Apesar dos pesares

30 06 2009

Quando eu vi que a escalação do Grêmio para enfrentar o Sport seria totalmente reserva, não imaginei outro resultado que não fosse a derrota. Mesmo o Sport sendo o último colocado do campeonato (era), sabia que não era um time totalmente horrível e jogaria em casa. Para mim, a escalação somente de reservas era um erro.

Descobri mais tarde que não foi um erro completo não. Mas foi um erro.

Afinal, o que o Grêmio vai fazer se passar (e vai passar) para as finais da Libertadores? Jogará mais duas ou três rodadas com time reserva? Me parece que anteontem o Grêmio perdeu uma verdadeira oportunidade de aproximar-se um pouco mais do grupo dos líderes e afastar-se do grupo de rebaixáveis. Neste momento, apenas 1 ponto separa o 17º colocado do Grêmio, que é 14º. Claro que o tricolor jogará seu próximo jogo em casa, o que deve facilitar um pouco as coisas.

Estou atrasado para comentar sobre o jogo, portanto, indico o relato do André Kruse, que está coerente, como geralmente é. Ele indica os graves erros de arbitragem que prejudicaram o Grêmio, especialmente o primeiro gol do Sport e a expulsão de Jonas, que acarretou a ampliação do placar pelo time pernambucano. Só não concordo com a parte que diz que o gol do Grêmio no primeiro tempo foi anulado incorretamente. Ao meu ver, o Orteman impediu o zagueiro de saltar para o cabeceio, que seria salvador. Portanto, seria um erro grave ter validado aquele gol. Claro que o ideal seria que o árbitro não tivesse prejudicado tanto o Grêmio em outros lances.

No entanto, assistir a um jogo recheado de juniores e jogadores muito jovens não foi uma experiência ruim. Para falar a verdade, alguns jogadores tiveram destaque neste confronto contra o Sport, algo gratificante. Maylson teve ótima atuação, assim como os zagueiros Mário “fujão” Fernandes (jogou o primeiro tempo) e Héverton (entrou no seu lugar, no segundo). Orteman foi regular (ou seja, PÉSSIMO, como sempre) e Douglas Costa não jogou NADA. Isael entrou em seu lugar no segundo tempo e fez consideravelmente mais que o antecessor. Autuori inventou Hélder como terceiro zagueiro o que foi quase desastroso. Inexplicável, já que ele tinha Héverton no banco.

A dupla de ataque foi Jonas e Herrera. O argentino mostrando mais uma vez muita qualidade e o brasileiro… errando gols imperdíveis, como de costume. Além de ser expulso (exageradamente) em um lance de muita IMBECILIDADE (não exageradamente). DEMÊNCIAS à parte, ele só deveria ter levado um amarelo.

No final das contas, a formação inesperada do Grêmio fez o time buscar o ataque quase que o tempo inteiro, tocando bola e envolvendo a defesa pernambucana. Com um TIQUINHO mais de qualidade, sem expulsões e com um atacante minimamente capaz no lugar de Jonas, o Grêmio poderia ter saído com a vitória de Recife. E aí vem a questão: será que um time misto não teria sido mais eficiente?

Enfim, 3×1 pro Sport, que saiu da lanterna e da zona de rebaixamento.

Não comentarei os outros jogos da rodada, mas aí vai a tabela de jogos:

Data Hora Cidade Estádio Jogo
27/06 16:10 Curitiba Arena da Baixada Atlético Paranaense 1 x 0 Corinthians
27/06 16:10 São Paulo Morumbi São Paulo 2 x 0 Náutico
27/06 16:10 Barueri Arena Barueri Barueri 4 x 2 Atlético Mineiro
27/06 18:30 Belo Horizonte Mineirão Cruzeiro 1 x 0 Avaí
27/06 18:30 Rio de Janeiro Engenhão Botafogo 1 x 4 Goiás
28/06 18:30 Porto Alegre Beira-rio Internacional 3 x 0 Coritiba
28/06 18:30 São Paulo Palestra Itália Palmeiras 1 x 1 Santos
28/06 18:30 Recife Ilha do Retiro Sport 3 x 1 Grêmio
14/06 18:30 Rio de Janeiro Maracanã Fluminense 0 x 0 Flamengo
14/06 18:30 Salvador Barradão Vitória 4 x 1 Santo André

E a classificação, de forma simplista, extraída do Impedimento.

1º Atlético-MG 17
2º Internacional 17
3º Vitória 16
4º Barueri 13
5º Palmeiras 13
6º Corinthians 11
7º Flamengo 11
8º Goiás 11
9º Cruzeiro 10
10º Santos 10
11º São Paulo 10
12º Santo André 10
13º Fluminense 10
14º Grêmio 9
15º Sport 8
16º Atlético-PR 8
17º Náutico 8
18º Coritiba 7
19º Avaí 7 8
20º Botafogo 6





Faiscando de tédio

31 10 2008

Quis o chamado destino que as 3 últimas partidas da 32a. rodada fossem realizadas pelo confronto de equipes que estão na zona de rebaixamento ou perto dela. No caso de um dos jogos, são dois times que nada mais têm a aspirar. Portanto = TÉDIO TOTAL.

O jogo entre Sport e Santos contou com pressão enlouquecida dos locais, mas Kléber Pereira, artilheiro isolado, não permitiu a alegria leonina. O Sport saiu na frente com Fumagalli e o negão santista empatou a contenda.

Fuma, FUMAGALLI

Fuma, FUMAGALLI

No Rio de Janeiro, a vitória anterior sobre o Goiás acendeu o espírito da torcida vascaína, que lotou o São Januário com mais de TRÊS MIL TORCEDORES (çlkfhasçlk – mentira, foram 22.000). Mas o apoio não deu muito certo e o Calhau quase saiu derrotado em casa.

O Vasco saiu na frente aos 27 do primeiro tempo, com Valmir, mas o Atlético Paranaense empatou quase no final do primeiro tempo, aos 43, depois de lance ridículo da zaga vascaína: o volante Mateus recuou a bola e Jorge Luiz, com a cabeça SABE-SE LÁ AONDE, ficou protegendo a bola, como se tivesse sido um jogador atleticano quem tivesse tocado por último. Na cobrança do escanteio, o paraguaio Julio dos Santos empatou o jogo para o Paranaense.

E foi um castigo: Pedro Oldoni virou o placar na primeira metade do segundo tempo. Obviamente o desespero tomou conta da equipe do Vasco. Apesar de boas chances do Atlético matar o placar, o baixinho feioso MÁDSON mandou um chinelaço de fora da área, encobrindo Galatto, aos 42 MINUTOS.

sou lindão

"sou lindão"

O placar é péssimo para as duas equipes, que continuam na zona de rebaixamento.

O terceiro jogo é aquele que não foi. Figueirense e Fluminense tiveram muitos problemas de falta de energia elétrica e o jogo teve de ser interrompido aos 15 minutos do primeiro tempo.

Aparentemente, a torcida do Figueira (todos os 12) jogou fitas coloridas dentro do campo, que foram arrastadas pelo vento forte e atingiram fios de eletricidade, provocando um curto-circuito e deixando o estádio às escuras. O árbitro esperou por UMA HORA E QUARENTA E CINCO MINUTOS, até que a luz fosse restabelecida. O jogo iniciou e o Fluminense foi pra cima do Figueira. Aos 12 minutos, Arouca recebeu dentro da área e mandou pras malhas.

E, aos 15, acontece um apagão deixando NO BREU não apenas o estádio, mas uma grande área ao redor. Aí o SENEME não teve mais saco e mandou todo mundo à PQP.

O jogo será reiniciado na próxima quarta-feira, dia 5/11, a partir dos 15 minutos do primeiro tempo e com o placar de 1×0 para o Fluminense. Uma situação inusitada, de fato.

Tabela atualizada:

E a CRASSIFICAÇÃO, sem contar com Figueirense x Fluminense, ÓBVIO:





Pra enfartar o loco

24 10 2008

Na continuação da trigésima-primeira rodada do Brasileirão 2008, os três times que ocupam a cabeceira do certame venceram seus confrontos, deixando a pressão para os outros dois membros do quinteto. A diferença entre o primeiro pelotão e o segundo tende a aumentar.

não foi sem querer. Eu QUIS muito

Ganhou jogando mal. Se eu ganhasse UM PILA pra cada vez que eu fizesse esse comentário, só esse ano, podia ir agora almoçar um BAURU AO PRATO, de FILÉ.

A escala de importância, é a seguinte: Ganhar jogando bem > Ganhar jogando mal > Perder jogando bem > Perder jogando mal. No entanto, para a tabela de classificação, usa-se a ARITMÉTICA: 3 > 1 > 0.

Ontem o tricolor gaúcho mostrou problemas para organizar seu jogo, sofreu algum tipo de pressão do adversário e quase saiu sem a vitória. Mas, o gol ENLOUQUECIDO de Reinaldo a menos de 2 minutos de jogo, foi suficiente para garantir a décima-sétima vitória no campeonato e a garantia de liderança isolada por mais uma rodada.

Apesar da minha brincadeirinha acima, o gol de Reinaldo foi muito consciente, corrigindo um chute torto e sem perigo de William Magrão. Um gol de um oportunismo incrível, que apenas comprova que o negão dono da camisa 20 merece ser titular. Aos 16, Tcheco levantou uma bola no segundo pau e Reinaldo cabeceou na trave. Teria sido um gol magistral. Porém, isso foi o que de mais perigoso aconteceu no primeiro tempo, a favor do Grêmio.

À medida que Douglas Costa se dedicava à marcação (evidentemente com má qualidade) e Thiego era um zagueiro deslocado para a lateral-esquerda, o Grêmio perdeu presença no meio-campo. Admito que, excetuando o início do jogo, William Magrão pouco foi visto. Carioca também estava apagado, até que passou a ocupar a ala-esquerda no segundo tempo, com o reposicionamento de Thiego na zaga, retomando o 3-5-2. Então começou a brilhar, assim como Douglas Costa, que voltou a ser um meia-atacante.

Eu já comentei isso aqui e em outros blogs onde regularmente comento: sempre que o Grêmio tenta fazer ligação direta da defesa para o ataque, fracassa miseravelmente. Ontem não foi exceção. No momento em que alguém teve a lucidez de se dar conta disso, o jogo melhorou. No entanto, além da ligação direta, ontem a bola “mordia” os jogadores tricolores.

O Sport teve certamente maior posse de bola do que o Grêmio. Mas essa posse superior não se concretizou em muitas chances de gol, efetivamente. O Grêmio teve 8, na partida e o Sport, 7. São números absolutos muito baixos, comprovando a baixa qualidade técnica do jogo.

Com a vitória, o Grêmio foi a 59 pontos, abrindo 3 de vantagem ao segundo colocado, o São Paulo, ainda que temporariamente. Apenas Cruzeiro e Palmeiras, que jogarão no sábado, podem reduzir esta vantagem.

Outros jogos de ontem

– São Paulo 2 x 1 Vitória: o time baiano saiu ganhando, aos 14 minutos do primeiro tempo, com Leonardo Silva. Com um verdadeiro DILÚVIO à cabeça, o CERVIDAE foi à busca da desforra. E aos 29, Hernanes empatou, cobrando falta. O gol derradeiro foi marcado por Hugo, aos 8 do segundo.

HUGO foi chamado e não decepcionou

HUGO foi chamado e não decepcionou

– Flamengo 5 x 0 Coritiba: essa é a certeza de que o Flamengo fracassará. Gols de goleiro estão na moda, ok. Mas quando o goleiro debocha, torna-se MALDIÇÃO. Brincadeiras à parte, o resultado não é surpresa, mas o placar, sim. A torcida, que compareceu em número apenas razoável no Maracanã (28.648 pagantes) viu o Flamengo esmerilhar o coxa, ganhando confiança para a reta final do campeonato.

Demais jogos da 31a rodada (todos no sábado, 25/10)

– 16:00 – Ipatinga x Botafogo

– 16:00 – Fluminense x Palmeiras

– 18:20 – Atlético-PR x Cruzeiro

– 18:20 – Santos x Figueirense

– 18:20 – Atlético-MG x Internacional

– 18:20 – Náutico x Portuguesa

Classificação atualizada:





O bacalhau está mordido

23 10 2008

Em jogo isolado do Campeonato Brasileiro de 2008, realizado por duas equipes que não disputam a Copa Sulamericana, o Goiás recebeu o ultra-desesperado Vasco da Gama, que buscava recuperação para sair da humilhante lanterna do certame. E conseguiu.

aaaaaaaaaaaaaaaaaaaah

"aaaaaaaaaaaaaaaaaaaah"

Em jogo de 6 gols, o Vasco abriu 2×0, com gols de Edmundo, pegando rebote de Harlei e de Alex Teixeira. Depois iniciou a reação goiana, ainda no primeiro tempo, através de pênalti convertido por Paulo Baier. O segundo tempo reservava outros 3 gols. “Pedrito” Iarley empatou aos 9 minutos da segunda etapa. Mas, 3 minutos depois, Madson guardou o seu. E a vitória cruzmaltina foi consolidada novamente por Edmundo, convertendo pênalti que ele mesmo sofreu.

Com a vitória, o Vasco saiu da lanterna, chegando aos 30 pontos, mas continua na zona de rebaixamento. Ele pode ser ultrapassado por Atlético-PR e Ipatinga, que ainda jogarão nesta rodada e, na pior das hipóteses, retornar à lanterna (pouco provável).

Hoje teremos 3 jogos pela 31a rodada, todos às 20:30 e os 3 contendo ingredientes importantíssimos para a parte de cima da tabela de classificação:

– São Paulo x Vitória: O SPFW, que vem mostrando boa campanha no returno, tem chances de igualar-se ao Grêmio, caso vença seu confronto com o Vitória da Bahia. É de se imaginar que o clube soteropolitano não terá muita gana nesta partida, já que suas pretensões à Libertadores foram praticamente dizimadas pelos maus resultados recentes.

– Flamengo x Coritiba: O Flamengo, atual 5o colocado, acredita piamente no título, ainda que suas chances sejam menores. Mas a liderança é, sim, alcançável. Porém o coxa pensa que tem alguma chance de Libertadores (remotíssimas). Talvez fará frente ao rubro-negro.

– Grêmio x Sport: o leão pernambucano não corre risco de rebaixamento e tampouco poderá classificar-se à copa sulamericana de 2009, já que sua vaga para a próxima Libertadores foi garantida com a conquista da Copa do Brasil, sobre o Corinthians. Portanto, sua motivação é questionável. No entanto, tem feito estragos incríveis jogando fora de casa (venceu o Palmeiras por 3×0, para ficarmos no exemplo mais marcante). Adversário perigoso.

O Grêmio vem acumulando instabilidade neste returno. Não mantém seu impecável desempenho do primeiro e, não sabe o que é vencer fora de casa desde a última rodada do 1o turno, contra o Atlético Mineiro. Em casa, no entanto, tem tido bom desempenho, excetuando-se a derrota para o Goiás. Venceu Botafogo e Santos, recentemente, mas perdeu para a fraquíssima Portuguesa. A vitória sobre o Sport é imprescindível, em uma rodada que poderá, caso o Grêmio fracasse, redundar na mudança do líder. O retorno de Tcheco é o principal trunfo tricolor, além da possível mudança de esquema, para o 4-4-2, com a saída de Pereira e a colocação de William Thiego no lugar de Hélder, na lateral-esquerda.

São apenas suposições, no entanto. Celso Roth não confirmou a equipe que enfrentará o Sport.

Quarta – 22/10 (22:00)

– Goiás 2 x 4 Vasco

Quinta – 23/10 (20:30)

– São Paulo x Vitória

– Flamengo x Coritiba

– Grêmio x Sport

Sábado – 25/10

– 16:00 – Ipatinga x Botafogo

– 16:00 – Fluminense x Palmeiras

– 18:20 – Atlético-PR x Cruzeiro

– 18:20 – Santos x Figueirense

– 18:20 – Náutico x Portuguesa

– 18:20 – Atlético-MG x Internacional

Classificação atualizada:





Nasce uma estrela

9 10 2008

A vigésima-nona rodada marca o retorno do Grêmio à liderança do campeonato. Na verdade, na minha opinião, o Grêmio nunca deixou de ser líder, afinal, mantinha o mesmo número de pontos que o Palmeiras, perdendo apenas no critério de desempate. Ou seja, por duas rodadas, a liderança foi dividida entre os dois clubes.

Ontem, em horário de novela, tivemos um excelente confronto no Olímpico Monumental. Grêmio e Santos jogaram visando o ataque, proporcionando muitas chances de gol. E o primeiro gol saiu logo antes dos 3 minutos de jogo, após um chute de Hélder que desviou em Domingos, chegando aos pés del CHENGUE Morales, que não perdoou.

No entanto, logo em seguida, Morales foi lançado, avançou, ficou de frente com o goleiro na entrada da área… e chutou em cima dele. Putz. Gol feito.

yo soy fueda

"yo soy fueda"

A segunda metade do primeiro tempo foi morna, com os dois times tendo dificuldades para meter perigo à meta adversária. Um pouco mais de presença do Santos foi notada nesse momento. Até então, Douglas Costa praticamente estava escondido no jogo.

Mas o segundo tempo nos reservava uma linda atuação do novo meio-campo gremista. De forma impecável, Douglas Costa soltou-se e passou a causar medo aos zagueiros santistas. Com muita habilidade, foi responsável por um canhão que explodiu na trave, além de uma jogada na qual ele entrou na área praiana a dribles, quase concluindo e marcando um gol sensacional.

"Odone, por favor, não me venda logo"

"seu Odone, por favor, não me venda logo"

Depois de uma falta de Fabiano Eller sobre Reinaldo, que havia entrado no lugar de Morales, o zagueiro do Santos tomou o segundo cartão amarelo e, consequentemente, o vermelho. Isso deu origem a muita confusão, com os jogadores alvinegros reclamando sem parar. Assim que a poeira baixou, Douglas Costa cobrou a falta, o goleiro Douglas rebotou de forma meio tosca e a redonda sobrou para Soares, que encheu o pé e marcou o segundo gol, já nos acréscimos. Após o gol, o jogo foi finalizado.

A torcida tricolor já estava em festa pois, quando o relógio marcava 44 minutos do segundo tempo no Olímpico, o jogo do Orlando Scarpelli acabou, com o empate em 0x0. O resultado devolvia ao Grêmio a liderança isolada do campeonato, 2 pontos à frente do Palmeiras.

O jogo em Florianópolis aparentemente foi bom, com chances de gol para ambos os lados. No início, como era de se imaginar, o Figueirense foi mais efetivo e criou mais chances, mas o Palmeiras contra-atacava com perigo. Pelo jeito, MÁGUIO SERGIO ajeitou a equipe, ao contrário da nulidade chamada PC Gusmão (o treinador que nunca ganhou nada mais prestigiado do Brasil).

usar essa camiseta não poderia passar impune

usar essa camiseta não poderia passar impunemente

O Vasco foi a Recife no desespero, para tentar buscar a salvadora vitória contra o Sport, equipe que, como eu já cansei de dizer aqui neste blog, tem o único objetivo de avacalhar o campeonato. No começo, parecia que não seria possível, pois o Sport saiu na frente, com Kássio (argh). Mas o Vasco empatou logo em seguida, com Leandro Amaral e virou ainda antes de terminar o primeiro tempo, novamente com o centroavante cruzmaltino.

não gosto de cacetinho. Prefiro BAGUETE

"não gosto de cacetinho. Prefiro BAGUETE"

Parecia que o Vasco conseguiria sua vitória fora de casa e, finalmente, tiraria o pé da lama, mas, tal e qual uma FÊNIX, Ciro recebeu bola de costas pro gol, girou e mandou pras malhas, aos 46 DO SEGUNDO TEMPO. Com isso, o bacalhau continua na zona de rebaixamento, apesar de passar para a 17a posição. No entanto, como os outros 3 times abaixo do Vasco também têm os mesmos 27 pontos e ainda não jogaram, possivelmente o Vasco será ultrapassado. E haverá a certeza de que, por mais uma semana, os vascaínos vão ter que aguentar muita corneta – menos, talvez, do Fluminense.

Resultados de ontem (8/10):

– Grêmio 2 x 0 Santos

– Figueirense 0 x 0 Palmeiras

– Sport 2 x 2 Vasco

Jogos de hoje (9/10) – todos às 20:30

– Botafogo x Vitória

– Cruzeiro x Ipatinga

– São Paulo x Náutico

Jogos de sábado (11/10) – todos às 18:20

– Goiás x Internacional

– Portuguesa x Coritiba

– Atlético-PR x Fluminense

– Flamengo x Atlético-MG

E a classificação atualizada:





Surra homérica no Pólo Sul

5 09 2008
Sim… no estádio Palestra Itália ou Parque ANTÁRCTICA, o Palmeiras levou TREZÃO do Sport Recife, um time que não disputa mais nada neste ano. Estou me repetindo ao dizer isso, mas NEM O MAIS OTIMISTA dos MAIS OTIMISTAS tricolores poderia imaginar tal resultado. Imagino um bando de comentaristas esportivos, que esta semana davam o Palmeiras como principal favorito ao título, engolindo um RINOCERONTE a seco.

"vem pra cá, balançar"

 O Palmeiras foi para campo com a certeza da vitória. Não que isso significasse salto alto, mas o retrospecto era muito favorável – neste campeonato brasileiro, em 11 partidas, haviam sido 10 vitórias e um empate, ou seja, retrospecto invicto em sua morada. Não seria uma equipe que, bem ou mal, tem menor interesse no campeonato por ter sido campeã da Copa do Brasil e tendo vaga garantida na Libertadores de 2009 que se tornaria um algoz. Ledo engano.

O atacante Roger abriu o marcador aos 26 do primeiro tempo, após falha da defesa palmeirense. No início do segundo tempo, o Palmeiras imprimiu forte pressão, mas ficou nas ótimas intervenções do goleiro Magrão. Diego Souza não conseguia jogar, devido à excelente marcação de Andrade. E Kléber perdia a cabeça, levando cartão amarelo e tendo que ficar “pianinho” para o resto da partida, mais uma vez.

Aos 22 do segundo tempo, Roger fez outro gol e, aos 33, Durval cabeceou no travessão e concluiu o rebote a gol. 3×0 incontestáveis, que derrubaram os ânimos palmeirenses.

Em São Januário, o atacante virou goleiro

O placar em si nem chega a ser absurdo. O Cruzeiro, um dos melhores times deste campeonato, sem a menor sombra de dúvida, teria toda a chance de vencer o Vasco, um dos piores. Com um jogador expulso no lado cruzmaltino, o Cruzeiro aproveitou e abriu 2×0 ainda no primeiro tempo. No segundo tempo, o Vasco conseguiu equilibrar e descontou, aos 25 do segundo tempo, com André, que havia entrado no intervalo.

Mas o melhor ainda estava por vir.

Três minutos depois, a zaga vascaína falha ridiculamente e a bola sobra para o atacante Guilherme, que dribla o goleiro Tiago. Este, comete o pênalti sobre o cruzeirense e é expulso. Além do problema óbvio, o treinador do Vasco da Gama já havia feito todas suas 3 substituições. Portanto, um jogador da linha teria que entrar no gol. Tita pediu para que Alan Kardec vestisse a camisa de goleiro e fosse à meta. Adivinhem quem foi?

bola prum lado, atacante pro outro??

"bola prum lado, atacante pro outro??"

Sim, Edmundo, o ANIMAL, resolveu fazer esta tarefa ingrata. Vestiu a camisa laranja do goleiro e foi para debaixo das traves, para tentar defender o pênalti do Cruzeiro. É evidente que ele não o fez, até porque Guilherme lançou mão da famigerada PARADINHA em sua cobrança. Mas Edmundo não levou nenhum outro gol, o que é bastante digno.

Ao final do EMBATE, Edmundo disse, aos prantos: “Não estou chorando de tristeza, estou chorando porque a gente tem uma torcida que não merece isso, merece coisa melhor. É humilhante demais. Eu não preciso disso não. Dentro do campo, o cara ficar debochando da gente”, visivelmente indignado com a atitude do atacante cruzeirense, quando da cobrança da penalidade máxima.

No final das contas, o resultado permitirá ao Grêmio na pior das hipóteses manter a diferença de 5 pontos em relação ao segundo colocado – agora o Cruzeiro, por saldo de gols – e até aumentá-la, caso empate ou vença o confronto com o Fluminense, amanhã, no Maracanã. E, de quebra, garante emoções intensas, já que na próxima rodada, Cruzeiro e Palmeiras se enfrentarão, no Mineirão, num jogo de 6 pontos. Um empatezinho entre eles seria o melhor dos mundos, para o Grêmio.

Mas as atenções agora são dirigidas aos jogos de amanhã. Além de Fluminense x Grêmio, que poderá determinar a ampliação da vantagem do tricolor gaúcho em relação a Cruzeiro e Palmeiras ou o afastamento do Fluminense da zona de rebaixamento, por 4 pontos, teremos também outro jogo de 6 pontos, entre Coritiba (37 pontos) x Botafogo (39 pontos), no Couto Pereira. A vitória do Botafogo desbancaria o atual quarto colocado (Flamengo) por 2 pontos. Já a vitória do Coxa, se por 2 ou mais gols de diferença, também desbancaria o Flamengo, mas por saldo de gols.

Além destes dois jogos, teremos também uma “batalha DE aflitos”, entre Náutico e Ipatinga, em Recife. A vitória do Náutico, combinada com derrota ou empate do Fluminense, tirará o Timbu da zona do rebaixamento. Já o Ipatinga, se vencer, sairá da lanterna, mas permanecerá na zona ingrata.

Além desta partida, haverá Internacional x Portuguesa, em Porto Alegre. Sinceramente, é improvável qualquer outro resultado que não uma goleada colorada. A Portuguesa é uma das equipes mais fracas deste campeonato e ainda estará desfalcada. Já o Inter, apesar da lambança em seu vestiário, tem muito mais time que a Lusa mesmo com as duas mãos nas costas, mesmo sem Nilmar e D’Alessandro, convocados para suas seleções e Guiñazú, suspenso. A vitória provavelmente não alterará a posição atual do Internacional, a décima-primeira colocação (precisaria vencer por 5 gols de diferença para ultrapassar o Goiás), mas servirá para reaproximar o colorado da zona de classificação da Libertadores, hoje em 40 pontos e podendo chegar a 42, caso o Botafogo vença. O Inter tem apenas 30 pontos, neste momento.

Muitas emoções, portanto.





Faltam 15 ou Abaixo o verde

1 09 2008

Acabei de voltar do Estádio Olímpico Monumental. É incrível como o time do Grêmio joga diferente (e bem melhor) quando atua nas 4 linhas na divisa da Azenha com a Medianeira, do que quando joga fora de casa. Isso que o tricolor venceu 5 partidas fora. Mesmo assim, os dois últimos confrontos longe do Olímpico reacenderam a dúvida cruel à torcida do Grêmio de que o time não consegue agir naturalmente em outros ambientes.

Mas o campeonato é longo e já teve 23 capítulos. Destes, o Grêmio foi vencedor em 14, sendo 5 fora de casa e 9 no Olímpico. Das 5 vitórias fora de casa, apenas 1 foi com a presença de Roger no time (aposto que muitos nem lembravam mais que esse cara estava no nosso Grêmio em 2008). Penso que é absolutamente injusto afirmar que o Grêmio não joga bem fora de casa. Na maioria das vezes, joga diferente (o que é errado). Nos últimos dois jogos fora de casa, mais presentes em nossa mente, jogou muito mal, assim como já tinha jogado contra o Botafogo. Também jogou partidas em casa mal, como contra o Ipatinga.

Mas estou desviando do meu foco.

O jogo contra o Vasco foi uma afirmação do líder do campeonato. O placar pode não demonstrar grande desigualdade e, até, certa dificuldade em consegui-lo. A segunda afirmação é correta – não foi fácil mesmo. Mas o jogo foi EXTREMAMENTE desigual. Parecia até uma MEIA-LINHA. O Vasco é realmente um time podre. E o Grêmio mostrou muita força de vontade, o que é sempre excelente.

Muita pressão nos primeiros minutos de jogo, com chances incríveis desperdiçadas pelo tricolor. O Vasco só teve uma chance relevante no primeiro tempo, numa falha de Pereira, mas destruída pelo atacante vascaíno. Mas o primeiro tempo não foi um dos mais geniais em termos de criação ofensiva. Mesmo assim, posse de bola total a favor do Grêmio.

O segundo tempo foi bastante melhor e, continuou favorável ao Grêmio. Mas, desta vez, as chances foram transformadas em gol. A entrada de Soares no lugar de Perea, lesionado, no final do primeiro tempo, acabou sendo um achado. Soares deu agilidade e qualidade no ataque tricolor. Depois de linda jogada de Marcel pela ponta direita, o “tanque” (segundo MARCO ANTONIO PEREIRA da Rádio Gaúcha) cruzou na cabeça de Soares, que mandou pras malhas. E olha que ele é baixinho.

Curiosamente, de forma quase simultânea a este gol, o Inter tomava seu gol e o Atlético-PR empatava o jogo contra o Palmeiras, que estava perdendo desde o primeiro tempo. Era muita alegria, ao mesmo tempo.

Mas o Vasco empatou não muito depois, com um gol achado e meio esquisito. Uma cabeceada pro gol, defendida por Victor, mas completada em rebote, quase novamente defendido pelo arqueiro tricolor. Felizmente o Grêmio foi capaz de continuar pressionando até que o segundo gol acontecesse, através de passe de cabeça de Soares para Marcel, que também completou de cabeça. Curiosamente o Grêmio havia marcado num passe de Soares com os PÉS para a cabeça de Marcel completar, minutos antes, mas o TAQUARÃO Soares estava impedido, quando recebeu o lindo passe de Tcheco. (putz errei feio aqui)

Depois desse gol, o Vasco fez ABSOLUTAMENTE NADA para empatar novamente. Já o Grêmio continuou tentando ampliar a vitória. Um belo jogo para se ver, numa bela tarde de sol.

Outros jogos da rodada

– Botafogo 1 x 1 Náutico: vi o finalzinho deste jogo. O Botafogo ganhava desde o primeiro tempo e dominava absolutamente a partida, como era de se imaginar. Mas bateu a bobeira no ESQUADRÃO DE GARRINCHA e deixaram o Timbu gostar da partida. Não por menos, eles empataram. Lúcio Flávio comentou, desanimado, que era uma pena que o Fogão sairia do G4 no final da rodada. Mal imaginava o talentoso meiocampista que ele estava ERRADO.

– Vitória 0 x 0 Ipatinga: sem comentários. Aposto que o BAHIA não faria tal fiasco.

– Goiás 2 x 0 Figueirense: o Goiás é o time mais chato do campeonato. Tudo o que acontece com eles é ABSOLUTAMENTE previsível.

– Sport 1 x 0 Internacional: tudo o que o Inter tinha que fazer era ganhar de um time que não DÁ A MÍNIMA pro campeonato. Mas parece que eles não entendem ordens tão simples.

– Atlético-PR 1 x 2 Palmeiras: como eu disse antes, havia ficado muito feliz com o gol de empate do Atlético. Por pouco tempo, pois o Diego Souza fez outro (já havia marcado um), logo depois.

mal agradecido

mal agradecido

– São Paulo 0 x 0 Santos: CHUUUUPA Muricy.

– Flamengo 2 x 2 Fluminense: o Flamengo está tentando perder a vaga pra Libertadores. O Fluminense quer voltar à B.

– Cruzeiro 1 x 1 Coritiba: o Cruzeiro ganhava de 1 a 0 desde os 4 minutos do primeiro tempo. Teve um penalti a seu favor aos 40 do segundo tempo. Errou. E o Coritiba empatou aos 44 minutos. Algo a acrescentar?

– Portuguesa 1 x 1 Atlético-MG: essa gente não sabe ganhar?