos corneteiros de plantão), os dois laterais jogando normal (ou seja, péssimo). O Náutico conseguiu chegar com perigo em pelo menos, duas oportunidades no início do jogo, enquanto que o Grêmio tinha mais dificuldade em fazer uma conclusão decente.

O passe tipo “puxada” de Alex Mineiro para Souza foi primoroso, mas infelizmente o jogador gremista estava em posição irregular. Ainda que o bandeira não tenha registrado e o gol tenha sido legalizado pelo árbitro, não gosto quando isso acontece. Depois ainda houve uma boa jogada iniciada pela direita, em que vários jogadores tiveram a oportunidade de concluir a gol, mas pareciam que tinham medo, ou algo assim. O ataque acabou sendo desperdiçado inutilmente.

vaiem agora, seus POHA (foto: Lucas Uebel/Preview.com/Gazeta Press)

"vaiem agora, seus POHA" (foto: Lucas Uebel/Preview.com/Gazeta Press)

O segundo tempo não começou bem para o tricolor, com o Náutico tentando crescer e, de certa forma, conseguindo. O alvirrubro pernambucano teve algumas chegadas perigosas com Gilmar, de boa atuação. A entrada de Anderson Lessa também deu mais mobilidade ao Timbu. Porém, a partir dos 10, 12 minutos da segunda etapa, o Grêmio dominou o jogo como não havia feito no primeiro tempo e já não deu chances ao Náutico. As finalizações foram se avolumando, sendo que somaram 19, ao final do jogo – um número considerável.

Como eu já disse, a entrada de Joílson melhorou MUITO as jogadas pelo lado direito. O Grêmio, por instrução de seu treinador, passou a tocar a bola com qualidade, sem rifadas e chutões da defesa, permitindo mais chegadas ao ataque. Souza jogou DEMAIS no segundo tempo.

Aos 22 ST, Joílson fez lindo cruzamento na cabeça de Maxi, que tocou de ORELHA (mentira) e mandou no canto direito de Eduardo. 2×0.

gostaram da minha faixa? (foto: Wesley Santos/Foto Arena/Gazeta Press)

"não, não sou o LUCAS" (foto: Wesley Santos/Foto Arena/Gazeta Press)

A partir daí, tudo ficou TRANQUILAÇO. Mas, diferente de outras ocasiões, o Grêmio não desistiu do jogo e continuou insistindo no ataque. Maxi foi substituido por Herrera, que não teve muitas oportunidades. Aos 35, Gladstone (pior zagueiro) falha TOSCAMENTE, errando um passe na cara de Alex Mineiro, que interceptou a bola e serviu com maestria Souza, que apenas tocou de CHAPA pro fundo das malhas. 3×0.

O Grêmio continuou insistindo. Era visível que eles estavam DOPADOS emocionalmente. Coisa boa, diga-se. Pena que o Joílson levou a sério demais essa história e foi expulso de forma muito idiota. Troféu MANGOLÃO da semana pra ele.

Douglas Costa entrou no lugar de Alex Mineiro aos 40′ ST, mas aí era só pra “ganhar o bicho”. A maior promessa do Grêmio depois de Ronaldinho (nojo) continua sem ter muitas chances de aparecer. Veremos na sequência do Brasileirão.

Dever de casa cumprido. O Grêmio vai a 7 pontos e assume temporariamente a 6a colocação do campeonato, mas cairá várias posições até o final, pela lógica. Como Santos e Santo André empataram em 3×3, nenhum dos dois se distanciou consideravelmente, uma boa notícia. A rodada continua no sábado, com Corinthians x Coritiba e todos os demais confrontos no domingo.

O próximo jogo do tricolor é no domingo, 14/6, contra o Fluminense, no Maracanã.





Que acabe logo!

18 11 2008

É insuportável a tensão derivada das últimas rodadas do campeonato brasileiro. Embora houvesse motivos para pensar o contrário, há umas 10 rodadas, hoje é inevitável dizer que este é o campeonato mais disputado e emocionante da era dos pontos corridos. Os prognósticos apontam que haverá chance do título ser definido somente na última rodada, o que garantirá horas de discussões sobre favorecimentos, malas pretas e outros componentes do folclore e da realidade futebolística brasileira.

Estive fora do país por uns 8 dias, o que me dificultou (mas não impossibilitou) o acompanhamento do jogo do dia 9/11, entre Palmeiras e Grêmio. Por sinal, estava em uma feira de negócios em Chicago, sendo que a internet estava “fora do ar” no momento do jogo. Ou seja, não conseguiria acompanhar no minuto-a-minuto ou onde quer que fosse.

O pior é que eu tinha tanto medo que nem queria acompanhar. Assim, avisei meu chefe (que também é gremista) que o jogo estaria começando naquele momento e que o nosso destino estaria selado. Passou-se o tempo do jogo e eu não fui atrás de descobrir quanto estava. Quando eu calculei que o jogo estaria acabando, comentei com ele e ele chamou sua esposa no Nextel, pra ver como estava. Ela disse 1×0 pro Grêmio. Não acreditei, pensei: “ela tá tirando a gente”.

Não estava.

Aquilo me deixou muito contente. Não assisti ao jogo, não posso comentar. Mas, considerando que foi uma vitória fora de casa contra um adversário direto, posso afirmar que foi ÉPICA. Assim como terá que ser o jogo contra o Vitória. Mas isso é outro assunto.

Já de volta à casa, consegui assistir ao jogo contra o Coritiba na TV. Não foi um jogo excelente, mas o Grêmio pouco foi ameaçado. Assim como teve poucas chances efetivas de gol. De qualquer forma, era mais provável que o Grêmio marcasse gols do que o coxa.

CHUPAAAAAAAAAA

"CHUPAAAAAAAAAA"

Os dois gols gremistas foram de PINOGOL (melhor definição de todos os tempos). O gol do coxa foi aos 46 do segundo tempo, quando as lâmpadas do Olímpico já começavam a ser apagadas. E o Coritiba estava com um jogador a menos, o que supõe que não conseguiria colocar pressão, caso tivesse mais tempo para empatar. Keirrisson foi anulado, errou um gol relativamente fácil no primeiro tempo mas acertou um bonito chute, na mesma etapa. O melhor jogador do Coritiba foi MARLOS (uma mistura de MARCOS e CARLOS), que fez festa sobre o Rafael Carioca.

Ou seja, o jogo não foi belo, mas o resultado persistiu. Pena que antes o São Paulo havia vencido o Figueirense, como era de se supor, por 3×1. Não vi o jogo todo. O segundo gol são-paulino foi oriundo de uma cagada grotesca da defesa. O terceiro também foi por erro de marcação. O Figueira parece condenado – ainda bem.

Dos demais jogos, ressalto duas SAPATADAS de 5×2, envolvendo 3 dos 5 primeiros colocados do campeonato. Primeiro, o Cruzeiro fez fiasquinho e tomou um RODIÃO do Náutico, que continua SUBMERSO NO LODO, mas consegue respirar. O outro, um jogo sensacional entre Flamengo e Palmeiras, diante de mais de 60 mil almas, que viram IBSON triunfar sobre o ENLOUQUECIDO goleiro palmeirense. Há rumores de que Luxemburgo, incomodado com as ameaças e agressões sofridas antes do embarque para o Rio, nem voltará para SP e ficará comandando o time do PROJAC.

Todos os jogos da rodada, incluindo a CHAPULETADA tomada pelo Renato Portaluppi, no meio da semana:

tabela-portugues1

E a classificação atualizada:

classificacao1





Segue o baile

10 10 2008

Enquanto eu adio meu almoço de hoje, nauseado com essa notícia, que diz que Léo e Rafael Carioca poderão ir para a Rússia ao final do ano, aproveito para comentar sobre os resultados da noite de ontem.

O São Paulo FASHION WEEK venceu seu compromisso em casa com o Náutico, por 1×0 e continua sua perseguição ao Grêmio e ao Palmeiras, além de acompanhar a patota que tem esperança de título. Mas quem imagina que foi fácil, SE ENGANOU-SE.

créu

"créu"

Assisti o jogo até os 25 minutos do segundo tempo. Estava 0x0 e o São Paulo não teve muitas chances de gol. Se bem que teve uma bola que Dagoberto, ABSURDAMENTE LIVRE, chutou por cima, causando uma decepção ORGÁSMICA na torcida tricolor paulista. Mas o Náutico também teve sua parcela de chances e as desperdiçou.

Leio que o gol veio de uma PAULADA de Hernanes, aos 38 do segundo tempo, que garantiu os 3 pontos e o encalço ao Cruzeiro, que também venceu ontem. Mas a torcida são-paulina vaiou seu treinador, entendendo que a vitória não foi bom resultado.

O estrelado enfrentava o Ipatinga, um dos lanternas da competição, no Mineirão. Porém, novamente a vida não foi exatamente fácil para o Cruzeiro. Talvez pelo fato do jogo ser quase um clássico, já que os dois times são mineiros e se enfrentam com maior frequencia que os outros clubes brasileiros.

O gol do Cruzeiro foi marcado por Ramires, ainda no primeiro tempo. Mas o jogo foi encardido. E a torcida cruzeirense, para não perder o costume, vaiou Adilson Batista, já que o clube faz péssima campanha, na terceira colocação do campeonato. Provavelmente é algum tipo de mantra, semelhante ao que era emanado no Olímpico, na época do Fora Roth.

O outro jogo da noite foi entre Botafogo e Vitória. O Vitória saiu na frente, no primeiro tempo, mas teve um zagueiro expulso, em lance muito imbecil. Com a superioridade numérica, o Botafogo se impôs e meteu 3 gols no rubro-negro baiano. Com o resultado, o Botafogo foi a 46 pontos, ultrapassando o Coritiba e assumindo a sexta colocação. Porém, o Coxa ainda jogará nesta rodada.

Resumindo, até agora, 4 dos 5 primeiros colocados realizaram seus jogos, sendo que 3 deles venceram – somente o Palmeiras empatou. O Flamengo ainda jogará amanhã, em casa, contra o Atlético Mineiro e também deverá vencer. Com isso, as chances dos times que formam o grupo intermediário (que inclui o Inter) de chegar ao G4 tornam-se muito remotas.

Resultados de ontem (9/10) – jogos realizados às 20:30

– São Paulo 1 x 0 Náutico

– Botafogo 3 x 1 Vitória

– Cruzeiro 1 x 0 Ipatinga

Jogos de sábado (11/10) – todos às 18:20

– Goiás x Internacional

– Portuguesa x Coritiba

– Atlético-PR x Fluminense

– Flamengo x Atlético-MG

E a classificação atualizada:

Fotos: globoesporte.com – Tabela de classificação: Terra





Fiasco dos Aflitos

25 08 2008

Ontem tive o desprazer de assistir a um dos piores jogos de futebol desta temporada, pelo menos, no ponto de vista do Grêmio. Ao enfrentar o Clube Náutico Capibaribe, em Recife, um dos ocupantes da zona de rebaixamento e que faz uma campanha terrível, o único resultado aceitável para um candidato ao título era a vitória. E não foi que o Grêmio não a quisesse. Mas, quando os jogadores erram passes de dois metros, a coisa realmente não vai bem.

Não nos iludamos: o Náutico não está onde está por acaso – é simplesmente HORRÍVEL. Dá quase pena de vê-los atuar. E é exatamente por isso que eu considero que o empate em 1×1 “conquistado” pelo Grêmio foi um vexame. E a palavra “conquistado” é adequada, pois o gol de empate ocorreu aos 48 minutos do segundo tempo, faltando apenas segundos para o final da partida.

A foto é da comemoração do gol. Sim, VICTOR estava na área do NÁUTICO para tentar marcar o gol.

A foto é da comemoração do gol. Sim, VICTOR estava na área do NÁUTICO para tentar marcar o gol.

Difícil até escolher um jogador para ser o “melhor” do Grêmio no jogo de ontem. Talvez RÉVER, por ter marcado o gol salvador e ter sido o MENOS PIOR dos zagueiros tricolores. Talvez VICTOR, por mais uma vez ter feito defesa difícil. Já escolher o PIOR do Grêmio é ainda mais difícil, uma disputa acirradíssima. Entre Tcheco, Rafael Carioca, Paulo Sérgio, Anderson Pico, Perea e Marcel, qualquer um pode ser o CAMPEÃO da RUINDADE.

Lamentavelmente não achei foto do árbitro Wagner Tardelli, mas ele merecia cartão vermelho pelo CALÇÃO que estava usando nesta partida. Completamente apertado, o dito cujo ressaltava a BUNDA e o PINGOLIM do juiz. Constrangedor.

No mais, o resultado foi ruim, mas mais uma vez a combinação de resultados paralelos foi benéfica ao Grêmio. Com o empate, foi possível manter 5 pontos de vantagem sobre o segundo colocado, sendo que agora não é mais o Cruzeiro e sim, o Palmeiras.

Seguem resultados da 22a rodada:

Sábado (23/8)

– Figueirense 1 x 2 Vitória: o resultado coloca os comandados de Vagner Mancini a 2 pontos do G4, reacendendo a chama da possibilidade de disputar a glória sulamericana. Figueirense perde em casa e continua demonstrando ser um time instável.

– Fluminense 1 x 1 Sport: não se enganem – o Fluminense, apesar de jogar em casa, só conseguiu empatar no finalzinho do jogo. Foi o suficiente para mantê-lo fora da zona de rebaixamento, somente um ponto acima da degola.

Domingo (24/8)

– Ipatinga 1 x 0 Goiás: a zona de rebaixamento vai ficando bem interessante. Até o Ipatinga, quem diria, tem alguma chance de sair da mesma vencendo duas partidas (ou vencendo uma e empatando a outra). O Goiás, está com alguma gordura, mas não muita.

– Santos 2 x 0 Cruzeiro: grande resultado da equipe da Vila, que ajudou o Grêmio e embora permaneça na penúltima colocação, está com a mesma pontuação do Náutico, que é o primeiro a cair. Já o estrelado foi pior do que o Grêmio e voltou de sua “excursão” com nenhum ponto.

– Coritiba 2 x 2 São Paulo: nas duas oportunidades, o Coxa marcou gol e o SPFW empatou logo em seguida – uma vez no primeiro tempo e outra no segundo. Esse tipo de coisa é muito difícil de entender. O resultado foi ruim pra ambos, que ficam um pouco mais distantes da liderança. O SPFW está a um ponto do G4 e o Coritiba, a 2.

– Palmeiras 4 x 2 Portuguesa: o Palmeiras fez quatro gols no primeiro tempo, contra a já rebaixada (khgçlkasj) Lusa. Depois, o time ESQUIZOFRÊNICO do Canindé ainda marcou dois gols, mas sem chance de inverter o placar desfavorável. Valdir Espinosa disse tchauzinho.

– Internacional 1 x 1 Flamengo: jogo disputado e de boa qualidade técnica. No entanto, ambos gols nasceram de erros dos goleiros. O Inter saiu na frente no início do jogo, após besteira inacreditável de Bruno, que soltou uma bola fácil, na cabeça de Nilmar. O avante colorado, mais uma vez, perdeu um COMBOIO FERROVIÁRIO de gols. Sério, não me lembro de ter visto alguém perder TANTOS gols assim. Nem o Herrera.

ih, FODEO

"ih, FODEO"

Os azares colorados não estavam acabando ainda. Alex se machucou e teve que ser substituído (torna-se dúvida para o segundo Grenal da Sulamericana). No segundo tempo, Clemer, sempre ele, quis retribuir a gentileza do seu colega rubro-negro e falhou clamorosamente no gol de empate flamenguista, marcado por Obina, nome que significa, em FARSI (nenhum sentido), “aquele que é melhor que Eto’o”.

O restante do jogo foi excelente, com muita movimentação e chances de gol perdidas nos dois lados. Pelo Inter, Nilmar (quem mais?) e, pelo Flamengo, Ibson, Obina e Erick Flores, que mandou um chinelo no poste esquerdo do frangueiro goleiro colorado.

– Atlético-MG 4 x 0 Atlético-PR: quando os Atléticos se encontram, sai faísca. Exageros à parte, o Galo mineiro, outrora “forte e vingador”, vinha sendo “fraco e depenado” por quase todos que o enfrentavam. Então, aproveitou que o Furacão tem sido apenas uma “brisa agradável” ultimamente e lascou uma goleada nos paranaenses, que estão a um passo da zona de rebaixamento.

– Vasco 1 x 1 Botafogo: no único clássico da rodada, o Vasco conseguiu empatar no finalzinho do jogo, repetindo os feitos de Fluminense e do Grêmio. Com isso, impediu o Botafogo de igualar-se ao Palmeiras na vice-liderança, ajudando mais uma vez ao Grêmio. E ficou um pouquinho mais distante da zona de rebaixamento, que vinha assombrando São Januário há algum tempo.

A próxima rodada promete ser emocionante, com dois clássicos (São Paulo x Santos e Flamengo x Fluminense) e jogos importantes na luta pela liderança e pelas vagas para a Copa Libertadores. Antes disso, rodada pela Sulamericana. Grêmio jogará novamente com reservas contra o Inter, portanto, provavelmente perderá, mesmo sendo o jogo em seus domínios.